Connect with us

Destaque

Afinando a cintura – Tight Lacing e a Musculação

Published

on

Olá meninas, esse post tem mais a ver com vocês, em especial para as menias apaixonadinhas pelos pesinhos….as amiga maromba =D

Não sei se vocês notaram nas minhas fotos, que apesar se eu ter dado uma baita secada no abdômen  e ter dado uma diminuida boa na gordura, na verdade a circunferência da minha cintura aumentou. COMO ASSIM CAROL? Você engordou??? Não minhas lindas, é natural que o abdômen fique “estufadinho” por conta do desenvolvimento muscular da região. Por isso eu trouxe essa matéria bacana que vi nesse site aqui, sobre o tight licing. É uma forma de “deformar” as costelas gradualmente para afinar a cintura. Não é um método agressivo e se feito de forma gradual dá resultados que não prejudicarão sua coluna e não causarão atrofia abdominal. Bora ler então o artigo!

O que é “Tight lacing”

No português, apertamento de laço numa tradução literal, é o nome dado à prática de usar um corset devidamente estruturado, por longos períodos, no intuito de alterar a silhueta reduzindo a cintura (ou perímetro abdominal). O corset exerce uma forte pressão na região da cintura, o que faz as costelas se reacomodarem, diminuindo efetivamente a cintura.

Como surgiu

Ainda não foi possível precisar quando o corset surgiu. Porém, sabe-se que os antigos gregos já usavam uma espécie de espartilho. Sabe-se também que a vestimenta já acentuava a silhueta feminina desde os séculos XIII e XIV, espalhando a sua popularidade para outros países.
(rousecorset.com)


Atualmente do que é feito e como são feitos os corsets
As peças são feitas sob medida para cada pessoa, logo, não podem serem compartilhadas. São confeccionados pelas “corsetmakers”, onde elas cuidadosamente elaboram a peça afim de que estejam dentro da estrutura do corpo de cada indivíduo para que não machuque, cause muito desconforto entre outros problemas que podem se agravar, se não forem feitos por uma pessoa especializada ou então, simplesmente comprar uma peça importada sem padrões e qualidade suspeita.

Os corsets levam materiais de aço rígido e espiralado, as barbatanas espiraladas (barbatanas são hastes que dão sustentação para o corset) essas ficam em lugares onde pode-se moldar a medida que se aperta o laço nas costas, na frente geralmente utilizam-se de uma “barbatana de aço chamada busk”, essa não é flexível, dando um aspecto de “barriga chapada” mesmo para as que tem gordura localizada no local*.

O tecido interno geralmente em algodão para acolher a transpiração, uma entretela intermediária entre o tecido interno e externo para dar estrutura a peça, e poder puxar no laço sem que danifique o corset ou ao puxar fique desproporcional (saltando gordurinhas ou acúmulo de pele em um só lugar, isso acontece em geral com peças importadas de baixa qualidade).

Benefícios:

Além dos estéticos como mostra nas fotos, ele ajuda quem deseja uma cintura mais fina, diminuir o aspecto de costelas saltadas, na correção da postura, cuidados com a dieta (quem sai por aí comendo o que bem entender não vai conseguir usar o corset porque vai incomodar), e até em alguns desvios de coluna. No último caso imprescindível a consulta a um médico ortopedista.

Vamos ao ponto: o que o corset pode ajudar na musculação e melhor, o que a musculação pode ajudar com o uso do corset

Para as praticantes do “tight lacing”, a prática de exercício deveria ser uma máxima obrigatória, pois os músculos ali comprimidos podem atrofiar, além de que a circulação sanguínea do corpo com a prática de exercícios melhoram todo os tecidos do corpo, até mesmo a própria pele. Um motivo a mais para se praticar exercícios, principalmente a musculação onde se visa “moldar o corpo”, além do mais todo atleta consciente mantém uma alimentação saudável e balanceada, o que pessoas que não se exercitam nem sempre levam isso em consideração. Quando se fala de dieta balanceada não se aborda só o número de calorias ingeridas por dia, vai muito além disso, e para os praticantes conscientes da musculação isso é levado muito a sério.

Já o “tight lacing” para quem pratica musculação é perfeito para quem ergueu muito peso e “saltou” as costelas, ou já nasceu com as costelas saltadas, para pessoas que querem afinar a cintura, corrigir a postura por exemplo, agora, enquanto se está no computador, ou então assistindo televisão. No quesito postura o corset é ótimo, pois não tem como sair da postura com um corset no corpo!

Funciona?
Funciona. Tanto que se tem um recorde da cintura mais fina do mundo, onde ela trabalhou anos após anos afim dessa conquista, sendo mãe de 3 filhos e uma cintura de 38,1cm. Obviamente esse foi o objetivo dela e não quer dizer que seja bonito, mas para mostrar que nosso corpo pode ser moldado, e com isso conquistarmos uma qualidade de vida melhor já que estamos falando em dietas corretas, boa postura e a prática constante de exercícios físicos.

Quanto custa e quanto tempo tem de se usar:
Um corset bem feito tem preços que variam de R$200 a números que passam dos R$1000, pois, há pessoas que o usam como peças de roupa, e aí tudo está suscetível desde o nome do corsetmaker até grifes. Mas o que interessa é a funcionalidade.
Os corset “underbust” são os mais recomendados para a prática do “tight lacing”, aqueles que pegam abaixo dos seios. Mas também existem modelos que podem substituir com muita classe roupas da parte de cima.

Quanto o tempo a se usar depende da determinação de cada pessoa, varia entre 2 horas até 8 horas para as que fazem mesmo essa prática. Assim como exercícios físicos, é importante que se faça todos os dias, no mínimo de 2 horas e o resultado começa aparecer rápido pois, a medida que vai se apertando o corpo vai se habituando. Obviamente cada pessoa deve encontrar o seu limite, pois uma pessoa que pratica musculação não vai querer ficar com um corpo totalmente desproporcional!

Fica a dica: principalmente para mulheres que apreciam cintura delgada e ainda não criaram coragem de enfrentar uma academia: musculação ajuda diminuir senão eliminar a gordura localizada no abdome. *Quem faz a prática do “tight lacing” pode ter sua gordura movida para as extremidades do corset, ou seja, assim como uma calça jeans apertada deforma o corpo, o corset para quem não pratica exercícios e tem gorduras localizadas, também terá seu corpo deformado já que a gordura vai parar “nas extremidades do corset” (quem faz exercícios regularmente não precisa se preocupar com esse detalhe). E para as pessoas que praticam musculação e querem dar um “up” na cintura, “diminuir estômago” (costelas), também é uma ferramenta a mais. Para todos os casos de dúvidas quanto a dieta ou problemas de coluna, ossos, etc., consultar um profissional da área.

É isso ai meninas, um bom final de semana pra você hem! Beijo e BOM TREINO =D

Comments

comments

Destaque

Belo posa fortão e internautas reconhecem influência de Gracyanne Barbosa no resultado

Published

on

By

Nesta quinta-feira (23), o Belo resolveu exibir sua silhueta musculosa, em post de TBT, no Instagram,  e teve uma chuva de internautas que elogiaram o cantor. Mas alguns deles não deixaram de reconhecer a importância da esposa Gracyanne Barbosa na mudança de hábito do artista e no resultado de seu corpo.

“O que uma mulher não faz na vida de um homem. Parabéns, Gracyanne”, comentou um seguidor. “Está show de bola. Também, com uma esposa igual à sua não tem como não mudar o corpo. Ela é tudo de bom. Amo esse casal”, escreveu outra. “Eita que Gracyanne botou moral no ‘Tudão'”, brincou mais uma.

Um internauta, porém, disse que falta muito para Belo conseguir ter o corpo musculoso como de Gracyanne. “Mais uns cinco anos de musculação, você vai chegar perto do corpo da sua mulher”, disparou.

Na legenda da foto, o artista usou algumas hashtags, como Team Belo e Team Gracyanne, e outra um tanto sugestiva: “passarinho não acompanha morcego”. Pelo visto, Belo está trabalhando duro para acompanhar o corpo fitness de sua esposa.

Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

Juju Salimeni rebate comentário em foto sem calcinha: “Eu to cagando pro seu respeito”

Published

on

By

Após publicar uma foto sem calcinha e dividir os internautas nas redes sociais, Juju Salimeni resolveu rebater um seguidor que a criticou. Na imagem, a modelo não está totalmente pelada, ela escolheu combinar o sutiã com uma bota cano alto.

“Depois vai na frente das câmeras e pede respeito, né”, escreveu um rapaz. “Eu to cagando pro seu respeito de outros embustes como você”, respondeu Juju.

Em momento com os fãs, Juju Salimeni revela peso e medidas do seu corpo

Juju Salimeni aproveitou a terça-feira (14) e usou as redes sociais para responder algumas curiosidades de seus seguidores. “Hoje estou de molho no salão e tenho tempo para responder perguntas”, disse ela, usando o Instagram Stories.

Após ser questionada sobre suas curvas, Juju contou que pesa 76 quilos e disparou: “Glúteos: 108 cm, Cintura: 69 cm, Coxas: 66 cm, Busto: 101 cm”.

A musa fitness explicou o motivo de nunca usar calça. “Não uso calça, mas se usasse seria 42, acho!”, e continuou: “Odeio qualquer coisa apertando minhas pernas, me dá uma coceira absurda também”, afirmou.

A loira também falou sobre silicone. “Troquei 330 ml por 570 ml no ano passado e não senti nenhuma diferença de peso. Mas tenho uma estrutura grande e tenho força”, concluiu.

Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

Após perder 25 kg, Fani Pacheco enfrenta haters: “Ditadura da magreza e da gordura”

Published

on

By

No final de 2017, Fani Pacheco estava pesando 85 kg e foi diagnosticada com síndrome metabólica, um conjunto de condições que aumentam o risco de doença cardíaca, acidente vascular cerebral e diabete, o que a obrigou a mudar completamente seu estilo de vida antes que desenvolvesse algumas dessas enfermidades.

Sem alternativa, a estudante de medicina voltou a fazer uma dieta regrada, juntamente com exercícios físicos, para perder bastante peso. De lá para cá, ela conseguiu eliminar 25 kg e hoje exibe uma silhueta mais sequinha de 60 kg. À Marie Claire, ela conta que também teve de enfrentar alguns haters que a acusaram de estar se aproveitando da situação para ganhar mais destaque na mídia.

“A grande maioria, creio que 90%, aceitou bem, mas tem sempre aqueles que não têm coerência e tive de enfrentar. Dizem que gostavam de mim quando eu era gordinha e que não se identificam mais porque emagreci. Me acusaram de ter engordado propositalmente! Disseram que eu era uma sex symbol, engordei para aparecer na mídia e, depois, emagreci para aparecer novamente. Teve gente que se sentiu enganada”, lembra.

Ela defende que continua sendo a mesma pessoa que lutava para que o público aceitasse sua silhueta mais curvilínea, porém teve de mudar drasticamente para não sofrer com doenças que ela tem pré-disposição genética.
“Hoje existe a ditadura da magreza e da gordura. Quando você engorda te criticam e quando emagrece também. Algumas vêm dizer ‘essas famosas são assim mesmo, ganham dinheiro, emagrecem, fazem procedimentos estéticos para rejuvenescer’. Mas não pode mais? Tem de ser sempre o naturalismo? Elas querem mandar na vida das pessoas. As pessoas têm uma ditadura velada entre elas”, afirma.

Fani acredita que o preconceito com as mulheres gordas ainda é muito grande mesmo depois de tanta campanha de valorização de todos os tipos físicos. Ela ainda destaca que já sentiu o mesmo tipo de repulsa das plus size com as magras.

“Estou achando que o preconceito se ampliou para outras áreas. Antes ele imperava em alguns quesitos e agora te julgam em tudo de forma superficial. Se faço um ensaio nu, por exemplo, não gostam mais de mim. Se eu desagrado meu público em algo, de nada valeu tudo o que fiz. Eles avaliam cada atitude. O preconceito está velado nas redes sociais. As pessoas só não expõem. Estão julgando e rotulando demais. São como juízes da internet”, pontua.


Espelho, espelho meu…

Ela, que ganhou o Brasil com seu jeito sexy na 7ª edição do Big Brother Brasil, em 1997, comenta que demorou para conseguir ficar de bem com o espelho por ter quilos a mais. A estudante diz que brincava com a situação, mas não era fácil: tentava emagrecer, fazia dietas, ficava desanimada até descobrir que tinha compulsão alimentar.

“Demorei um ano, a base de terapias, e aceitei quando comecei a comprar roupas para o meu tamanho e me senti bonita. Me via feia porque as roupas não serviam, me apertavam, mostravam meus excessos de gostosura. Meus peitos saíam do sutiã. Quando usei um 48 me sentia arrasando, bem vestida e confortável. Demorei um ano para entender tudo isso e me achei bonita.”

Hoje, depois de ter vivido nos dois polos do padrão de beleza, ela acredita que se exige muito menos, mas ainda tem seus momentos de críticas consigo mesma.

“Acho que a mulher, independente de padrões de beleza, sempre é cricri. Conheço muitas lindas e maravilhosas que sempre arrumam problema. Principalmente em nossas fases hormonais, TPM, com retenção de líquido, ficamos chatas, de mau humor, nos irritamos com uma espinha ou com a raiz do cabelo aparente. Homens também têm um dia que acordam e não se acham bonitos”, aponta.

Comments

comments

Clique para Ler

Advertisement

Facebook


Mais Acessados