Connect with us

Academia

Academias ao ar livre: vantagens e desvantagens

Published

on

A quantidade de academias ao ar livre vem aumentando muito, mas existem vantagens e desvantagens em usar estes locais para treinar. A proposta desses espaços é incentivar a prática de atividades físicas e melhorar a qualidade de vida da população.Realmente as academias ao ao livre são um convite a se exercitar, equipamentos coloridos, diferentes, despertam nas pessoas no mínimo curiosidade para saber como funcionam. É lúdico, lembram o play-ground, os brinquedos dos parques destinados exclusivamente às crianças. Vendo por esse lado, as academias ao ar livre, aparentemente tem cumprido com o seu papel. Sempre que vejo alguma, está sendo usada por várias pessoas.

O modelo é novo, a ideia é antiga

Quem nunca viu em um parque ou na praia aqueles equipamentos feitos em madeira para se exercitar? Os mais comuns são barras fixas, barras paralelas, pranchas para abdominais, traves de equilíbrio e argolas. Alguns se assemelham àqueles circuitos militares.

A ideia é a mesma e vem de um modelo que nasce em 1926, conforme o levantamento histórico feito pelos professores: Edison Francisco Valente e Japson Macêdo de Almeida Filho que pode ser consultado clicando aqui. Posteriormente, a partir de 1960, com o Movimento Esporte para Todos esses espaços se multiplicaram.

Então podemos dizer que as academias ao ar livre sempre estiveram ali, mas que hoje, mais modernas, mais coloridas, chamam mais a atenção e despertam o interesse na utilização mais do que no passado.

Qual a relação entre o Movimento Esporte para Todos tem com as academias ao ar livre

Segundo Tubino, no texto que pode ser lido clicando aqui, o Movimento Esporte para Todos teve vários sentidos e interpretações. O primeiro deles foi o da democratização da atividade física e da prática esportiva, sendo incorporado ao Esporte-lazer da Carta Internacional de Educação Física e Esporte da UNESCO, pelas suas características e espontaneidade. Na década de 1990 esse conceito se renova, compreendendo além do lazer, a promoção da saúde.

As academias ao ar livre são a maior representação de democratização das atividades físicas. Qualquer pessoa, em qualquer momento, sem custo algum, pode se beneficiar utilizando aquele espaço, tanto do ponto de vista do lazer quanto da saúde.

Academias ao ar livre: vantagens e desvantagens

A principal vantagem é ter um espaço público, atrativo, modernamente equipado para fazer exercícios que podem contribuir para o combate ao sedentarismo, ajudando na promoção da saúde da população.

A desvantagem é que não sabemos ao certo se o uso desses equipamentos oferecem algum tipo de risco de lesão.

Academias ao ar livre podem trazer riscos aos seus usuários

O texto publicado pelo Portal da Educação Física, “Academia ao ar livre: vale a pena?”, da Revista Época, faz esse tipo de questionamento. Sem dúvida esses espaços ajudam a sair do sedentarismo, mas e a qualidade das atividades feitas ali, será que realmente promovem a saúde?
A resposta só poderá ser dada se forem feitos estudos específicos sobre esses espaços, e essa não é só a minha opinião, mas também de Julio Cerca Serrão, professor de Biomecânica da USP e de José Maria Santarém, Fisiatra. O fato é que exercícios mal feitos podem provocar lesões.

Tem sido bastante discutido entre os Profissionais de Educação Física sobre a falta de orientação profissional no uso das academias ao ar livre e os riscos de lesão, o próprio CONFEF, Conselho Nacional de Educação Física, defende a presença de profissional nesses espaços.

O que eu pergunto é, será que colocar profissionais de Educação Física nesses espaços resolve o problema? O próprio texto do Portal da Educação Física, mostra que nem fabricantes, nem Profissionais de Educação Física consultados sabem a função de alguns equipamentos. Como orientar os exercícios se sequer sabemos para o que servem? Uma análise biomecânica se faz necessária, alguém já viu algum professor de musculação orientar sem saber para que serve o aparelho e o exercício? E de Pilates?

Se os profissionais desconhecem, imaginem os usuários? Apesar desses espaços serem largamente difundidos no exterior a grande diferença está na educação para o movimento que a população recebe lá fora. Mais uma vez digo aqui que se faz necessário uma Educação Física Escolar que realmente prepare as pessoas para se exercitarem com segurança, para saberem o que e porque estão fazendo. Se tivéssemos isso por aqui provavelmente só falaríamos das vantagens da academia ao ar livre e estaríamos realmente comemorando mais um espaço público para a promoção da saúde.

Colocar um profissional de plantão nesses lugares é uma política para apagar incêndio. O que realmente deveria ser feito é prevenir. Uma boa Educação Física é aquela que permite ao aluno apreciar, usufruir e gerenciar a própria atividade. Essa é a verdadeira função do Profissional de Educação Física.

Fonte: http://www.fiqueinforma.com

Comments

comments

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Academia

Erros comuns quando se quer ter mais massa muscular

Published

on

By

Treinar é fundamental, mas é necessário ter peso e medida

Ter mais músculo não é apenas sinônimo de mais força, é também uma espécie de escudo protetor para a saúde em geral, beneficiando a saúde óssea, cardiovascular e ainda o sistema imunológico, que fica mais reforçado e capaz de combater a gordura indesejada.

O treino de força e a alimentação adequada – com uma especial atenção para a proteína – são dois dos aspectos que mais importância têm na hora de construir mais músculo de forma saudável, contudo, para que o aumento do músculo aconteça da forma mais correta é ainda importante apostar num processo gradual e também nos comportamentos mais certeiros.

Como explica o site Deporte y Vida do jornal espanhol As, existem alguns erros comuns na hora de ‘lutar’ por um aumento da massa muscular, erros esses que não só comprometem o sucesso, como podem mesmo colocar a saúde em risco. Veja quais são:

1 – Comer tudo e mais alguma coisa. Tem quem pense que o simples fato de treinar com regularidade permite comer tudo, mas não é bem assim, especialmente quando isso inclui mesmo tudo, até os alimentos menos saudáveis. Embora o corpo precise de combustível (proteína, carboidratos complexos e gordura saudável), é preciso ter atenção ao tipo de alimento,para que não se aumente a gordura e em vez da massa muscular.

2 – Não ter um objetivo definido. Treinar por treinar e comer por comer nunca dá bom resultado, especialmente quando o objetivo é ter um corpo mais tonificado e mais músculo. Para que isso seja possível, é necessário ter um plano de treino adequado (preferencialmente definido por um treinador) e também uma alimentação que vá ao encontro das necessidades e que assegure todos os nutrientes necessários;

3 – Treinar muito. Como já dissemos, o treino é fundamental, contudo, ter peso e medida é fundamental, pois o descanso é fundamental para a recuperação muscular e capacidade de ‘crescer’;

4 – Abusar nos pesos. O treino de força é aquele que mais trabalha os músculos, mas mais importante do que o peso usado é a técnica. Sabia que mais vale fazer mais repetições do que apostar tudo no peso máximo?;

5 – Não dormir o suficiente. O descanso é fundamental para os músculos recuperarem devidamente e parte desse descanso depende do sono.

Comments

comments

Clique para Ler

Academia

10 estratégias para perder gordura nas pernas

Published

on

By

Tonificar as pernas é uma das tarefas mais difíceis do mundo fitness

Sejamos honestos, os dias de treino de pernas são um dos piores. Além de ser um dos mais dolorosos, é aquele em que para ver os resultados é preciso esperar semanas ou meses. As coxas são uma das regiões do corpo onde a gordura se aloja mais facilmente, mas mais dificilmente sai. A combinação de exercício físico com uma alimentação saudável e equilibrada é o caminho a seguir, mas é preciso fazer mais.

O site Eat This, Not That! mostra que perder gordura nas pernas é uma tarefa árdua, mas não impossível. Quer provas? Confira dez estratégias que ajudam a perder gordura na região:

1 – Beber café antes do treino, um hábito que não só dá mais energia para a prática de exercício como favorece ainda a capacidade do metabolismo queimar gordura;

2 – Trabalhar as pernas fazendo alguns exercícios de tonificação, colocando o peso do corpo apenas na parte da frente do pé;

3 – Agachamentos… sempre;

4 – Correr… mas subindo. Aumentar a inclinação é uma forma de aliar o exercício cardiovascular (corrida) à tonificação dos músculos das pernas.

5 – Aderir à prensa, procurando ajuda de um instrutor para saber qual o peso mais indicado a colocar;

6 – Fazer vários tipos de lunges, sejam estáticos, em andamento, com ou sem peso;

7 – Dizer ‘adeus’ ao sofá e aproveitar as noites para caminhar depois do jantar;

8 – Aumentar o consumo de cálcio, mineral que não só favorece os ossos, como melhora a formação de músculo;

9 – Apostar nos cítricos, alimentos ricos em vitamina C que travam os marcadores inflamatórios e, por isso, melhoram a presença de gordura acumulada;

10 – Quando o tempo para treinar é pouco, comece a praticar sprints.

Comments

comments

Clique para Ler

Academia

Nicole Bahls revela seus segredos para ter um ‘bumbum na nuca’

Published

on

By

Ostentando um corpo malhado, Nicole Bahls diz que não pega leve na academia. A assistente de palco do Ferdinando Show revela que pegou pesado para emagrecer 6 kg antes da atração e manter o corpo em forma. Para ostentar seu “bumbum na nuca”, Nicole compartilha alguns de seus segredinhos:

“Faço dieta equilibrada e academia. Muito agachamento. Uso quatro apoios e faço quatro repetições de 20, com 20 kg em cada perna. Mas é um pouco da minha genética também que ajuda”, conta Nicole à revista ‘Quem’.

Comments

comments

Clique para Ler

Advertisement

Facebook


Mais Acessados