Connect with us

Alimentação e Nutrição

Estilo de vida, sabores e escolhas

Published

on

Cada vez mais estudos provam que dietas restritrivas para emagrecimento rapido são pouco eficazes a longo prazo, e não é só pelo problema da falta de força de vontade dos que acabam desistindo. Um estudo de 2011 indicou que privar-se de comida pode alterar os níveis de hormônios que controlam o apetite, embaralhando nossos compassos biologicos e nos fazendo comer ainda mais. Além disso, tem sido mostrado que estes tipos de dieta acabam por exacerbar uma “resposta emocional ao alimento”.

O maior sonho de todo nutricionista certamente, é fazer com que seus pacientes aprendam a apreciar mais as alternativas saudáveis que as “tranqueirinhas”. Sempre escuto pacientes dizerem que a gordurinha do churrasco, a cerveja ou a pizzazinha do final de semana com refrigerante são um dos maiores prazeres da vida, seria possivel mudar este conceito?

images

Sabemos que a maioria das nossas escolhas alimentares são adquiridas ao longo da vida pela experimentação, ou seja, aprendemos a gostar, com as exceções do gosto inato para doce e o desgosto para o amargo. Ainda há duvidas sobre a preferência inata pelo sabor umami (não conhece? Clique no link no final deste texto), e há um debate polemico em relação ao sabor da “gordura”. Mas, fora isso, como estamos trantando de alimentos de uma forma geral, vamos supor que a maioria das preferências são aprendidas ao longo da vida.

As nossas preferencias alimentares podem ser adquiridas ou aprendidas de varias maneiras, uma delas é pelo “sabor coadjuvante”, que seria uma forma de condicionamento pavloviano. Por exemplo, se você bebe refrigerante, em um primeiro momento você acaba gostando por causa da sua preferencia inata pelo sabor adocicado. E então, quanto mais você bebe, mais você vai apreciando e tomando gosto pelos outras caracteristicas gustativas daquela determinada bebida (um exemplo é a estrategia das industrias de cigarro para ganhar novos consumidores, vendem tambem cigarros com sabor).

Um estudo de 2006, mostrou que o este tipo de condicionamento, ou aprendizagem de “sabor coadjuvante” pode ajudar as crianças a gostarem de legumes e verduras, demonstrando resultados animadores. No estudo, depois de serem alimentadas com brócolis adoçado, as crianças passaram a gostar do brócoli comum (sem açucar).

alimentos

Outra forma de preferência por aprendizagem vem da sinalização fisiologica positiva após ingestão. Voltando ao exemplo do refrigerante, a glucose/açúcar envia uma mensagem positiva para o cérebro, porque essa é a sua principal fonte de energia. Mas você pode obter uma mensagem semelhante após consumir alimentos mais nutritivos. Dai, comer um prato com file de frango, arroz integral e brocolis pode vir a ser “um dos maiores prazeres da vida”. Mas essa mundança é demorada e precisa persistir para senti-la.

Tabém podemos gostar de determinados alimentos pela exposição repetida. Ao nos expormos repetidamente a praticamente qualquer tipo de estímulo, adquirimos uma familiaridade que gera o oposto do desprezo. Um estudo de 2010 mostrou que a degustação repetida por legumes fez com que um grupo de crianças passasse a gostar deles. E eu acredito que os mesmos métodos funcionem com adultos, mesmo sem ter encontrado um estudo semelhante com adultos.

Outra fator que podemos mudar é em relação ao nosso “limiar de paladar”, pois nós temos diferentes limites de satisfação com sabores. Estes limites podem ser determinados por um fator fisiológico (diferenças individuais de números e funcionamento de nossas papilas gustativas) tornando-nos mais ou menos sensíveis aos gostos, mas também com o tempo podemos nos acostumar com determinados níveis de doçura e salinidade. Por exemplo, se você tem o costume de toda vez bater o saleiro por cima da comida ja temperada, quando for experimentar uma dieta hipossódica vai achar a comida “sonsa”, por isso é muito relativo.

Eu por exemplo já cortei o açúcar da dieta, e hoje em dia não consigo mais comer meia colher de brigadeiro que já acho enjoativo.

10-dicas-para-mais-saude

As industrias de alimentos estão enfrentando a necessidade de reduzir o sal, açúcar e gordura de seus produtos, e as mais inteligentes já tem feito isso por conta própia de forma gradual já há algum tempo, pois o que acontece se você fizer isso de repente? As pessoas não iriam gostar mais de seus produtos. Mas executando a mesma mudança de forma gradual a longo prazo é possivel haver uma adaptação.

E para finalizar, não podia deixar de falar do problema de tempo e disposição, já que nosso estilo de vida moderno, correria do dia a dia, deixamos de parar pra pensar e escolher opções mais nutritivas, e acabamos optando, sem perceber, por opcões rapidas e de elevado teor calorico. A comida e nossas refeições, tornaram-se mais uma “problema” que temos que resolver. A solução é mudança de habitos, planejamento, saber escolher os alimentos, criando um ambiente em que acabamos comendo melhor e isso reflita em nossa sensaçao de bem estar e prazer, virando modo de vida e uma “dependencia”.
Uma forma é deixar disponiveis apenas opções saudáveis ao nosso alcance, preparando receitas saudaveis que podem ser congeladas e usadas durante toda a semana.

MUDAR NOSSOS HÁBITOS, NOSSA ROTINA.

Referencias:
• Sabor umami: http://exame.abril.com.br/ciencia/noticias/cientistas-identificam-o-umami-como-um-quinto-sabor-encontrado-em-alguns-alimentos-e-temperos
• Estudo de 2006: http://eetonderzoek.nl/publikaties/havermans_en_jansen_appetite2007.pdf
• Estudo de 2010:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20541572
• Estudo de 2011 pras referencia http://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa1105816

Comments

comments

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Alimentação e Nutrição

Dieta do metabolismo rápido: perca até 10 quilos em 28 dias!

Published

on

By

Quando alimentação equilibrada e exercício não surtem efeito na balança, o diagnóstico é quase certo: metabolismo lento. Característica genética? Pode ser. Ou, então, sinal de que seu organismo está se defendendo das dietas restritivas às quais já foi submetido. O fato é que, nos dois casos, ele queima o mínimo de calorias para armazenar o máximo. A Dieta do Metabolismo Rápido – a escolha mais recente da atriz Jennifer Lopez para manter o corpo impecável – promete virar esse jogo ao fazer você incinerar gordura 24 horas por dia.

A perda de peso é animadora: menos 10 quilos em 28 dias. “Mas, para atingir essa meta, as regras da dieta devem ser seguidas à risca”, disse a criadora do método, a nutricionista norte-americana Haylie Pomroy, à BOA FORMA. Isso significa fazer cinco refeições por dia, comer 30 minutos (no máximo) depois de acordar, beber bastante água e consumir só os alimentos permitidos nas listas.

Você precisa enxugar só 2 ou 3 quilos? Ainda assim deve cumprir as mesmas recomendações por quatro semanas! É o tempo considerado necessário para qualquer pessoa sair do modo queima-lenta-de-gordura. “O resultado não é só uma aparência boa. Mas, sim, uma aparência fantástica e 100% de saúde”, afirma Haylie. Isso porque, segundo ela, além de restaurar e acelerar o metabolismo, a dieta aumenta o ganho de músculos e equilibra os hormônios.

Alimentando o fogo

Contagem de calorias e porções mirradas não existem. Na Dieta do Metabolismo Rápido, você pode comer verduras à vontade e carnes magras em doses generosas até mesmo na etapa mais radical, a fase 2. Em uma mesma semana, você passa por outras duas fases, a 1 e a 3 – cada uma com um objetivo diferente (confira a seguir).

Funciona assim: “A cada dois dias, três no máximo, a pessoa deve mudar a proporção de carboidrato, proteína e gordura saudáveis no cardápio”, explica Kátia Vieira, coaching oficial do método no Brasil. Ou seja, você não passa fome e nem cai na monotonia. Mas prepare-se para abrir mão dos produtos muito industrializados e daqueles com um potencial de provocar processos inflamatórios no organismo, como leite de vaca e derivados (queijo, iogurte), milho, soja e cereais com glúten (trigo, cevada, malte e aveia) e batata-inglesa. Também ficam de fora doces, sucos de fruta, frutas secas, café, refrigerante (normal e zero) e bebida alcoólica. Finalizadas as quatro semanas, esses alimentos podem voltar devagar ao cardápio. Mas, segundo Haylie, é bem possível que você prefira abrir mão de alguns deles para manter o peso certo e o bem-estar conquistados com a dieta.

Em tempo: para facilitar o resultado, a autora da dieta sugere associar exercícios às diferentes fases. Então, bora lá incinerar as gordurinhas?
1ª fase relaxar as glândulas suprarrenais

O objetivo é reduzir a secreção do hormônio cortisol, que, em excesso, aumenta os estoques de gordura. Nessa fase, que dura dois dias, o cardápio tem uma dose maior de carboidrato e, por isso, o índice glicêmico é alto. Para relaxar, o organismo precisa acreditar que não vai ser submetido a mais uma dieta restrita em calorias.

Alimentos permitidos
Verduras e legumes (à vontade, exceto batata-doce e cenoura, em porções moderadas). Abóbora, aipo, abobrinha, alcachofra, alface crespa, aspargo, berinjela, beterraba, brócolis, broto de feijão, cogumelo, couve-flor, inhame, mandioquinha, pepino, rúcula, tomate e vagem.

Frutas (três ou quatro porções). Abacaxi, amora, mirtilo, goiaba, kiwi, laranja, limão (taiti e siciliano), maçã, mamão, manga, melancia, melão, morango, pera, tangerina.

Proteína animal (porções controladas, veja o cardápio). Carne vermelha magra (patinho, alcatra, filé-mignon), rosbife e linguiça de frango sem nitrato, frango sem pele, peixe (atum em água, linguado, pescada, sardinha em molho de tomate) e clara de ovo.

Proteína vegetal (porções controladas). Feijão, grão-de-bico e lentilha.

Grãos e amidos. Arroz integral, aveia laminada sem glúten, leite de arroz sem açúcar, quinua e tapioca

Alimentos proibidos
Gordura. Mesmo as boas.

Exercício: pelo menos um dia, faça uma atividade aeróbica (andar, nadar).
2ª fase destravar a gordura armazenada

É a etapa mais restritiva. Não permite frutas, grãos e leguminosas. Mas dura dois dias apenas e as porções de proteína são generosas. Além disso, você vai adorar o objetivo: livrá-la dos estoques antigos de gordura, aqueles que resistiram a todas as outras dietas. O cardápio tem um índice glicêmico baixo.
Alimentos permitidos
Verduras e legumes (à vontade). Acelga, agrião, alface roxa, rúcula, alho-poró, endívia, erva-doce, espinafre e pimentão.

Fruta (à vontade). Só limão (siciliano e taiti).

Proteína animal (porções controladas). As mesmas opções da fase 1, mais carne de porco light, carne-seca, cordeiro, tilápia, ostra, peru, salmão defumado e sardinha em molho de tomate.

Alimentos proibidos
Proteína vegetal, amidos, grãos e gordura. Todos os tipos.

Exercício: pelo menos um dia, faça uma atividade com peso.
3ª fase queimar os estoques de gordura

Os alimentos fonte de gordura saudável voltam para o cardápio. É o momento em que as gorduras estocadas e mobilizadas na fase anterior serão usadas mais intesamente na forma de energia. Essa etapa dura três dias e tem um índice glicêmico médio.
Alimentos permitidos
Verduras e legumes. As mesmas das fases 1 e 2, mas procure variar ao máximo as escolhas.

Frutas. Ameixa, amora, coco, água-de-coco, limão, mirtilo, morango, pêssego, pitanga.

Proteína animal. As mesmas das fases 1 e 2, mais atum em azeite, camarão, carne de porco (lombo), cordeiro, lagosta, lula, ostra, salmão, sardinha em azeite e truta.

Proteína vegetal. Feijão, grão-de-bico, lentilha, leite de amêndoa ou castanha de caju sem açúcar.

Grãos e amidos. Arroz selvagem, aveia laminada sem glúten, quinua e pão ou torrada sem glúten.

Gorduras saudáveis. Abacate, azeitona, homus com azeite, pasta de oleaginosas (amêndoa, nozes, pecã), óleo de coco, azeite extravirgem, sementes cruas (abóbora, girassol, linhaça, chia), tahine (pasta de gergelim).

Exercício: pelo menos um dia, faça alongamento, ioga ou outra modalidade que promova o relaxamento, como meditação e massagem.

Menos 10 quilos em 28 dias

Comece na segunda-feira. Assim, fica mais fácil encaixar as três fases na mesma semana. Inspire-se nestes exemplos de cardápio e consulte as listas de alimentos permitidos para montar os outros dias. As três fases devem ser repetidas toda semana até você completar os 28 dias da dieta
1ª fase

SEGUNDA E TERÇA-FEIRA

Café da manhã: Vitamina de aveia (sem glúten) com frutas vermelhas ou tapioca recheada com pasta de grão-de-bico (sem azeite)
Lanche da manhã: 1 laranja (ou outra fruta da lista)
Almoço: Salada de verduras e legumes à vontade + 1 porção de frango com brócolis + 1/2 xíc. (chá) de quinua em grão cozida (prepare da mesma maneira que o arroz) + 1 rodela de abacaxi
Lanche da tarde: 1/2 xíc. (chá) de melancia cortada em cubos (coloque 1 col./chá de suco de limão-siciliano e 1 pitada de pimenta caiena, opcional)
Jantar: Salada de folhas e legumes à vontade + 1 filé (120 g) de filé-mignon grelhado + 4 xíc. (chá) de arroz integral com abobrinha ralada
2ª fase

QUARTA E QUINTA-FEIRA

Café da manhã: 3 claras mexidas ou cozidas (sugestão: separe a gema e coloque a clara com cuidado na água quase fervendo, deixe cozinhar por 5 minutos. Retire da água com uma escumadeira e tempere com sal, orégano e salsa picada)
Lanche da manhã: 2 fatias de salmão defumado (ou atum em água) + talos de erva-doce à vontade
Almoço: Salada de rúcula, alface roxa e cogumelo + 1 pimentão recheado com carne moída
Lanche da tarde: 3 fatias de rosbife (sem nitrato) + palitos de pepino à vontade
Jantar: 1 prato (fundo) de sopa de frango com hortaliças
3ª fase

SEXTA, SÁBADO E DOMINGO

Café da manhã: 1 torrada sem glúten com 1 ovo mexido com orégano e pouco sal + 1 copo (200 ml) de leite de amêndoa batido com 3 col. (sopa) de abacate
Lanche da manhã: 1 maçã assada com canela em pó (ou cacau em pó) + 1/4 de xíc. (chá) de castanhas cruas sem sal (amêndoa, castanha-do-pará)
Almoço: Salada de verduras e legumes à vontade + 1 porção de salmão assado com batata-doce + 1 pêssego
Lanche da tarde: 1 copo (200 ml) de água de coco + 1/4 de xíc. (chá) de castanhas cruas sem sal (nozes, amêndoas)
Jantar: Salada de alface crespa, cogumelo, tomate e azeitona + 1/2 xíc. (chá) de quinua em grão cozida + 4 col. (sopa) de carne moída refogada com azeitona e ovo cozido

Caldos, especiarias e condimentos

Fase 2

Estévia, caldo de frango ou legumes sem corante e conservantes (use no lugar do óleo para refogar, assar e grelhar os alimentos), chás de ervas sem cafeína, ervas, gengibre, picles sem açúcar e mostarda.

Fases 1 e 3

Todos os da fase 2, mais cacau em pó (sem açúcar), canela, cúrcuma, vinagre e pimenta-do-reino e vermelhas (dedo-de-moça, caiena).
Água
Beba pelo menos 2 litros por dia, entre as refeições, além de chá de ervas sem cafeína (se quiser adoçar, use apenas estévia).
Tempero para salada
Nas fases 1 e 2, use limão, gengibre e pimenta (dedo-de-moça, do-reino, caiena) à vontade – são ingredientes que ajudam a desinflamar o organismo, facilitando a queima de gordura. Acrescente azeite somente na fase 3.

Comments

comments

Clique para Ler

Alimentação e Nutrição

Coach Gabi Lodewijks ensina segredo para emagrecer comendo tudo que gosta

Published

on

A coach nutricional Gabi Lodewijks (Foto: Vivian Costa Photography)

A coach nutricional Gabi Lodewijks, especialista em Programação Neurolinguística (PNL) e criadora do projeto Vida Saudável de emagrecimento definitivo, afirma que é possível manter-se magro comendo o que gosta, sem culpa e sem crises:

“Quando a nossa mudança é mental, quando aprendemos a nos relacionar melhor com a comida, fica muito mais fácil emagrecer comendo o que gosta. Temos que aprender ter uma alimentação sem restrições, quanto mais restrita uma dieta é mais chances tem de desencadear um ataque de gula”.

Gabi afirma que é possível emagrecer comendo o que gosta, basta mudar alguns hábitos: “não se prive demais, coma o que tem vontade a hora que quiser em pequenas porções. Antes de comer, tente detectar se há uma emoção ligada á essa vontade de comer. Devemos separar nossas emoções dos alimentos, para não ‘comermos nossas emoções’, o que prejudica qualquer dieta”.

A coach nutricional ensina o passo a passo para lidar com as emoções e emagrecer comendo tudo que gosta:

1- Comendo emoções

Quando se sentir triste, irritada, braba, chateada e quiser comer, pare e escreva o que esta sentindo. Tente ver de onde vem essa emoção e como poderias resolver isso sem ser comendo. Muitas pessoas comem para tentar diminuir o que estão sentindo, mas isso está errado porque ao invés de resolver o problema, só o aumenta, e isto vira um circulo vicioso, tal qual pessoas que mergulham na bebida para esquecer os problemas, comendo emoções ao invés de resolvê-las.

2- Coma sem culpa

Antes de comer algo, analise o alimento. Cheire, sinta a textura e coma-o com prazer. Tire o foco da quantidade e foque na qualidade do que irá consumir. Não existem alimentos certos ou errados, alimentos que engordam ou emagrecem, o que irá te engordar ou emagrecer é o seu estilo de vida. Mude seus hábitos, mude seu estilo de vida e seja feliz comendo tudo que você gosta com moderação. Busque consumir alimentos de qualidade, assim seu corpo será nutrido e estará saciado e você consequentemente comerá menos.

3- Evite industrializados

Invista em comida de verdade e evite alimentos industrializados, doces, alimentos gordurosos. Mas quando der vontade de comer algo assim, coma! Passe a falar para você mesma “eu nao quero”ao invés de “eu não posso”. Quando algo é proibido, você irá pensar mais nele do que se ele nao for proibido. Se eu disser pra você: Nao pense em um elefante branco com bolinhas amarelas, você provavelmente será induzido a pensar nesta cena, e ficará por um tempo imaginando o tal elefante. O mesmo acontece quando te falam, ou você fala para você mesma que não pode comer chocolate, beber cerveja, comer salgadinho. Esses alimentos ficaram assombrando sua mente e quando você se permitir comê-los vai comer uma quantidade maior e ainda por cima se sentirá culpada por ter comido algo “proibido”. Nao existem proibições. Você precisa mostrar a você mesma quem está no controle.

4- Analise seus hábitos

Lembre de anotar o que você come, quantidade, horário para saber como está sua alimentação, pois se você nao sabe o que te faz engordar como saberás o que fazer para emagrecer? Analise seus hábitos.
Tenha uma alimentação balanceada e se permita consumir guloseimas quando tiver vontade. Se você come certinho 80-90% durante a semana, por que nao comer algo que gosta no final de semana? Claro que se você quiser comer fast-food e guloseimas todos os dias, ai ficará difícil emagrecer, mas se há um balanço é possível sim emagrecer sem deixar de comer o que gosta.

5- Exercite-se

Lembre de conciliar uma alimentação equilibrada com exercícios físicos, que nao são apenas importantes para o emagrecimento mas sim para sua mente e saúde em geral.

6- Siga o plano

Não adianta ficar mudando as estratégias nutricionais, procurando uma dieta mais ou menos restritiva, você precisa aprender a lidar com a comida, se relacionar melhor com os alimentos e dessa forma irá emagrecer sendo feliz, sem estresse, sem proibições. A mudança vem de dentro, na nossa mente. Quantas vezes você mudou sua forma de comer e nao mudou sua forma de pensar?

Comments

comments

Clique para Ler

Alimentação e Nutrição

Musa da Gaviões Milla Summers revela segredo para ter disposição para o desfile e os treinos

Published

on

Reprodução / MF Press Global

Não é nada fácil ter pique para as atividades e rotina de trabalho e do cotidiano, familia, filhos, vida social, e ainda render bem nos treinos e levar uma vida fitness. Qual seria o segredo para manter a boa forma e a disposição para encarar todos esses desafios?

Milla Summers, que além de musa fitness e advogada, virá este ano como  musa do carnaval na Gaviões da Fiel, revelou o seu segredo para ter energia para todas as suas atribuições: “É muito comum no meio dos fisiculturistas o uso de produtos, ingeridos em forma líquida e oral, chamados ‘pré treino’, que prometem dar energia para andar a ‘milha extra’ na malhação. No meu caso, eu opto principalmente por alternativas  naturais, que me dão mais energia para levar meus treinos até o fim e cuidar da minha família, filhas e trabalhos”.

Musa fitness Milla Summers em ensaio na Gaviões da Fiel

Milla Summers ensina quatro receitas de seu pré treino natural, para ajudar você a ter mais pique e disposição para ir a luta:

Pré treinos naturais da musa fitness Milla Summers

Pré treino natural de pepino: Indicado para quem pratica corrida e exercícios aeróbicos, esse suco de pepino e repolho ajuda a ter mais disposição e é fonte de vitaminas A, B e C, que fortalecem o sistema imunológico.

Ingredientes


2 pepinos

1 repolho roxo inteiro

250ml de água 

1 copo de brotos de alfafa


Preparo: bater no liquidificador

Bomba de energia de gengibre: O gengibre tem propriedade anti-inflamatória e poder de aumentar a circulação do sangue. 


Ingredientes


1 limão

 3 maças

5 cenouras

1 pedaço de gengibre

2 maços de salsa

250ml de água


Preparo: bater no liquidificador.


Revitalizante de pepino e aipo: reduz a dor muscular, as inflamações e os espasmos, e ajuda na hidratação do corpo.


Ingredientes


1 pepino

1 pera

3 talos de aipo

meio limão

250ml de água


Preparo: bater no liquidificador.

Booster de banana e amêndoas: aumenta a energia, acelera o metabolismo, e ainda é rico em potássio e proteínas.


Ingredientes


1/2 banana congelada

3/4 de copo americano de leite de amêndoas

1/4 de copo americano de café gelado sem acúcar

1 scoop de proteína de chocolate (whey protein)

1 porção de gelo


Preparo: bater no liquidificador.

Comments

comments

Clique para Ler
Advertisement

Facebook




Mais Acessados