Connect with us

Destaque

Emagrecer – Reduzir ingestão calórica é a melhor e mais efetiva escolha

Published

on

Especialista americano Eric Ravussin diz ainda que, quanto menos calorias consumirmos diariamente, mais anos de vida estaremos poupando. Veja: A população mundial nunca esteve tão gorda: um a cada dez adultos é obeso. Os dados, divulgados em fevereiro pelo periódico científico The Lancet, mostram que, em 2008, 9,8% dos homens e 13,8% das mulheres sofriam de obesidade. Só no Brasil, 46,6% da população está acima do peso. Para driblar a epidemia, o especialista Eric Ravussin diz que não se deve apostar tanto em exercícios físicos. Para o fisiologista chefe da Divisão de Melhoria da Saúde e Performance do Pennington Biomedical Reasearch Center, nos EUA, o fundamental é reduzir a ingestão calórica – que, inclusive, ajuda a viver mais – e com mais qualidade de vida.

Em passagem pelo Brasil para o 14º Congresso Brasileiro de Obesidade e Síndrome Metabólica, que acontece em São Paulo, o fisiologista falou ao site de VEJA sobre as implicações do consumo calórico na longevidade, a epidemia de obesidade que assola o mundo e sobre a relação entre atividade física e emagrecimento.Confira:

Como a restrição calórica pode aumentar a longevidade? O que sabemos é que quando você restringe o consumo calórico, a temperatura do seu corpo diminui. Pesquisas anteriores já haviam mostrado que pessoas com uma menor temperatura corpórea vivem mais, esse é um dos marcadores da longevidade. Com a redução da ingestão de calorias há ainda uma mudança metabólica, principalmente na qualidade das mitocôndrias dos músculos e do fígado. Estando em melhor saúde, essas mitocôndrias não produzem tantas espécies reativas de oxigênio (radicais livres), um produto oxidante. Essa oxidação é prejudicial ao organismo, ela chega ao DNA, aos lipídeos, às proteínas, desgastando o organismo e acelerando o envelhecimento.

Esse aumento de longevidade é significativo? Vamos supor que, com o exercício físico, você aumente em cinco anos a longevidade. Com a restrição calórica, o aumento seria de sete anos. Mas o significativo mesmo não é o aumento na média da sobrevida, mas na idade máxima atingida pelos 10% do grupo que estão na ponta da cadeia, aqueles que conseguem viver mais. Pense em três grupos: o de controle (que não faz restrição calórica, nem exercício físico), os que praticam atividade física e aqueles que fazem restrição calórica. Nos dois primeiros, a pessoa que consegue viver mais chegaria, por exemplo, aos 90 anos de idade. Entre aqueles que fazem a restrição calórica, essa idade máxima seria de 100 anos.

Quanto se deve restringir? Em animais, o máximo que conseguimos foi uma restrição de 45% do consumo diário. Para a dieta humana, esse máximo seria de 30%.

Por que o senhor diz que exercício físico não ajuda a emagrecer? Quanto tempo você leva para queimar 400 calorias? E quanto demora para ingerir essas calorias? Você sente mais fome depois de um exercício físico? Eu acredito que a atividade física é muito boa para manter o peso, mas não acho que, sozinha, ela seja a melhor saída para emagrecer.

Os exercícios físicos aumentam o metabolismo do corpo. Não é o mecanismo inverso da restrição calórica? Mas atividade física também produz mais espécies reativas de oxigênio [o que prejudica a longevidade]. Ainda assim, o exercício ajuda a pessoa a viver mais. Isso acontece porque, ao mesmo tempo em que produz essas espécies, o organismo monta uma defesa ao estimular enzimas que são antioxidantes. O resultado final acaba sendo positivo ao corpo.

O índice metabólico (velocidade com que o corpo processa substâncias) é genético? Acredito que sim, ele é altamente determinado pela genética.

O índice metabólico é o responsável por algumas pessoas serem magras e outras obesas? Também. O que tem a determinação mais forte da genética é a altura da pessoa. Em seguida, acredita-se que venha a obesidade. Isso pode ser visto em pesquisas com irmãos gêmeos que foram separados por adoção. Apesar de viverem em ambientes distintos, eles continuam se parecendo fisicamente, em relação ao peso, por exemplo. Não temos ainda o conhecimento de um gene específico para a obesidade e para o diabetes que comprove, de fato, a tese. Mas, ainda assim, acredito que existe uma influência muito forte da genética.

Alguém que nasceu para estar acima do peso, estará sempre acima do peso? Existem dois pontos importantes no emagrecimento: ambiente e hábito alimentar. Em grupos indígenas da mesma etnia que vive em lugares distantes, por exemplo, existem os com problemas de diabetes e os saudáveis. Isso porque em um a comida é abundante, enquanto no outro há escassez. É a influência do ambiente. Mas, além disso, se você é um comedor restrito, que pensa sobre o que come, ou uma pessoa que queira se exercitar e se force a isso, você vai permanecer magro.

Qual a melhor dieta? Para perder peso, o que realmente importa são as calorias. Dietas como a Atkins, por exemplo, funcionam porque elas são mais fáceis de fazer. Quando você restringe as calorias consumidas, pode-se passar fome e isso pode ser um problema. O comportamento, o hábito alimentar, é a coisa mais difícil de mudar, mas é o que garante uma perda de peso saudável e permanente.

Existe uma fórmula para controlar a epidemia de obesidade? Acredito que sim: políticas de saúde. Na Holanda e na Dinamarca, as gorduras trans foram banidas do dia para a noite, porque eles sabiam que elas eram prejudiciais à saúde. Nos Estados Unidos isso é algo difícil de fazer. Grandes indústrias alimentícias, como a Coca-Cola, por exemplo, fazem lobbies constantes e prejudicam o processo. Mas, felizmente, alguns passos já estão sendo tomados. Em Nova York, as calorias precisam agora vir no cardápio ao lado do prato. Se isso vai mudar algo, não sei. Mas acredito que a saída para contornar a obesidade está na política pública e na educação.

Fonte:
veja.abril.com.br
corpoemfoco.com.br

Comments

comments

Academia

Diva Fitness dispara: “não é porque sou mãe que deixei de ser mulher”

Published

on

By

Gabi Lubies, Diva Fitness WBFF, fala sobre auto-estima, boa forma e beleza  após a maternidade, e afirma que não deixou de ser mulher porque tornou-se mãe

A mulher é sempre um símbolo da beleza, e tem de fato a sua auto-estima interior, que a faz cuidar de si, maquiar-se, e estar de bem com o corpo. Em sua maioria, as mulheres gostam de ser notadas e elogiadas, e isso as faz sentirem-se mais vivas, e mais de bem consigo mesmas. 

A Diva Fitness WBFF (World Beauty Fitness Fashion) Gabi Lubies acredita que mesmo após ter filhos, a mulher não precisa se anular, e pode sim cuidar de si: “Quando nasce uma criança, nasce uma mãe, mas não precisa morrer uma mulher. É comum que fiquemos nesse quadro de dedicação quase que exclusiva aos filhos durante muito tempo, e muitas vezes, acabamos esquecendo de nós mesmas e entrando no automático. Antes de sermos mãe, somos mulheres, e acho complicado e arriscado esquecer o que somos e até mesmo o que nos levou até ali”, comenta.

Gabi Lubies aponta que o instinto materno fala muito alto, acima dos interesses pessoais: “Estou pra ver a mulher que, consciente ou não, não tenha esquecido de si, ainda que só um pouquinho, depois da maternidade. Quando um bebê nasce, ficamos tão ligadas a ele que esquecemos de olhar para nós mesmas. No começo, acho até natural, afinal não sabemos como ser mãe e vamos aprendendo e vendo que somos capazes de criar e cuidar de uma criança dia após dia”. 

Para a Diva Fitness, cuidar de si não é sinônimo de ser uma mãe ruim: “respeito quem decide fazer isso, mas particularmente acho que existem outros caminhos e que não é isso que fará uma pessoa ser boa ou má mãe. Não posso jogar a culpa neles por eu ter que trabalhar pra sustentá-los, nem a responsabilidade por ter engordado pra gerá-los, nem a responsabilidade por não cuidar de mim, por não ir atrás dos meus sonhos, por não ter tempo, etc. Eu escolhi ser mãe, a responsabilidade é toda minha e não deles. Penso que quando cuido de mim, em especial da minha saúde, estou também, de algum modo, dando a eles a oportunidade de ter a mãe dos meus filhos na Terra por mais tempo”.

Gabi acredita que ser mãe só acrescenta à vida de uma mulher, e que forma física e estética são recuperáveis depois da gravidez, e que a mulher não precisa abdicar da auto-estima para ser mãe: “Sou exemplo vivo disso. Optei que seria mãe e que continuaria sendo uma mulher que buscaria a felicidade e realização pessoal, pois acredito que a maternidade não subtrai nada da mulher, ao contrário, ela soma. A maternidade não nos diminui, ela nos torna mais fortes, mais capazes. É só uma questão de canalizarmos todo esse potencial para sermos as mulheres que queremos ser”, conclui

Fotos de: Dan Galic / MF Press Global Por: Hebert Neri

Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

Cátia Paganote deseja bom dia apenas de lingerie e mostra boa forma aos 42 anos

Published

on

By

Foto de ex-paquita da Xuxa recebeu milhares de curtidas e comentários de seguidores, elogiando a sua aparência. “Você não muda! Tá linda!”, escreveu uma fã.

Em março, além de comemorar a chegada dos 43 anos, Catia Paganote também lançará a sua autobiografia chamada de “A Minha Vida é um Xou”.

Visualizar esta foto no Instagram.

Bom dia… ??? @villadimanupousada @rafael_vega @cacauoliver #catiapaganote #miuxa #paquitas #paquita #catiapaganotebymiuxa #catiabymiuxa #bomdia

Uma publicação compartilhada por Catia Paganote (@catiapaganote) em

Comments

comments

Clique para Ler

Academia

Bella Falconi esclarece o que pode te impedir de emagrecer em 2019

Published

on

By

A nutricionista e influenciadora digital Bella Falconi aponta os principais inimigos de uma vida mais saudável e meios de seguir rumo a melhor saúde e forma física

Bella sempre compartilha dicas com seus seguidores e leitores do blog para ter uma vida melhor, com mais saúde e qualidade de vida. A influenciadora esta semana trouxe dicas de como alcançar os objetivos no fitness e evitar a auto-sabotagem

Em seu blog no UOL (bellafalconi.blogosfera.uol.com.br) ela falou sobre como, de fato a pressa pode ser “inimiga da perfeição”, como diria o dito popular: “O problema em nossa era é que as pessoas buscam resultados “a jato”. Querem construir músculos densos e hipertrofiados em apenas 3 meses, querem alcançar um dígito de percentual de gordura corporal em 40 dias, e para isso submetem-se a loucuras”.

A pressa em obter resultados pode ser ainda mais prejudicial do que outros fatores na obtenção de maior qualidade de vida: “existe algo que pode ser tão ou mais prejudicial do que o sedentarismo e os maus hábitos alimentares: a pressa”. Bella afirma que isto pode, na verdade, causar frustração e impedir as pessoas de alcançarem seus objetivos no fitness e de manter um estilo de vida e dieta sustentável.

Como conselho para começar o ano já cumprindo aquela promessa de ano novo de emagrecer, Bella afirma: “independente das suas resoluções pessoais para o novo ano, uma dieta saudável e equilibrada sempre irá trazer benefícios: menos sal, açúcares e gorduras, e mais produtos frescos, vegetais e integrais são a fórmula infalível para emagrecer em 2019 e melhorar a saúde geral. E isto sempre tenho dito”.

Fotos de:  ReproduçãoPor: Hebert Neri

Leia o artigo original no UOL em: bellafalconi.blogosfera.uol.com.br

Comments

comments

Clique para Ler
Advertisement

Facebook




Mais Acessados