Connect with us

Destaque

Glicogénio – Descanso para reposição energética e aumento de massa muscular

Published

on

Uma dieta deficiente em carboidratos reduz rapidamente o glicogênio muscular e hepático e, subsequentemente, reduz o desempenho nos exercícios intensos e de curta duração, assim como nas atividades prolongadas.
A redução do conteúdo das reservas de glicogênio (muscular/hepática) está associada à ocorrência de fadiga. Para melhorar a performance, os CHO são consumidos antes, durante e depois do exercício. A reposição do glicogênio utilizado após o exercício é um aspecto fundamental na recuperação da capacidade de endurance.

A preocupação quanto ao tipo, frequência e quantidade do consumo de CHO merece atenção, principalmente quando o indivíduo necessita de reposição rápida do estoque (entre 4 a 6 horas). Quando a reposição é considerada no contexto de 24 horas após o exercício, essas preocupações quanto a particularidades na administração do carboidrato, em geral, não se justificam.
Dada a importância dos carboidratos para a performance de exercícios aeróbios de longa duração, recomenda-se que indivíduos que se exercitam regularmente devam consumir uma dieta entre 55% e 70% de seu total calórico na forma de carboidratos.

Quanto ao tipo de carboidrato a ser consumido, glicose e sacarose são os que possuem a maior capacidade de repor glicogênio muscular quando comparados com a frutose, nas seis primeiras horas após o exercício, em virtude de seu elevado índice glicêmico. Essas refeições se revelam extremamente eficazes com uma dose de 0,7 g/Kg de peso corporal, quando feitas a cada duas horas, no transcorrer das seis horas após o exercício. O crescimento muscular ocorre em três fases:

1. Estimulação: O stress, causado durante o treinamento pelas sobrecargas metabólicas e tensionais, provoca microlesões nos músculos envolvidos que caracterizam a estimulação.

2. Recuperação: Envolve tanto a reparação dessas microlesões como também o restabelecimento energético num patamar superior ao anterior. Esta fase de recuperação é fundamental para o desenvolvimento muscular a fim de se preparar para estímulos subsequentes mais intensos. Se o atleta não estiver completamente recuperado e houver fornecimento de nova sobrecarga, a musculatura responderá de maneira negativa, desfavorecendo o desenvolvimento muscular. Em se tratando do treinamento de hipertrofia muscular, acredita-se que a recuperação ocorra entre 48 e 72 horas, considerando uma alimentação adequada e outros fatores, tais como o descanso.

3. Crescimento: O processo de crescimento muscular, portanto, ocorre em sua maior parte não durante o treinamento e sim no período de descanso. A síndrome do overtraining se manifesta primariamente no sistema nervoso depois alcançando o sistema muscular.

RECUPERAÇÃO PÓS-EXERCÍCIO

Imediatamente após o exercício: 1 a 2 horas após o treino, os músculos que estavam ativos se preparam para restabelecer a energia gasta e maximizar a entrada de nutrientes. Este é o estado em que o corpo se encontra mais receptivo à absorção e armazenamento de energia.

Geralmente o corpo experimenta uma diminuição natural de insulina circulante durante o exercício. Esta situação é superada por uma mudança nas células do músculo exercitado. Acredita-se que durante o exercício físico uma terminada proteína presente na membrana da célula é ativada por gatilhos de receptores de insulina, permitindo que a glicose entre na célula sem depender da insulina. Este fenômeno é conhecido como fase insulino-independente. Esta fase ocorre até duas horas após a atividade física, quando consumimos um alimento, a insulina é lançada no organismo, mas quando é lançada na fase insulino- independente teremos dois mecanismos que agem para levar nutrientes para as células do músculo trabalhado, ambos os processos fazem com que os nutrientes entrem as células mais rapidamente, neste período importante para recuperação. Daí a importância da suplementação pós treino com Dextrose.

Estudos demonstram que uma dieta adequada em carboidratos e proteínas cria uma resposta insulínica mais pente na recuperação do glicogênio muscular e para o anabolismo.

SÍNTESE DE GLICOGÊNIO MUSCULAR

Em média, apenas 5% do glicogênio muscular utilizado durante o exercício é ressintetizado a cada hora após o exercício. Da mesma forma, para que a restauração seja total, são necessárias ao menos 20 horas após a prática de exercícios intensos, desde que sejam consumidos carboidratos em quantidades adequadas.

Durante dias consecutivos de competição, ou de treinamento intenso, recomenda-se que os atletas consumam carboidratos entre 15 e 30 minutos após o exercício, com porções adicionais a cada 2-3 horas. No caso de treinos de endurance, a restauração do glicogênio muscular é um fator fundamental para o rápido restabelecimento da capacidade de realizar o exercício. Mesmo sem a ingestão de carboidratos, a reposição do glicogênio muscular pode ocorrer a partir da reutilização do lactato produzido durante o exercício intenso (o processo de recuperação ativa potencializa essa conversão). Acredita-se, porém, que a contribuição do lactato é pouco significativa para a recuperação do glicogênio muscular como um todo.

O que é Glicogênio?
O glicogênio é um polissacarídio formado por milhares de unidades de glicose e, como todo polissacarídeo, não apresenta sabor adocicado. Dessa forma, o glicogênio é uma macromolécula que quimicamente é considerada como um polímero formado pela associação de monômeros de glicose.

O principal órgão de armazenamento concentrado de glicogênio é o fígado, no qual esta substância representa aproximadamente 7% de seu peso. Outro local onde podemos encontrá-lo é nos músculos estriados esqueléticos, representando importante elemento de suporte energético.

A quantidade de glicogênio presente nos músculos é muito pequena (0,7% de seu peso), entretanto, em razão da grande quantidade de músculos, o valor de glicogênio armazenado é superior à quantidade armazenada no fígado.

Durante nossas refeições, os glicídios presentes nos alimentos vão sendo digeridos e, no final de seu processo de redução, são absorvidos pelo intestino sendo transportado pelo sangue para todos os tecidos. Assim, a quantidade de glicose circulante no sangue se eleva. Essa quantidade passa a ser maior do que a necessidade orgânica e, por isso, esse “excedente” vai sendo armazenado na forma de glicogênio.

À medida que a quantidade de glicose circulante no sangue vai se reduzindo, o glicogênio armazenado vai sendo degradado em glicose, permitindo que a quantidade desta substância não atinja níveis muito baixos (hipoglicemia). A substância que sinaliza essa transformação no fígado é chamada de glucagon.

Em momentos extremos, nos quais nosso organismo necessita de respostas imediatas, o glicogênio presente nos músculos estriados esqueléticos é rapidamente convertido em glicose e esta é oxidada para a produção de energia. A substância que permite a liberação imediata dessa reserva muscular é a epinefrina (adrenalina). A síntese ou a degradação do glicogênio ocorre através de enzimas específicas, diferentes para cada processo e diferem também em relação ao local de atuação. Desta forma, enzimas relacionadas à síntese que atuam no fígado não participarão do mesmo processo realizado nos músculos. Assim, a falta de determinada enzima compromete a ação do processo (síntese ou degradação) realizado naquele órgão específico, mas não interfere no processo em outro órgão.

Repositores:

  • Aumento na resistência muscular.
  • Reduz a formação de radicais livres (esses responsáveis pela dor muscular após os exercícios).
  • Diminui o estresse pós exercício.
  • Contribui com o acúmulo de glicogênio e reconstrução do músculo.
Fonte: news.slnutrition.com

Comments

comments

Destaque

Decotada, Geisy arruda posa no instagram e arranca suspiros

Published

on

By

Ui! Neste domingo (26), a musa Geisy Arruda publicou no Instagram uma foto onde aparece decotada e mandou um recado para as fãs ‘revoltadas’.

“Olha quem já acordou maravilhosa para o desespero das minhas fãs revoltadas”, disparou a loira.

Os fãs, que apoiam Geisy dispararam elogios:

“Você é uma princesa”, disse uma.

“Parece uma boneca”, disparou outro.

Adivinha quem já acordou maravilhosa ? para o desespero das minhas fãs revoltadas… ???

Uma publicação compartilhada por Geisy Arruda (@geisy_arruda) em

Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

Beleza natural está de volta? Modelo plus size ostenta curvas no Instagram (FOTOS)

Published

on

By

A modelo Tabria Majors é famosa por postar no Instagram fotos que não se enquadram nos habituais padrões de beleza, demonstrando estar feliz com suas medidas, relata o The Daily Star.

Em uma foto postada, ela posa em um biquíni estampado com motivos de pele de leopardo.

Seus admiradores comentaram: “Gostaria de ter sua confiança”.

A atitude confiante da modelo sacudiu o Instagram. Mas Tabria Majors não é a única que está assumindo seu corpo tal como ele é.

Muitas mulheres começaram a postar fotos de seus corpos reais como forma de protesto contra a padronização da beleza.

Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

Musa da Banheira do Gugu, Solange Gomes anuncia aposentadoria

Published

on

By

Não quero mais ser musa, nem posar nua”, afirmou modelo e bailarina; morena disse que vai administrar carreira de outras belas mulheres

Na tarde desta segunda-feira (27), Solange Gomes, modelo e bailarina, anunciou, por meio das redes sociais, a sua aposentadoria aos 44 anos. Ela se despediu do “cargo de musa” depois de mais de 20 anos de carreira.

— Mulheres do meu Brasil, não se sintam inseguras com a minha presença e fotos, não quero mais ser musa, nem posar nua, nem desfilar no Carnaval, já fiz tudo isso com maestria, tudo nessa vida tem prazo de validade, continuo gostosa (risos), é verdade, mas não para utilizar disso mais. A partir de agora estarei cuidando da carreira de novas musas, em breve vocês irão entender.

Solange já estampou uma série de revistas masculinas. Em 1996, foi capa e recheio da Playboy. Entre os anos 1999 e 2004 fotografou para a Sexy. Nos anos 2000, integrou o elenco das musas da Banheira do Gugu. A musa também participou do Carnaval carioca e paulista, tendo desfilado pelas escolas Porto da Pedra e Imperador do Ipiranga.

Comments

comments

Clique para Ler

Advertisement

Facebook


Mais Acessados