Connect with us

Alimentação e Nutrição

Coach dá detalhes da nova dieta de Larissa Manoela: adolescentes podem fazer regime?

Published

on

Com o intuito de aparecer mais magra em seu próximo trabalho na TV e também deixar sua alimentação mais saudável, a atriz mirim Larissa Manoela aderiu ao programa de emagrecimento “Seca Você”, da life coach Mayra Cardi.

O projeto é o mesmo que secou Anitta em apenas um mês. No entanto, o fato de Larissa Manoela ter apenas 16 anos levanta preocupações: adolescentes podem fazer dieta? Quais são os impactos físicos e psicológicos de fazer restrições alimentares tão cedo?

Larissa Manoela entra em programa de emagrecimento

Pelo Instagram, a atriz contou que tem comido apenas as refeições enviadas pela equipe da Mayra, que são preparadas pela empresa de refeições saudáveis Medida Natural.

Em um dos vídeos, a estrela do SBT mostra uma das “marmitas”: couve-flor com camarão e folhas verdes. Ela ainda contou que as seis refeições que faz ao dia chegam todas em recipientes separados. Ela só precisa esquentar e comer.

“Eu estou neste projeto superbacana para me alimentar bem, porque o importante é se alimentar de uma maneira saudável e ter disposição, energia”, defendeu.

Como é a dieta?

Ao ser questionada sobre os cuidados específicos com uma paciente adolescente, Mayra respondeu que os planos alimentares de seus clientes são sempre individualizados e elaborados pela nutricionista de sua equipe de acordo com as necessidades nutricionais de cada cliente e que, por isso, a idade da atriz não a impede de aderir ao “Seca Você”.

“A Larissa até quer emagrecer um pouquinho para a novela, mas o foco dela é a saúde. Como ela veio agora de uma viagem para Disney em que acabou comendo um pouquinho a mais, ela me falou: ‘o emagrecer é legal, mas não é a minha prioridade’”, esclarece.

A life coach também comenta que a jovem vai “comer de tudo que as pessoas precisam”, mas vai banir os industrializados de seu cardápio. “Terá até doces saudáveis, que não levam nada de açúcar, nada de gordura , nada de fritura, nem nada industrializado”.

Sobre sua nova cliente, Mayra disse que está muito feliz em acompanhá-la justamente porque os fãs da atriz são, predominantemente, adolescentes. “Ela fala diretamente com adolescente e o intuito do programa é mudar o modo de vida das pessoas, o conceito das mães em relação às crianças que comem muitas porcarias, e a Larissa está na escola ainda, ela é uma pessoa muito influente. Ter uma pessoa que fala diretamente com as crianças para mim é muito grandioso”, comemora.

Dieta na adolescência é perigoso?

Para a endocrinologista da Unifesp Angela Maria Spinola-Castro, aderir a um projeto de emagrecimento ainda na adolescência pode ser muito perigoso, já que os jovens precisam de um aporte nutricional grande para se desenvolverem.

“A restrição alimentar impacta muito o crescimento, tanto que, se uma criança obesa emagrecer muito, ela para de crescer e nem sempre consegue recuperar este crescimento, já que as meninas crescem até os 14, 15 anos, e os meninos, até uns 16”, explica.

Nos casos de adolescentes que já são magros, como a atriz, Angela comenta que pode acontecer perda de massa muscular, massa óssea e até desnutrição. No caso das meninas, é possível até que parem de menstruar caso sigam uma dieta restritiva como, por exemplo, a low carb – que é pobre em carboidratos.

“O desejo de emagrecer de pessoas que já são magras pode indicar problema de autoestima e até uma possível anorexia nervosa. Se o grau de comprometimento nutricional for muito alto, o organismo até passa a funcionar mais devagar para poupar calorias, semelhante ao que acontece com pessoas que têm hipotireoidismo”, observa a doutora em pediatria.

Se o adolescente já estiver com sobrepeso ou até obesidade, aí sim é o caso de procurar uma equipe multidisciplinar para que ele emagreça de forma segura e saudável. A orientação de especialistas é que a criança ou adolescente seja levado a um nutricionista e também a um pediatra ou endocrinologista para fazer um acompanhamento. Em alguns casos, pode ser que os médicos indiquem também um apoio psicológico para tratar a relação do jovem com a comida.

Sinais de alerta

Alguns adolescentes iniciam dietas depois de conversarem com os pais, mas também pode acontecer de o jovem decidir por conta própria que quer emagrecer, o que pode ser bastante perigoso. Por isso, é importante ficar atento aos sinais de alerta que podem surgir em dietas restritivas.

“O adolescente pode sentir mal-estar, ter fraqueza, hipoglicemia, dificuldade para se concentrar, mudanças bruscas de comportamento, se irritar facilmente, ficar abatido, apresentar diminuição dos batimentos cardíacos e ficar com mãos e pés gelados”, lista a endocrinologista.

Para Angela, é importante que os pais e familiares fiquem atentos a todos os comportamentos dos jovens, inclusive, se estão comendo alimentos adequados, se estão pulando refeições ou até praticando mais atividade física e comendo menos com o intuito de emagrecer.

“Os jovens têm que comer muitas frutas, verduras, legumes, saladas, grãos. Não precisam comer pães e massas em excesso, mas também são alimentos que devem estar presentes. A qualidade da alimentação é superimportante, ela tem que ser variada. Ser saudável não é sofrimento, é um modo de viver”, enfatiza a especialista.

Riscos psicológicos

Na opinião da doutora em pediatria, o ideal é que os jovens sejam estimulados a praticar atividade física e a manter uma dieta balanceada, saudável, mas sem restrições.

Para a psicóloga do Centro de Obesidade e Diabetes do Hospital alemão Oswaldo Cruz Graça Maria de Carvalho Camara, um jovem magro que demonstra desejo de iniciar um regime ainda na adolescência pode indicar uma grande insatisfação com o corpo e/ou uma relação ruim com a comida, o que é muito perigoso – já que estes fatores psicológicos são gatilhos para o aparecimento de distúrbios.

Por isso, Graça comenta que é importante que os pais criem os filhos sem relacionar a comida ao emocional. Segundo ela, prometer que o filho vai ganhar uma bolacha ou um lanche apenas se ele se comportar ou fizer a lição de casa, por exemplo, não é correto.

“A comida não pode ser recompensa. A criança e adolescente tem que ter uma relação boa com ela desde sempre, porque é justamente a partir de múltiplos fatores emocionais relacionados à alimentação que surgem os transtornos alimentares”, explica a psicóloga.

Para Graça, os pais devem estimular uma alimentação saudável, não a perda de peso. Desta forma, o adolescente conhece os alimentos, aprende a ter uma alimentação balanceada e fica menos propenso a aderir a dietas da moda.

Comments

comments

Alimentação e Nutrição

Afinal, tapioca engorda ou emagrece?

Published

on

By

A resposta para saber se a tapioca engorda ou emagrece é relativa, já que vai depender principalmente do modo de preparo e recheio da tapioca

tapioca virou mania entre milhares de brasileiras. Afinal de contas, é dito por ai que ela ajuda no emagrecimento. Mas será que a tapioca engorda ou é uma aliada para a perda de peso?  “A forma de preparo da massa e o recheio utilizado serão as peças-chaves para que ela seja aliada ou vilã do emagrecimento”, aponta Thais Souza, nutricionista do Mundo Verde.

A tapioca é feita com a fécula da mandioca, que é aquecida na frigideira e forma uma massa que pode ser recheada. “O principal macronutriente presente nesse alimento é o carboidrato, que após ser digerido, gera glicose, ou seja, se o consumo não for dosado, ela pode favorecer o ganho de peso”, alerta a nutricionista.

Tapioca engorda?

Como a goma possui alto índice glicêmico, que é a velocidade com que a glicose entra no organismo, este fator também pode ser responsável pelo ganho de peso. “O uso de recheios calóricos também aumentará esse risco. Principalmente quando algumas opções utilizadas são: leite condensado, doce de leite e geleias com açúcar”, afirma Thais.

Mas, mesmo assim, é possível emagrecer comendo tapioca. O ponto de partida é reduzir o índice glicêmico do alimento. “A maneira para isso é adicionar à goma, antes do preparo, algum alimento fonte de fibra, como semente de chia, de linhaça, farinha de banana verde, entre outros”, ensina Raisa Barragam, nutricionista clínica e infantil da Dieta Vitória, em Santos.

Outra boa ideia é preparar uma crepioca. “Basta incluir ovo à goma e fazer como uma panqueca”, conta Daniela Lasman, nutricionista da academia Bodytech, em São Paulo. Ao incluir boas fontes proteicas no preparo ou recheio da tapioca, é possível diminuir o índice glicêmico da preparação.

De olho no complemento

Como dito anteriormente, o que for colocado como recheio também pode contribuir para a tapioca engordar. Então, o ideal é recheá-la com ovos mexidos, banana com canela, geleias de frutas sem adição de açúcares, cottage, e outros elementos saudáveis.

Além disso, é bom saber que a tapioca deve ser consumida no café da manhã para dar mais energia e disposição para as atividades diárias. “É ainda uma opção de lanche pré-treino para dar mais gás para realizar o exercício físico, por ser boa fonte de carboidratos”, completa Thais.

Muitos benefícios

Com todas essas dicas, as chances da tapioca engordar são mínimas. E além de evitar o ganho de peso, o alimento também trará diversas benfeitorias ao corpo. Veja a lista:

  • Como é feita da goma de mandioca, a tapioca é considerada um alimento natural, pouco processada, com baixo teor de sódio e sem gordura;
  • É um carboidrato de rápida absorção e digestão, sendo uma ótima opção para um pré ou pós treino, por exemplo;
  • É de fácil preparo, sendo uma opção prática e rápida que ajuda muito na correria do dia a dia e que pode substituir pães, que costumam ter uma quantidade considerável de conservantes;
  • Não contém glúten, sendo uma opção também para pessoas com alergia (doença celíaca) ou mesmo com intolerância a este alimento.

Comments

comments

Clique para Ler

Alimentação e Nutrição

Restrição de açúcar ou gordura têm mesmo efeito na perda de peso

Published

on

By

As descobertas do estudo podem ter consequências importantes no mercado americano de perda de peso – avaliado em 66 bilhões de dólares

Os conselhos para perder peso costumam ser consumir menos carboidratos (e, portanto, açúcares), ou menos lipídios (gorduras). Mas qual a melhor opção? Um estudo publicado nesta terça-feira demonstra que nenhum é melhor que o outro.

Além disso, fatores como genética e o metabolismo de insulina tampouco são fundamentais para os resultados de uma dieta, segundo conclusões publicadas no Journal of the American Medical Association (Jama).

Essas descobertas podem ter consequências importantes no mercado americano de perda de peso – avaliado em 66 bilhões de dólares -, sobretudo na última tendência do setor: a dieta do DNA, que pretende determinar o melhor regime em função da genética individual.

“Todos escutamos histórias de um amigo que fez uma dieta que deu muito certo, e de outro que tentou o mesmo regime, mas não funcionou”, disse Christopher Gardner, professor de Medicina da Universidade de Stanford, na Califórnia.

“É porque todos somos diferentes e acabamos de começar a compreender as razões desta diversidade”, acrescentou.

Participaram do estudo 609 pessoas de entre 18 e 50 anos, 57% delas mulheres. Elas foram separadas em dois grupos ao acaso. Durante um ano, uma delas fez o regime de restrição de gordura, e o outro, o de açúcar.

Em média, cada pessoa perdeu cerca de 5,9 quilos nos dois grupos. Alguns perderam muito mais – até 27 quilos -, enquanto outros engordaram até 9 quilos.

Os cientistas não encontraram uma relação entre o regime realizado e uma perda de peso mais significativa.

“Não há uma diferença destacável na evolução de peso entre uma dieta equilibrada e leve em gorduras e uma dieta equilibrada leve em açúcares”, concluíram os pesquisadores.

“Uma parte dos genomas dos participantes foram sequenciados, o que permitiu aos cientistas buscar a presença de genes associados à produção de proteínas que modificam o metabolismo de carboidratos e lipídios”, segundo o relatório.

Os participantes ainda consumiram açúcar em jejum para medir a produção de insulina.

“Nenhum perfil genético e nenhuma secreção de insulina foram associador aos efeitos das dietas sobre a perda de peso”, concluíram.

Comments

comments

Clique para Ler

Alimentação e Nutrição

Dieta simples com o que você tem em casa para emagrecer rápido e saudável

Published

on

By

Esta dieta para emagrecer em 15 dias permite uma rápida perda de peso, podendo-se reduzir cerca de 5 Kg em apenas duas semanas e sem muito sacrifício.

Porém, quanto maior for peso que se tem para perder maior deverá ser a velocidade de emagrecimento, por isso normalmente as primeiras semanas de dieta o emagrecimento é maior.

Cardápio completo para um emagrecimento rápido

A tabela a seguir traz um exemplo de 3 dias de cardápio da dieta para emagrecer.

Refeição Dia 1 Dia 2 Dia 3
Café da manhã 240 ml de leite desnatado + omelete feita com 1 ovo e tomate Vitamina de frutas sem açúcar + 1 col de sopa de chia Iogurte desnatado + 1 col de sopa de linhaça + 2 fatias de queijo assado com alface e tomate
Lanche da manhã 1 maçã + 3 castanhas 2 fatias de queijo e presunto + 1 taça de gelatina 1 pêra + 3 amendoins
Almoço/Jantar 150 g de filé de peixe + 2 col de sopa de grão de bico + salada cozida + 2 fatias de abacaxi 150 g de peito de frango + 2 col de sopa de feijão + salada crua refogada + 1 laranja Sopa de legumes com quinoa + 1 ovo cozido + 1 fatia de melão
Lanche da tarde 1 iogurte desnatado + 1 col de sopa de linhaça 2 fatias de melancia + 3 castanhas 1 xícara de chá sem açúcar + omelete de legumes

As dietas que prometem resultados rápidos devem ser feitas por um tempo limitado e qualquer dieta deve ser feita com supervisão do nutricionista, especialmente se a pessoa tiver alguma doença como diabetes e hipertensão.

2 Regras simples para esta dieta funcionar

  1. Alimentos permitidos: carnes magras, peixes, ovos, frutos do mar, leite e derivados desnatados, sementes, castanhas, legumes, verduras e frutas.
  2. Alimentos proibidos: açúcar, batatas, macarrão, pão, arroz, farinhas, maionese, manteiga, óleo, azeite, banana, uva, abacate e carnes processadas como linguiça, salsicha, bacon e presunto.
  3. Começar a dieta desintoxicando melhora os resultados, por isso veja uma receita excelente de sopa detox para completar esta dieta.
Esta dieta pode ser complementada com chás para emagrecer, como de limão e gengibre ou chá verde, que ajudam a reduzir o inchaço e a retenção de líquidos, diminuindo o apetite e acelerando o metabolismo.

Os remédios como sibutramina ou orlistat ajudar a emagrecer mais rápida são uma opção, especialmente quando a obesidade coloca em risco a saúde, mas só devem ser tomados com indicação do gastroenterologista ou do endocrinologista, caso contrário, quando o remédio acabar é muito possível que se engorde novamente.

Comments

comments

Clique para Ler
Advertisement

Facebook



Mais Acessados