whey protein
Academia

Kelly Key mostra resultado drástico de treino 4 meses após parto: é seguro para todas?

As fotos recentes da cantora Kelly Key em seu Instagram são chocantes. Apenas 4 meses após o nascimento de seu terceiro filho, Arthur, a cantora já ostenta um abdômen sarado, fruto de um treino de alta intensidade.

O feito impressiona ainda mais por ela estar amamentando exclusivamente o caçula da família. Será que atividade física intensa pode secar o leite ou prejudicar a recuperação da mulher? A seguir, especialistas comentam.

Treino de Kelly Key após a terceira gravidez

O personal trainer que acompanha a rotina fitness de Kelly Key há três anos, Rafael Moreira, orienta de perto a fase pós-parto da cantora e sua evolução na atividade física.

O profissional afirma que ele aposta em exercícios intervalados de alta intensidade, da sigla em inglês HIIT. Essa metodologia leva o corpo rapidamente à zona metabólica ideal para a queima de gordura.

Kelly Key fala sobre treino pós-parto e diz que já perdeu 11 kg

Projeto Baba Baby: Inspire-se na dieta de Kelly Key

Treino de glúteos da Kelly Key para endurecer e aumentar o bumbum

São exercícios feitos ao máximo da capacidade e com pouco tempo de recuperação entre eles, o que mantém a frequência cardíaca alta. Isso tudo acelera o metabolismo e faz o corpo continuar queimando calorias até 48 horas após o término do treino.

“Nessa nova etapa, em que a Kelly está cada vez com mais condicionamento físico, estou aumentando a duração dos exercícios e diminuindo os intervalos”, comenta o personal.

Pode fazer exercício enquanto ainda está amamentando?

A ginecologista e obstetra Heloisa Brudniewski afirma que não existe um tempo exato para voltar aos exercícios físicos após o parto. Isso depende muito se o nascimento do bebê foi normal ou cesárea.

“No primeiro caso, se a mulher não tiver nenhuma cicatriz, pode voltar aos exercícios 15 dias após o parto. No caso de quem optou pelo outro tipo de parto, entre 30 e 40 dias, por conta da cicatrização da barriga”, comenta a especialista, que frisa também a importância da individualidade e da consulta ao médico antes de iniciar qualquer atividade.

A intensidade com que esse exercício será feito depende, de novo, da individualidade de cada mãe. Por exemplo, se antes da gravidez ela já era ativa e tinha condicionamento físico, pode voltar já em ritmo pesado.

Cuidados importantes

“O exercício é benéfico tanto na gravidez, como depois dela, mas ele gera cansaço e é preciso ser feito com bom senso. Se essa mulher já tem um bom condicionamento físico, por todo um histórico de hábitos de vida, não terá problema algum em fazer atividades intensas”, pondera Heloisa.

Entretanto, a profissional da saúde diz que a mãe lactante não deve fazer nenhum tipo de restrição alimentar. “A dieta precisa ser rica em calorias, mais do que o habitual dessa mulher, para uma boa produção de leite. Ela não pode fazer jejum intermitente e nem ficar muito tempo sem comer”, diz.

E tão importante quanto apostar em um cardápio equilibrado é fazer uma hidratação excelente, além de dormir muito bem. “Se essa mãe estiver descansada e ainda assim tiver disposição para se exercitar, ótimo. Mas é preciso ser feito de uma forma saudável para ela, que dê prazer e não mais uma preocupação”, comenta Heloisa.

Outro ponto relevante no caso de Kelly Key, que malha de 4 a 5 vezes na semana mesmo amamentando, é o fato de elaestar no seu terceiro filho.

“Isso significa que muitos macetes que podem trazer dificuldades para mamães de primeira viagem, para ela já são mais banais. Com certeza a experiência conta nesse sentido. Ela já deve conseguir se organizar da melhor forma para aproveitar um tempo e se exercitar”, comenta Heloisa, que não acompanha a famosa.

Riscos

A ginecologista Maria Elisa diz que a dieta das lactantes precisa ser de alta qualidade. “Carboidratos, gorduras boas e proteína. Por isso, é interessante que aconteça também um acompanhamento nutricional, principalmente se a mulher deseja voltar aos exercícios”, diz.

“Se essa mãe não tiver a energia que precisa, ela pode ter queda importante da imunidade, ficar gripada ou doente e, em alguns casos, até passar isso para o bebê”, fala Maria Elisa.

Para mamães que antes da gravidez eram sedentárias e querem mudar de hábitos, as profissionais dizem que é recomendado, sim, se exercitar, mas é preciso ter bom senso e ouvir o próprio corpo. E que tudo seja feito de forma gradativa.

Comments

comments

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top