Connect with us

Alimentação e Nutrição

Famosa que secou muito volta a ganhar peso e tem dificuldade em recomeçar: o que fazer

Published

on

A ex-BBB Paulinha Leite, que emagreceu mais de 44 kg em apenas 11 meses sem cirurgia, compartilhou com seus seguidores a dificuldade que vem enfrentando para manter a forma.

Isso porque, segundo contou no Instagram, ela precisou ficar quase um ano afastada da academia devido a um problema no joelho, o que a fez recuperar 9 kg.

“Nunca pensei que ficar sem poder treinar me deixaria tão triste. E o medo de engordar 46 kg tudo de novo? Ainda bem que isso não aconteceu, mas o corpo sentiu, é claro, e a balança também: mais 9 kg. Agora, comecei tudo do zero”, contou Paulinha em um post na rede social.

A ex-BBB relata que está sendo muito difícil se motivar novamente para retomar a rotina de exercícios físicos. “Tem só duas semanas que retornei à academia, e sabe aqueles dias em que você não quer sair da cama? Pois é, este está sendo o meu dia.”

Paulinha ainda comparou o momento com o início de seu processo de emagrecimento, quando, segundo ela, “ia arrastada para a academia” e até chorava. “Já passei por vários dias assim, principalmente no início, 4 anos atrás. Mas eu consegui antes e vou conseguir de novo.”

Emagrecimento de Paulinha Leite

A famosa, que começou a ter problemas com o peso quando tomou remédio para emagrecer 5 kg e acabou desenvolvendo o efeito sanfona, conseguiu secar em menos de 1 ano fazendo atividades físicas e seguindo à risca a dieta Dukan, que restringe drasticamente a quantidade de carboidratos e gorduras do cardápio e privilegia o consumo de proteínas magras.

O método é conhecido por promover a perda de peso rápida, mas pode ser um tiro no pé. Isso porque a privação de um importante nutriente como o carboidrato, principal fonte de energia do corpo, pode estressar o organismo a ponto de fazê-lo reduzir o metabolismo na tentativa de economizar energia, já que sua fonte se torna escassa.

Além disso, a longo prazo, as dietas drásticas tendem a provocar o reganho de peso em quase 100% dos casos. Por isso, o efeito não é exclusividade de Paula, pelo contrário.

De acordo com a nutricionista clínica funcional Mariana Gonzalez Neri, quanto mais rápido o indivíduo emagrece, mais rápido retorna ao peso anterior. Isso, segundo a especialista, está relacionado à memória e à adaptação do próprio corpo, que já está “acostumado” a ter um determinado peso.

Efeito sanfona: por que é tão comum voltar a engordar após a dieta?

De acordo com um estudo publicado pela revista Obesity, após dois anos de acompanhamento, pessoas que perderam peso lentamente tiveram mais sucessoem manter as medidas do que aquelas que seguiram regimes muito rígidos e secaram rapidamente.

“É uma forma de defesa do corpo, porque ele está acostumado com aquilo, com aquele tipo de estocagem, quantidade e peso. Então, é confortável para o corpo. Por isso, quanto mais rápido você perde peso, mais rápido você o recupera”, explica Neri.

Dietas restritivas não funcionam

O emagrecimento saudável e duradouro está relacionado com a prática regular de atividades físicas e com o tempo natural de cada um para a perda de peso. Por isso, dietas que provocam um emagrecimento muito rápido, a longo prazo, podem não ser uma boa ideia.

Isso acontece porque o cérebro percebe a perda de peso como um grande perigo e desenvolve mecanismos de adaptação para proteger o corpo, ligando todos os genes para mantê-lo vivo e funcionando, o que acaba aumentando o apetite e deixando o metabolismo lento. “O ideal seria perder um pouquinho por mês”, sugere Neri.

Dificuldade em voltar a treinar é normal?

Na legenda de seu post, Paulinha revela que as primeiras semanas de volta à academia não estão sendo fáceis. Isso que ela está sentindo é comum, ainda mais depois de um longo período afastada, como foi seu caso.

Depois de um tempo longe dos treinos, é comum que as pessoas se sintam frustradas por não conseguirem executar os mesmos exercícios de antes ou que se sintam muito mais cansadas.

Para o educador físico e master trainer da rede de academia Bodytech Andre Trombini, é preciso reconquistar o aluno que está voltando à academia. Segundo ele, não adianta buscar incentivá-lo colocando treinos muitos complexos ou cansativos, porque isso só irá afastá-lo ainda mais. O melhor, nesses casos, é ir aos poucos, retomando as atividades pelas quais a pessoa mais se interessa.

“É preciso entender que, nesse tempo parado, o aluno colocou outras prioridades no tempo da academia. E, por isso, não adianta fazer treinos de longa duração que ele não vai fazer. O mais comum, nesses casos, é termos feedback de que o aluno está muito cansado e acabou procrastinando a atividade. Você precisa envolver mente e corpo para ter essa pessoa do seu lado.”

Como evitar ganho de peso após a dieta?

Para Mariana Neri, o melhor modo de manter o peso é através da reeducação alimentar, com uma mudança gradual de hábitos e o emagrecimento pouco a pouco. Isso daria tempo para o corpo e a mente assimilarem as mudanças.

“É claro que esse peso um dia estaciona, mas aí a gente entra com estratégias mais restritas pontualmente para garantir essa perda de peso”, afirma, ressaltando a importância de um acompanhamento médico consciente.

O grande desafio após a conquista do peso “ideal” é superar o medo de comer. Não raro, as pessoas que perderam grandes volumes ficam apreensivas de comer pelo medo iminente de voltar ao peso inicial.

Neste processo, além do respeito à própria fome, é importante seguir três dicas básicas:

  • Dizer não à dieta;
  • Preferir alimentos naturais (frutas, verduras, legumes, cereais, carnes) aos industrializados (fast-food, refrigerante) no dia a dia;
  • Adquirir o hábito de cozinhar.

Comments

comments

Alimentação e Nutrição

O que comer antes de dormir

Published

on

By

Uma das preocupações de quem treina é o que comer antes de dormir. Qual seria a refeição ideal para comer antes de dormir? Algumas pessoas levam em consideração a queda do metabolismo nesse período do dia e evitam carboidratos. Já outras, preferem consumir apenas shakes de caseína. Seria então o correto comer algo mais leve, como frutas?

Para começar, temos que entender um pouco como fica o nosso metabolismo após dormir. Segundo o International Journal of Endocrinology, o nosso metabolismo cai em 15% e nesse período temos o cortisol e o hormônio do crescimento regulando o metabolismo da glicose. Nas primeiras fases do sono temos ainda uma relativa resistência insulínica. E dessa ideia surge a teoria que deveríamos evitar carboidratos à noite e antes de dormir, para não ganhar peso e acúmulo de gordura.

Porém, há pesquisas que indicam efeitos contrários aos que defendem a teoria de não comer carboidratos antes de dormir. Muitas das respostas metabólicas do nosso corpo a determinados comportamentos em relação à dieta depende da individualidade biológica e genética. Imagine que para uma pessoa com dificuldade de ganhar peso, muito magra e com o metabolismo acelerado, comer carboidratos antes de dormir com certeza não deverá acumular gorduras.

Na prática, ouvimos muito que algumas pessoas que cortaram o carboidrato do jantar e do lanche da noite, conseguiram emagrecer. Podemos interpretar então que somente se perde peso se diminuir as calorias?

Segundo o conceito geral da individualidade, existe a indicação correta, da refeição perfeita, de acordo com cada objetivo. Claro que ter o controle da dieta ao longo do dia é essencial. Estudos sobre nutrição tem mostrado que pessoas que se alimentam com relativa quantidade de carboidratos antes de dormir estão mais saciadas na manhã do dia seguinte. Fizemos então 2 possibilidades para realidades diferentes:

Se você não sente fome ao acordar — evite carboidratos antes de dormir.

Opção de refeição:

Proteína animal com salada verde ou Shake de proteínas batido com água.

O café da manhã é a refeição mais importante do dia. Muitos dos nutrientes são melhores absorvidos nesse horário. Trabalhar o nosso metabolismo para sentir fome ao acordar é o ideal e retirar os carboidratos das refeições à noite diminuem a saciedade e fará com que sinta fome ao acordar.

Se você sente muita fome durante à noite — coma cereais como fonte de carboidratos.

Opção de refeição:

50g de corn-flakes sem açúcar com 150ml de leite desnatado, 50g de abacate com 1/2 scoop de proteínas.

Pesquisas nos EUA, apontam que pessoas que consumiram cereais do tipo corn-flakes antes de dormir perderam peso, levando em consideração o hábito noturno de comer lanchinhos. O cereal não apenas ajuda a controlar a ingestão excessiva de calorias como psicologicamente ajuda no controle da dieta. O acréscimo de gorduras boas, como o abacate, também irá ajudar na saciedade assim como as proteínas.

Para outras situações como: emagrecimento, ganho de massa magra, queima de gordura localizada, o cuidado geral com a dieta parece ser o mais eficiente. O controle das refeições ao longo do dia é o que trará os resultados. Visto que o horário da ingestão dos alimentos, exceto no café-da-manhã é indiferente. Retirar os carboidratos da noite na intenção de perder peso sem o controle dos mesmos durante o dia não resultará em emagrecimento.

As proteínas devem sempre estar presentes, seja in natura como leite ou carnes, ou seja como suplementos de proteínas. Nesse último caso indico os “blends” (são suplementos que contém diversos tipos de proteínas), e em especial a mistura da albumina e da caseína — proteína de digestão mais lenta. As gorduras também devem estar nessa refeição para equilibrar a saciedade ou até mesmo a absorção dos nutrientes, entre elas: abacate, coco, alimentos ou suplementos de Ômegas, castanhas, pasta de amendoim, nozes e amêndoas. Já os carboidratos, devem também estar presentes e especialmente em quantidades apropriadas, de preferência carboidratos acompanhados de fibras como integrais e frutas.

 

Proteínas de digestão mais lenta:

Abaixo, indicamos 4 opções de refeições noturnas:

Opção 01:
Porção de salmão grelhado + uma colher de café de azeite de oliva + 100g de legumes variados

 

Opção 02:
1 shake de proteínas + 3 castanhas do pará + 3 bolachas de arroz

 

Opção 03:
2 bolachas de arroz com queijo minas light + 1 iogurte baixo açúcar + 1 colher de sobremesa de pasta de amendoim

 

Opção 04:
50–80g de abacate + 1 scoop de blend de proteínas + 2 colheres de mel = misturar e fazer uma papinha.

 

Experimentem essas dicas e vejam os resultados aparecendo!

 

 

Artigo escrito pela atleta Lara Sulianno (atleta Xcore Nutrition)

 

Fontes:
Sharma S, Kavuru M. Sleep and Metabolism: An Overview, International Journal of Endocrinology, volume 2010 (2010), article ID 270832 http://dx.doi.org/10.1155/2010/270832

Waller SM1, Vander Wal JS, Klurfeld DM, McBurney MI, Cho S, Bijlani S, Dhurandhar NV.,Evening ready-to-eat cereal consumption contributes to weight management. Am Coll Nutr. 2004 Aug;23(4):316–21

Comments

comments

Continue Reading

Alimentação e Nutrição

O que comer após o período de jejum no JEJUM INTERMITENTE?

Published

on

By

Muito se ouve falar atualmente sobre o termo Jejum Intermitente. Agora você vai saber tudo sobre ele, o queridinho das famosas (a dieta da Deborah Secco), vai saber como funciona o jejum intermitente, que promete emagrecer de forma rápida e segura, apenas regulando o horário e a quantidade das refeições. Será que o jejum intermitente emagrece realmente?

O que é Jejum Intermitente?

No mundo fitness, nas revistas sobre saúde e beleza, nos sites de dietas, em todos os cantos pode-se observar o aparecimento dessa nova “técnica” de emagrecimento. Jejum Intermitente, nada mais é que: comer quando se está com fome.

Todos sabem como é a rotina de alguém que quer seguir uma dieta saudável, balanceada e trabalha, por exemplo. É aquela dor de cabeça, na noite anterior prepara-se marmitinhas para o dia todo. Café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, café da tarde, jantar, ceia, e olhe lá se não tiver mais alguma refeição. O Jejum Intermitente promete mudar esse problema, pois consiste em fazer refeições mais balanceadas, menos vezes por dia.

Para aderir ao JI, você deve antes adequar a sua dieta. E a dieta ideal para isso deve ter como base verduras, legumes, carnes e ovos. Para melhores resultados, é interessante diminuir muito a quantidade de carboidratos, e se preciso, aumentar a quantidade de gorduras boas.
Como a Alimentação Paleo já diz: não tenha medo das gorduras naturais. Mas isso não significa forçar o consumo das mesmas, e sim, utilizar as gorduras dos alimentos sem medo.
Para você entender melhor, quando ingerimos acima de certas quantidades de carboidratos, o organismo aumenta a produção de insulina, o que reduz a taxa de glicose no sangue. Quando isso ocorre, logo vem a fome outra vez. Você nunca percebeu, que após comer uma pratada de macarrão, ou um pão com alguma coisa, logo a fome apareceu novamente?

Experimente, por um dia, trocar refeições normais (arroz, macarrão, pães) por refeições sem carboidratos (alguns legumes, verduras, carne, frango, ovo). Você vai perceber que esse tipo de alimentação sustenta muito mais, além de ser muito mais saudável.

Dieta do Jejum Intermitente

Para seguir esta dieta é bem fácil (teoricamente). Você precisa adaptar o seu corpo a ingerir menos carboidratos, portanto, antes de começar o jejum, resolva esse quesito na sua alimentação diária. Quando você fizer isso, perceberá que a fome vai diminuir, junto com ela, a necessidade de 6, 7 ou 8 refeições diárias.
O segundo passo é esquecer açúcar, acostume-se ao cafézinho, chá, sucos, e outras bebidas sem ele. De preferência puros. Por mais que pareça impossível e desumano tomar um café sem açúcar, é uma questão totalmente de costume. Na pior das hipóteses, utilize algumas gotas de adoçante.
Depois do corpo acostumar a ficar sem glicose, proveniente da alimentação, à disposição (produto da quebra dos carboidratos no organismo), os baixos níveis de insulina irão fazer com que a vontade de comer fique cada vez mais reduzida. Agora é a hora de iniciar o jejum com tranquilidade, pois seu corpo já está se utilizando da quebra de gordura de reserva para gerar energia.

Como fazer Jejum Intermitente Passo a Passo

O método mais comum, é fazer Jejum diariamente, por 16 horas, ficando as outras 8 horas livres para alimentação. Uma ideia seria almoçar e jantar dentro dessas 8 horas, e o restante do tempo jejuar.

Eu, pessoalmente, creio que com o tempo não há a menor necessidade de criar um mecanismo para que você cumpra a dieta. Coma quando tiver fome dentro dessas 8 horas, quando o organismo se acostumar, ficará em piloto automático e você nem vai se lembrar que está jejuando.

Os métodos de Jejum intermitente mais conhecidos são:

  • Jejum de 16 horas
    Como foi dito, é o mais comum, consiste em comer em uma janela de 8 horas por dia, e não comer nas outras 16 horas. Para facilitar, vou dar um exemplo:
    Se você dorme das 23h as 7h, já são 8 horas de jejum. Basta adicionar 4 horas antes de dormir e 4 horas depois de acordar em jejum. Ou seja, acordar as 7h, almoçar depois das 11h e jantar antes das 19h;
  • Jejum de 24 horas
    Consiste em fazer 24 horas de jejum, duas vezes na semana. Exemplo: Se você jantar hoje as 20h, fique até amanhã as 20h sem comer nada. Repita outra vez na semana;
  • Jejum de 36 horas
    Este tipo de jejum, não é recomendado para qualquer um. Todos devem ser acompanhados por um profissional, mas esse mais ainda. Em alguns casos, as pessoas necessitam usufruir melhor e por mais tempo do JI, portanto é aqui que o Jejum de 36 horas se encaixa;
  • Dieta 5:2
    Consiste em comer 2 dias na semana, apenas 500-600 calorias por dia. Nos outros dias a alimentação é normal (saudável e bem estruturada);
  • Dieta do Guerreiro
    Esta dieta consiste em comer durante o dia apenas vegetais (em alguns casos adiciona-se fruta) e durante a noite fazer uma refeição normal. Nessa dieta, a alimentação provem de “comida de verdade” (assim como a paleolítica), onde tudo que se come deve ser natural, o mínimo industrializado possível.

Jejum intermitente emagrece?

Como você pode ver, existem inúmeras maneiras de fazer JI, além do que, esses citados são apenas os mais conhecidos. Pode ser que um profissional te oriente a fazer de outra forma , já que essas questões variam de pessoa para pessoa.

O jejum intermitente, assim como qualquer mudança brusca na alimentação, necessita do acompanhamento de um profissional.

E eu gostaria de lembrar que para perder peso, você só precisa de uma coisa: ingerir menos calorias do que gasta. Isso é difícil mensurar, pois, para viver, para andar, para correr, para dormir, para tudo, nós gastamos calorias. Inclusive, hoje em dia as dietas atuais nem contam mais calorias. O que eu quero dizer é que não adianta fazer horas e mais horas, ou mesmo dias de jejum intermitente, e comer o que quiser, demasiadamente e sem qualidade nas janelas. Coma corretamente assim como em qualquer outra dieta.

Jejum intermitente e hipertrofia

A principio, nos primeiros dias de jejum, não é recomendado treinar depois de muito tempo sem comer, sob o risco de sentir náuseas, fortes dores de cabeça e tontura. Após esse período de adaptação, muitos praticantes já relataram total tranquilidade para fazer o treino, dentro da janela ou não. Pode ser que seja questão de costume, pode ser que algumas pessoas não se adaptem. Alguns médicos, nutricionistas e educadores físicos tem defendido e estudado os treinos durante jejum. De qualquer forma, para nós, “meros mortais”, que treinamos apenas em busca de um corpo bacana, definição leve e saúde, e não profissionalmente, o ideal é tentar treinar sempre durante as janelas de alimentação. Vamos falar mais sobre isso logo a seguir.

Quais são os benefícios do JI?

O Jejum intermitente tem incontáveis benefícios, listados abaixo, estão alguns deles:

  • reduz a depressão;
  • aumenta a concentração;
  • diminui a ansiedade;
  • acelera o metabolismo;
  • ajuda a regular a pressão;
  • auxilia no emagrecimento
  • propicia uma melhora hormonal;
  • facilita o preparo da comida;
  • para quem trabalha, são menos potinhos na mochila;
  • menos fome, mais saciedade;
  • aumenta os níveis de hormônio do crescimento;
  • melhora a reparação celular;
  • reduz a resistência a insulina;
  • reduz inflamações;
  • previne certos tipos de câncer;
  • reduz o colesterol ruim;
  • pode prevenir o Mal de Alzheimer;

Quais são as contra indicações do JI?

Antes de mais nada, as mulheres devem ter mais cautela ao fazer o Jejum. Alguns estudos mostraram que algumas mulheres podem piorar o nível de glicose fazendo JI. Por isso é importante o acompanhamento profissional, e o principal, o teste. Se não estiver servindo para você, não faça. Simples assim.
Crianças, adolescentes, mulheres grávidas, diabéticos e idosos não devem fazer jejum intermitente em hipótese alguma.

Qualquer dúvida consulte um especialista.

Saiba antes de fazer o Jejum Intermitente:

Água e outros líquidos – O que pode beber no jejum: são liberados água, café sem açucar, chá sem açucar, e somente em casos extremos de fome ou fraqueza, suco de fruta puro.

Ou seja, para tirar uma das grandes dúvidas que o pessoal pergunta: pode tomar e beber água no jejum intermitente sem problema algum! 

Suplementação:  polivitamínicos, creatinas, minerais, aminoácidos como BCAA’s, podem ser consumidos durante o Jejum intermitente. Não é apropriado tomar whey, albumina, e outros suplementos calóricos, pois assim você estará saindo do jejum.

Quer um aliado na dieta? Conhece os melhores termogênicos naturais do mercado?

Atualmente o mercado de suplementação é muito amplo e completo. Porém, você deve tomar muito cuidado com produtos que custam muito mais do que valem, e principalmente com produtos cheios de químicas. Muita gente nos manda e-mail e comentário perguntando sobre termogênicos, então nós estamos fazendo algumas postagens sobre os mais conhecidos do mercado, talvez você possa se interessar:

 

Massa Muscular: algumas pessoas pensam que fazendo JI, perderão massa muscular. Assim como na alimentação normal, vai depender da quantidade e qualidade da comida ingerida. Quem treina e busca hipertrofia deve ter em mente que a alimentação durante as janelas devem suprir todas as necessidades para o aumento de massa magra. Se tudo estiver nos conformes, nenhuma grama de massa será perdida, possivelmente ocorrerá um aumento dela.


Café da manhã: 
quem faz o JI de 16/8 costuma tomar café puro ou com adoçante de manhã para tirar uma possível fome matinal. Caso a fome seja muito grande (não passe fome, em hipótese alguma isso faz bem), coma uma fruta. Nos primeiros dias é comum sentir fome de manhã, principalmente quem ainda não está acostumado com a dieta.

Exercícios e treinos: 
procure treinar dentro do horário de alimentação, se não for possível e você for obrigado a treinar em jejum, tome BCAA’s no pré treino. Lembre-se de fazer uma refeição caprichada no pós treino, caso busque hipertrofia. Há controvérsias sobre treinos e aeróbicos em jejum, portanto, se sentir qualquer desconforto suspenda a atividade.

Dicas Finais: o Jejum Intermitente, é uma mudança brusca e significativa na sua alimentação. Para evitar possíveis desconfortos, danos a saúde, e outros problemas, tenha em mente que você deve ter uma alimentação saudável. Não adianta fazer JI e quando for comer, se entupir de porcarias.

Este artigo é meramente informativo. Antes de começar, procure acompanhamento profissional. 

Comments

comments

Continue Reading

Alimentação e Nutrição

Após sentir dificuldades para brincar com a filha, mulher emagrece 45 kg

Published

on

By

Com mudanças simples na alimentação e na rotina de exercícios, Christine Carlos conseguiu alcançar seu objetivo

Ter uma criança em casa exige muita disposição dos pais, já que elas possuem uma imensa quantidade de energia e querem brincar o tempo todo. No entanto, devido ao cansaço ou a simples falta de tempo, pode acabar criando uma distância entre os adultos e a criança. Para Christine Carlos, o motivo para nunca brincar com o filha foi o seu peso.

Em 2012, durante uma viagem a praia, Christine percebeu que estava sem fôlego para brincar com a menina na areia. Na época, a mulher pesa aproximadamente 100kg. “Eu estava ficando muito grande e preguiçosa”, revela ao Popsugar.

Foi nesse dia que ela tomou a decisão de que precisava mudar algumas coisas em sua vida. “Eu queria estar em boas condições para o crescimento da minha criança. Eu senti que precisava estar no controle de mim mesma e fazer isso pela minha filha”, disse.

Então, Christine passou a falar alterações na sua dieta, tirando frituras e alimentos processados. Entre as principais mudanças realizadas no cardápio foi que ela passou a conter mais vegetais e quantidades menores de carboidrato. Outra modificação que ela fez em sua rotina foi aumentar o consumo de água, passando a beber, no mínimo, cinco litros de água por dia. No entanto, no início ela se permitia ter um “dia do lixo”.

Em apenas 1 ano, Christine emagreceu 45Kg

Além disso começou a praticar exercícios. Para ajudar nessa tarefa, Christine comprou uma esteira e colocou em seu porão, começando a fazer 45 minutos de exercício seis vezes por semana. Inicialmente, ela só conseguia caminhar, por causa de seu peso, mas depois começou a progredir até avançar para corrida. Contudo, para deixar o treino mais interessante, ela também realizava exercícios de alta intensidade.

Após 1 ano de transformações da alimentação e fazendo atividades físicas, Christine conseguiu emagrecer 45kg. Atualmente com 63kg, ela pratica musculação cinco dias por semana e faz 30 minutos de cardio três vezes por semana. Quanto à sua alimentação, Christine disse que sua dieta é “mais intuitivo” hoje em dia, o que significa que ela come alimentos nutritivos, como proteína, vegetais verdes, carboidratos complexos e gorduras saudáveis.

A história de Chrstine é um exemplo a ser seguido, por isso se você está querendo mudar saiba que é possível. “Leve um dia após o outro. Não pense a longo prazo e se concentre somente no que você precisa naquele momento. Se você focar apenas em como quer parecer, será facilmente desencorajado. Acima de tudo, seja generoso com você e ame o processo”, completa.

Comments

comments

Continue Reading
Advertisement

Facebook

Mais Acessados