Connect with us

Destaque

8 maneiras surpreendentes (e eficazes) de emagrecer

Published

on

Balancear a alimentação e se exercitar são os dois hábitos que mais murcham pneus. Mas há outras estratégias capazes de dar aquele empurrãozinho que faltava rumo à cintura dos sonhos
por Theo Ruprecht | fotos Alex Silva

1. Inclua alimentos cheios de água no cardápio
É impressionante como certas verduras e frutas comportam tanto líquido em sua composição. Igualmente incríveis são seus talentos para matar a fome. E um fato tem muito a ver com o outro. “Alimentos assim têm baixa densidade energética, ou seja, aumentam o volume da dieta sem acrescentar calorias”, esclarece Beatriz Botéquio, nutricionista da Equilibrium Consultoria, em São Paulo. Um belo jeito de aproveitar ao máximo vegetais como os ilustrados ao lado é adicioná-los a receitas originalmente mais engordativas. Uma quiche de abobrinha, por exemplo, não faz as medidas aumentarem por si só. Já outra recheada com bacon…

2. Complemente a dieta com temperos picantes e alimentos roxos
O repolho roxo ajuda a diminuir a circunferência abdominal só pelo fato de conter poucas calorias. Entretanto, não subestime seu pigmento: de acordo com alguns achados científicos, ele aumentaria a queima de gorduras dentro dos adipócitos, células que as armazenam. Para deixar o menu mais magro, colorido e saboroso, aposte nas pimentas. “Elas possuem capsaicina, que estimula a produção de hormônios contribuintes ao controle do apetite”, aponta Beatriz. A tal substância também induz a um aumento suave da temperatura corporal. Isso, por sua vez, eleva momentaneamente o gasto calórico.

3. Acerte a frequência dos exercícios físicos
Recomendam-se pelo menos 150 minutos de atividades aeróbicas por semana. Mas a dúvida sempre paira em como preencher esse tempo. E não estamos falando da modalidade esportiva a ser escolhida. Na realidade, dois aspectos a serem considerados para quem pretende vencer a briga contra a balança são a intensidade e a maneira como a ralação, seja ela qual for, é distribuída no calendário. Afinal, um desbalanço em um desses quesitos pode ser precursor de lesões. E essas, por sua vez, aumentam consideravelmente o número de sedentários. “As rotinas devem variar de acordo com a preparação de cada um”, pontua Rodrigo Siqueira Reis, educador físico da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). “Quem está começando precisa evitar exageros nas sessões. Já os mais adaptados necessitam estimular o corpo com variações”, exemplifica.

4. Leve o cão pra passear
O animal pode ser o maior aliado contra a preguiça. Em um trabalho da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, foi constatado que quase 60% dos donos de cães se exercitam o mínimo necessário. Só um terço dos que não possuíam pet ultrapassava esse limiar. Em média, os primeiros suavam até 30 minutos a mais a cada sete dias.

5. Estabeleça um padrão de sono
“Hoje, muitos indivíduos dormem pouco por opção e, com isso, correm risco de engordar”, lamenta a neurofisiologista Stella Tavares, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Para assegurar um mínimo de horas entregues ao travesseiro, acerte o despertador de manhã e também à noite. Quando um imprevisto que altere sua programação surgir, tente ao menos respeitar o momento de ir deitar ou o de acordar. Isso impede a aparição de um círculo vicioso nada bom ao sono — e, logo, à barriga.

6. Tome sol
A vitamina D, cuja principal fonte são os raios ultravioleta, vem conquistando mais e mais respeito do mundo científico. E um dos motivos para isso está em seu efeito emagrecedor. O assunto ainda é polêmico, porém acredita-se que ela seja benéfica também nesse quesito por auxiliar o trabalho do cálcio, nutriente com potencial para esvaziar os adipócitos, células que armazenam a gordura do corpo. “A vitamina D participa do transporte do mineral pelo corpo”, informa o endocrinologista Walmir Coutinho, da Abeso. Braços e pernas expostos ao sol por 15 minutos, entre as 10 e as 15 horas, geralmente dão conta do recado.

7. Respire devagar
Se há um problema na cabeça que repercute na pança, esse é chamado de estresse crônico. Primeiro porque tamanha inquietação às vezes culmina em compulsões alimentares. “Nesse estado, também sobem os níveis de cortisol, hormônio que ajuda a estocar gordura no organismo”, salienta Alessandra Rascovski, endocrinologista da Sbem. Sorte que, segundo estudo feito em diversas universidades brasileiras, há um jeito bastante simples de driblar o aborrecimento sem fim: respirar profunda e lentamente. A concentração nessa tarefa por si só já diminui a irritação. E, se exercitada diariamente, ela serve até como método preventivo.

Usar e abusar do diafragma — abrindo completamente os pulmões — por 15 minutos traz o oxigênio e a calma necessários para superar as pedras que aparecem pelo caminho sem reflexos gordurosos na cintura.

8. Compre comida com dinheiro vivo!
O americano Brian Wansink, especialista em psicologia alimentar e autor do livro Por Que Comemos Tanto (Editora Campus), conduziu um experimento para analisar as compras de adultos em mercearias. Por incrível que pareça, os voluntários observados que acertaram as contas com notas ou moedas geralmente optavam por alimentos mais saudáveis quando comparados a sujeitos que sacavam mão do cartão. “O dinheiro torna a compra mais real. A gente gasta naquele momento, e não depois ou virtualmente. É como se pensássemos mais na decisão que estamos tomando”, analisa Wansink. E, como o projeto Emagrece, Brasil quer destacar, não há nada mais eficiente contra a obesidade do que a reflexão.

A próxima geração

Diferentemente de tempos atrás, boa parcela dos jovens entre 10 e 19 anos já padece com o excesso de gordura

  • 85% Não praticam atividade física regularmente
  • 46% Comem salgadinhos industrializados além da conta
  • 69% Consomem poucas frutas
  • 26% Eexcedem-se na ingestão de refrigerantes

Os pequenos
O sedentarismo e a alimentação inadequada vêm inflando a silhueta dos garotos de 5 a 9 anos ao longo das últimas décadas

O ritmo de cada um
Veja como organizar a agenda para ficar em forma sem correr riscos desnecessários

Os adultos
A população obesa brasileira vem crescendo de maneira firme.

E, se nada for feito, alcançaremos as mesmas estatísticas de obesidade dos Estados Unidos em menos de dez anos

Fonte: saude.abril.com.br

Comments

comments

Alimentação e Nutrição

Afinal, tapioca engorda ou emagrece?

Published

on

By

A resposta para saber se a tapioca engorda ou emagrece é relativa, já que vai depender principalmente do modo de preparo e recheio da tapioca

tapioca virou mania entre milhares de brasileiras. Afinal de contas, é dito por ai que ela ajuda no emagrecimento. Mas será que a tapioca engorda ou é uma aliada para a perda de peso?  “A forma de preparo da massa e o recheio utilizado serão as peças-chaves para que ela seja aliada ou vilã do emagrecimento”, aponta Thais Souza, nutricionista do Mundo Verde.

A tapioca é feita com a fécula da mandioca, que é aquecida na frigideira e forma uma massa que pode ser recheada. “O principal macronutriente presente nesse alimento é o carboidrato, que após ser digerido, gera glicose, ou seja, se o consumo não for dosado, ela pode favorecer o ganho de peso”, alerta a nutricionista.

Tapioca engorda?

Como a goma possui alto índice glicêmico, que é a velocidade com que a glicose entra no organismo, este fator também pode ser responsável pelo ganho de peso. “O uso de recheios calóricos também aumentará esse risco. Principalmente quando algumas opções utilizadas são: leite condensado, doce de leite e geleias com açúcar”, afirma Thais.

Mas, mesmo assim, é possível emagrecer comendo tapioca. O ponto de partida é reduzir o índice glicêmico do alimento. “A maneira para isso é adicionar à goma, antes do preparo, algum alimento fonte de fibra, como semente de chia, de linhaça, farinha de banana verde, entre outros”, ensina Raisa Barragam, nutricionista clínica e infantil da Dieta Vitória, em Santos.

Outra boa ideia é preparar uma crepioca. “Basta incluir ovo à goma e fazer como uma panqueca”, conta Daniela Lasman, nutricionista da academia Bodytech, em São Paulo. Ao incluir boas fontes proteicas no preparo ou recheio da tapioca, é possível diminuir o índice glicêmico da preparação.

De olho no complemento

Como dito anteriormente, o que for colocado como recheio também pode contribuir para a tapioca engordar. Então, o ideal é recheá-la com ovos mexidos, banana com canela, geleias de frutas sem adição de açúcares, cottage, e outros elementos saudáveis.

Além disso, é bom saber que a tapioca deve ser consumida no café da manhã para dar mais energia e disposição para as atividades diárias. “É ainda uma opção de lanche pré-treino para dar mais gás para realizar o exercício físico, por ser boa fonte de carboidratos”, completa Thais.

Muitos benefícios

Com todas essas dicas, as chances da tapioca engordar são mínimas. E além de evitar o ganho de peso, o alimento também trará diversas benfeitorias ao corpo. Veja a lista:

  • Como é feita da goma de mandioca, a tapioca é considerada um alimento natural, pouco processada, com baixo teor de sódio e sem gordura;
  • É um carboidrato de rápida absorção e digestão, sendo uma ótima opção para um pré ou pós treino, por exemplo;
  • É de fácil preparo, sendo uma opção prática e rápida que ajuda muito na correria do dia a dia e que pode substituir pães, que costumam ter uma quantidade considerável de conservantes;
  • Não contém glúten, sendo uma opção também para pessoas com alergia (doença celíaca) ou mesmo com intolerância a este alimento.

Comments

comments

Clique para Ler

Alimentação e Nutrição

Restrição de açúcar ou gordura têm mesmo efeito na perda de peso

Published

on

By

As descobertas do estudo podem ter consequências importantes no mercado americano de perda de peso – avaliado em 66 bilhões de dólares

Os conselhos para perder peso costumam ser consumir menos carboidratos (e, portanto, açúcares), ou menos lipídios (gorduras). Mas qual a melhor opção? Um estudo publicado nesta terça-feira demonstra que nenhum é melhor que o outro.

Além disso, fatores como genética e o metabolismo de insulina tampouco são fundamentais para os resultados de uma dieta, segundo conclusões publicadas no Journal of the American Medical Association (Jama).

Essas descobertas podem ter consequências importantes no mercado americano de perda de peso – avaliado em 66 bilhões de dólares -, sobretudo na última tendência do setor: a dieta do DNA, que pretende determinar o melhor regime em função da genética individual.

“Todos escutamos histórias de um amigo que fez uma dieta que deu muito certo, e de outro que tentou o mesmo regime, mas não funcionou”, disse Christopher Gardner, professor de Medicina da Universidade de Stanford, na Califórnia.

“É porque todos somos diferentes e acabamos de começar a compreender as razões desta diversidade”, acrescentou.

Participaram do estudo 609 pessoas de entre 18 e 50 anos, 57% delas mulheres. Elas foram separadas em dois grupos ao acaso. Durante um ano, uma delas fez o regime de restrição de gordura, e o outro, o de açúcar.

Em média, cada pessoa perdeu cerca de 5,9 quilos nos dois grupos. Alguns perderam muito mais – até 27 quilos -, enquanto outros engordaram até 9 quilos.

Os cientistas não encontraram uma relação entre o regime realizado e uma perda de peso mais significativa.

“Não há uma diferença destacável na evolução de peso entre uma dieta equilibrada e leve em gorduras e uma dieta equilibrada leve em açúcares”, concluíram os pesquisadores.

“Uma parte dos genomas dos participantes foram sequenciados, o que permitiu aos cientistas buscar a presença de genes associados à produção de proteínas que modificam o metabolismo de carboidratos e lipídios”, segundo o relatório.

Os participantes ainda consumiram açúcar em jejum para medir a produção de insulina.

“Nenhum perfil genético e nenhuma secreção de insulina foram associador aos efeitos das dietas sobre a perda de peso”, concluíram.

Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

Sem investir em dieta, Jojo Todynho emagrece 12kg

Published

on

By

Sucesso no Brasil todo, Jojo Todynho está mais magra! Isso porque a famosa perdeu 12kg e, ao contrário do que se possa pensar, não perdeu tempo em dietas rigorosas ou exercícios intensos.

De acordo com informações do jornalista Leo Dias, do jornal O Dia, por conta do ritmo de shows, ela acabou eliminando esses quilinhos, ficando mais magra.

Ainda segundo a publicação, a cantora descobriu que estava com menos peso pouco antes do Baile da Vogue, realizado no início deste mês, quando precisou de ajustes no figurino que ficou largo.

Quer dietas para emagrecer? :

Dieta simples com o que você tem em casa para emagrecer rápido e saudável

Dieta Fitness: como temperar sua alimentação?

Dieta que emagreceu Glória Pires antes da novela tem 5 fases: veja regras e como seguir

CACHÊ DE JOJO TODYNHO DUPLICA

Jojo Todynho segue colhendo os frutos do sucesso da sua música Que Tiro Foi Esse. O hit, como se sabe, viralizou em todo o Brasil, após ser divulgado na internet em dezembro do ano passado.

De acordo com informações do jornal Extra, a cantora tem recebido um bom dinheiro para se apresentar em shows aparições. Antes, o seu cachê era estimado em cerca de R$5 mil, e, agora, já chega a custar R$30 mil.

A aposta de Jojo para o Carnaval já contabiliza mais de 110 milhões de visualizações no YouTube e os números não param de subir. Sucesso, né?

Comments

comments

Clique para Ler
Advertisement

Facebook



Mais Acessados