Connect with us

Destaque

Lesões mais comuns na musculação

Published

on

Praticamente todas as pessoas irão sofrer uma lesão ao longo das suas vidas, e nem sequer é necessário praticar algum tipo de desporto para que isso possa acontecer, sendo que é perfeitamente possível que venha a sofrer lesões ao realizar atividades rotineiras no seu dia-a-dia.

No artigo de hoje iremos analisar os tipos de lesões mais comuns que ocorrem nos praticantes de musculação e como as tratar.

É muito comum as pessoas confundirem um tipo de lesão com outra, e espero que este artigo possa servir para esclarecer melhor os leitores e ajudá-los a identificar uma lesão quando esta ocorrer..

Tipos de lesões

tendinite-1

Tendinite: A tendinite é caracterizada pela inflamação de um tendão. Isto normalmente ocorre devido à realização repetitiva e excessiva do mesmo movimento. (LER – Lesão por Esforço Repetitivo).

Também pode ocorrer devido à utilização de uma técnica defeituosa nos exercícios ou levantamento de pesos excessivos.

Tendinose: Também por vezes chamada tendinite crónica. A tendinopatia crónica é caraterizada pela ocorrência de danos nos tendões ao nível celular sem a ocorrência de inflamação.

Pensa-se que é provocada por micro-rupturas no tecido conjuntivo dentro e ao redor do tendão, que conduz a um aumento do número de células reparadores do tendão.

Isto pode conduzir a uma redução da força tênsil, aumentando assim as probabilidades de ruptura, até mesmo com pequenos esforços.  A tendinose pode ocorrer como consequência de uma tendinite que se tornou crônica.

Contratura muscular: Ocorre quando um determinado músculo se contrai e não volta ao seu estado relaxado. Pode acontecer durante ou no final de uma sessão de treino muito intensa ou quando a pessoa se encontra sob níveis elevados de tensão, com muito stress e preocupações.

Distensão muscular: Acontece quando se rompe alguma ou várias fibras musculares de um determinado músculo devido ao estiramento excessivo, contração muscular demasiado rápida ou durante o levantamento de cargas demasiado pesadas.

Não são lesões exclusivas dos atletas ou praticantes de desportos, podendo acontecer durante a realização de tarefas rotineiras do dia-a-dia. No entanto, as pessoas que praticam desportos correm um maior risco de desenvolver esta lesão devido ao maior esforço muscular.

A distensão muscular pode ser muito dolorosa, sendo que também se rompem alguns dos vasos sanguíneos que irrigam as fibras musculares, o que dará origem a um hematoma e consequente inflamação local.

distensão-muscular

Um distensão muscular pode ser classificada em 3 graus. No primeiro e mais comum ocorre apenas um estiramento das fibras muscular. No segundo ocorre a ruptura de um número significativo de fibras muscular. No terceiro acontece a ruptura completa do músculo.

Ruptura muscular: Neste tipo de lesão ocorre a ruptura completa das fibras musculares de um determinado músculo. Nestes casos é normal que ocorra a perda de função desse músculo, hipersensibilidade no ponto de ruptura e contração da massa muscular proximal ao rompimento.

A dor da lesão muscular pode ser localizada ou irradiada para toda a extensão do membro. Para além de dor é comum o surgimento de inflamação, edema e alterações da cor da pele. Este tipo de lesão normalmente acontece devido a uma contração muscular demasiado rápida ou movimentação de cargas demasiado pesadas.

ruptura-muscular

Ruptura de tendão: A ruptura do tendão pode ocorrer durante a realização de movimentos explosivos, de forma demasiado rápida ou com cargas demasiado elevadas.

Também pode acontecer devido ao excesso de uso ou ainda devido a complicações como tendinites ou tendinose.

É necessária a realização de cirurgia de forma a restabelecer a forma e funcionamento original dos músculos que sofreram uma ruptura de tendão.

Os tendões que sofrem rupturas com maior frequência são o tendão de aquiles e o tendão da cabeça longa do bíceps braquial, mas pode acontecer com praticamente qualquer tendão do corpo humano.

Contusão muscular: Esta é uma lesão muscular provocada por um impacto ou “acidente” que origina dor, edema e rigidez no local. É bastante comum em atletas de desportos de contato, tal como o futebol, mas também pode ocorrer nas salas de musculação com acidentes com barras e halteres.

Pubalgia: Por vezes também chamada de pubeíte, osteíte púbica ou doença pubiana, caracteriza-se pela ocorrência de dor na região do púbis. Pode ser provocada pela realização de exercícios físicos intensos, causando inflamações e consequentemente dores. Pode ser confundida com uma distensão muscular pois possui os mesmos sintomas básicos.

Entorse: Acontece quando os ligamentos e tecidos ao redor de uma articulação são torcidos” ou rasgados” de forma rápida e inesperada. Pode acontecer nas salas de musculação quando se realizem movimentos rápidos.

Síndrome de colisão do ombro: Também chamada de síndrome do impacto, ocorre quando os tendões dos músculos do manguito rotador se irritam e inflamam quando passam no espaço subacromial, a passagem sob o acrômio. Isso pode originar fraqueza, dor, e perda de mobilidade dos movimentos do ombro. O músculo supra-espinhal é geralmente o mais prejudicado.

Hérnia discal: A hérnia de disco da coluna vertebral é uma condição médica que afeta a coluna vertebral e que ocorre devido a traumas, levantamento de pesos excessivos ou com uma postura incorreta ou devido a causas desconhecidas, em que uma fissura no anel fibroso externo fibroso de um disco intervertebral  permite que a parte central mole (núcleo pulposo) se desloque além dos anéis exteriores danificadas.

Esta fissura / rasgo no anel do disco pode resultar na libertação de mediadores inflamatórios químicos que podem causar diretamente a dor severa, mesmo na ausência de compressão da raiz nervosa.

As hérnias discais mais pequenas curam-se dentro de várias semanas, mas as hérnias mais severas podem não curar por si mesmas e necessitar de intervenções cirúrgicas.

hérnia-de-disco

Bursite: A bursite é a inflamação de um ou mais bursas (pequenos sacos) de fluido sinovial, presentes nas articulações. As bursas estão localizadas nos pontos onde os músculos e tendões deslizam através do osso.

Uma bursa saudável cria uma superfície lisa, quase sem atrito que torna o o movimento normal indolor. No entanto, quando a bursite ocorre, o movimento que ocorre sob a bursa inflamada torna-se difícil e doloroso. Para além disso, o movimento dos tendões e músculos sobre a bursa inflamada agrava a inflamação, perpetuando o problema. O músculo também se pode tornar mais rígido.

A bursite é frequentemente provocada pela realização de movimentos repetitivos, e pressão excessiva. As articulações mais afetadas são os ombros, cotovelos e joelhos.

O que deve fazer em caso de lesão

lesões-mais-comuns-na-musculação

Sempre que sentir que algo de errado se passa, seja dor, diminuição drástica dos níveis de força, instabilidade ou uma tensão muscular intensa, pare imediatamente o exercício que estiver a realizar, o seu treino, e consulte o seu médico ou um profissional de saúde para avaliar o nível de gravidade da sua lesão, e orientá-lo para os tratamentos iniciais adequados.

Mantenha em mente que os cuidados que tiver nas 48 horas depois da ocorrência uma lesão (ruptura muscular ou ligamentar, entorse, traumatismo, etc.) irão ser determinantes para uma recuperação mais rápida e eficiente.

  • Repouso: Cesse de imediato toda e qualquer tipo de atividade que provoque o aumento de dor ou outra sintomatologia.
  • Gelo: Aplique gelo na zona lesada, durante 15 minutos, de 3 em 3 horas, de forma a diminuir a inflamação e o edema.
  • Compressão: Deverá manter a região lesada comprimida de modo a controlar o edema e o derrame.
  • Elevação: Tente manter a zona lesada acima do nível da cabeça de forma a facilitar a circulação sanguínea de retorno.
  • Diagnóstico: Não fique à espera que o problema “passe” ou desapareça por si mesmo. Consulte imediatamente o seu médico de família ou outro profissional de saúde que lhe possa realizar o diagnóstico e orientá-lo no tratamento do problema.

O que não deve fazer

  • Calor: Evite a exposição ou aplicação de calor na/s zona/s lesionada/s, porque aumenta a vasodilatação, aumentando o derrame e edema.
  • Álcool: Evite o consumo de bebidas alcoólicas, pois o álcool possui propriedades vasodilatadoras.
  • Massagem: Não massaje a zona/s lesionada/s após a ocorrência da mesma, pois irá aumentar o edema e o derrame. Também é prejudicial para os tecidos que se encontram em processo de cicatrização.
  • Movimento: A movimentação das estruturas lesionadas de forma demasiado precoce poderá agravar a situação.

E acima de tudo o que não se deve mesmo fazer é entrar em negação. Se teve uma lesão não a ignore pois é extremamente importante que a trate o mais rapidamente possível, caso contrário é bem provável que o problema se agrave ou se torne mais difícil de resolver no futuro.

Regresso aos treinos

A maioria dos praticantes de musculação e outros desportistas são indivíduos mais ou menos ansiosos que anseiam voltar aos seus treinos assim que se sentem minimamente capazes.

Mas para regressar ao nível dos seus treinos antes da ocorrência da lesão terá primeiro que recuperar a maior parte das suas qualidades físicas, como a mobilidade, força, etc.

Para isso, é vivamente recomendado que reinicie os treinos com cargas e um volume de treino bastante inferiores ao do seu nível anterior, de forma a poder recuperar de forma progressiva a sua força e mobilidade sem arriscar o reaparecimento da lesão.

Sendo assim, quando voltar aos treinos, é vivamente recomendável que esqueça o mote “No Pain No Gain” durante pelo menos algumas semanas e que se concentre em recuperar a força aos poucos, semana após semana.

fonte: http://www.musculacao.net

Comments

comments

Academia

10 exercícios para deixar seu bumbum durinho e empinado

Published

on

By

Não tem mágica, o único jeito de ficar em forma é treinar. Se liga nas séries que dão resultados

Toda mulher sonha ficar em forma, com abdome definido e, principalmente, o bumbum durinho e bem torneado. Só que não dá pra ter esse shape sentado no sofá da sala, vendo televisão. É preciso, no mínimo, treinar e se alimentar bem. Pra te dar uma forcinha, vista uma roupa confortável, pegue sua toalhinha e uma garrafa de água, porque separamos dez exercícios pra você arrasar com o famoso bumbum na nuca, tão exaltado pelas blogueirinhas.

O preparador físico Thiago Arias, dono da academia Thiago Arias Personal Studio & Pilates, indicou algumas atividades que ajudam a tonificar os glúteos (veja os vídeos abaixo). Segundo ele, os movimentos devem ser feitos pelo menos três vezes por semana, com séries de oito a 12 repetições.

“Esses exercícios trabalham a parte posterior da perna e do glúteo. Todos são feitos para ajudar no desenvolvimento dessas regiões de trás da perna e o bumbum. A quantidade de repetições vai depender do condicionamento de cada pessoa”.

Vale lembrar que é preciso sempre tomar cuidado com a postura nesse tipo de exercício. Fazer os movimentos de forma errada pode causar lesões. Então, preste bem atenção nos vídeos e, se tiver dúvidas, procure um profissional. Vamos lá!

Stiff

Começamos com um exercício bem difícil. Para fazer o stiff, basta deslizar a barra na perna e descer até o chão. Sempre mantenha o bumbum empinado e as costas retas para não ter problemas na lombar. No começo, não exagere na carga até que se sinta confortável em ir aumentando aos poucos.

O deadlift é bem parecido com o stiff. No entanto, assim que a barra passa o joelho é preciso agachar. As recomendações são as mesmas: muito cuidado com a lombar e sem exageros no peso.

Swing kettlebell

Kettlebell é o nome daquele pesinho que tem uma alça. Então, como o nome já diz, você tem que balançar esse pesinho. A posição inicial é com ele no chão, as costas retas e o bumbum para cima. Com o impulso da região da virilha, basta deixar o peso ir e voltar para baixo das pernas. Não é preciso fazer força nos braços e nas costas, deixe os glúteos trabalharem.

Agachamento

O segredo para um agachamento perfeito é manter a postura. Afaste um pouco os pés, dobre os joelhos e leve o bumbum na direção do chão. Quanto mais conseguir abaixar, mais resultado. Mas lembre-se: comece devagar até pegar a dinâmica do exercício.

Ponte unilateral

Parece fácil, né? Depois da primeira série você vai ver que não é tão tranquilo como parece. Esse exercício é bom não só para o bumbum, mas para o abdome também. Sempre contraia bem os glúteos quando levantar a perna para melhorar o desempenho.

Agachamento búlgaro

Esse é um daqueles exercícios que te dará pesadelos, mas também excelentes resultados. Com um pé apoiado em uma superfície alta e segurando um peso na altura do peito, você “só” precisa agachar com a perna que está apoiada no chão. Não esqueça de fazer as duas pernas.

Pistol


O pistol requer um desses elásticos que você compra em qualquer loja de artigos esportivos. Prenda-o no alto e siga o movimento do vídeo. No começo, é normal não conseguir descer tanto, mas até o fim do ano garanto que você estará chegando no chão.

Afundo

Mais um que é bem simples, mas requer bastante cuidado com a postura, o Afundo é o agachamento de uma perna, enquanto a outra se ajoelha. Não use peso no começo até que você tenha certeza de que está fazendo certo.

Agachamento lateral

O agachamento lateral começa com os pés juntos. Para realizar o exercício, basta levar um dos pés para o lado e descer com uma leve inclinação, assim como mostra o vídeo.

Passada com miniband

Pegue o elástico novamente, mas dessa vez coloque ele nas pernas, em altura próxima ao joelho. Dobre-os um pouco faça o movimento para abrir uma das pernas e volte.

Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

Câncer que matou blogueira Nara Almeida atinge mais os homens

Published

on

By

Nara Almeida, de 24 anos, que também era modelo, lutava contra a doença,que passou do estômago para outros órgãos nos últimos meses

morte da modelo e influenciadora digital Nara Almeida não é comum para os casos de câncer gástrico, principalmente porque os homens, principalmente a partir dos 50 anos, são os mais afetados, segundo a Associação Brasileira de Endoscopia Digestiva (Sobed). No caso dela, ocorreu uma metástase no peritônio rara em mulheres com menos de 25 anos. Por isso, Nara só conseguia ingerir líquidos e recebia nutrientes por sonda. A doença também avançou para outros órgãos, como fígado e pâncreas, o que diminuiu drasticamente a perspectiva de cura. Quando diagnosticada precocemente, no entanto, a doença tem índices elevados de cura, segundo a Sobed. Os três tipos da doença podem ser desencadeados por fatores ambientais, ligados à rotina da pessoa, e também por predisposição genética.

Projeções da entidade apontam para 20 mil novos casos nos próximos dois anos no Brasil, a maioria em homens. Entre os tipos de câncer, o gástrico é o terceiro que mais mata homens e a quinta maior causa de morte de  mulheres.

De acordo com Jairo Silva Alves, médico do Instituto Alfa e vice-presidente da Sobed, em alguns casos, a rapidez no diagnóstico permite o tratamento medicamentoso, sem a necessidade de medidas mais agressivas como retirada da parte do órgão com a lesão, quimioterapia e radioterapia. “Os sintomas inciais, geralmente, são enjoo, dor leve no estômago, queimação persistente. Como esses sintomas são confundidos com azia, a grande maioria procura tardiamente tratamento e, nesse intervalo, toma antiácido e chás caseiros”, afirmou.

O especialista ressalta que, com o diagnóstico precoce, a chance de cura ultrapassa os 80%, mas o quadro se inverte quando é feito tardiamente, passando a taxa de mortalidade ser de oito em cada 10 pacientes. “Importante é que o indivíduo com mais de 30 anos que apresenta sintomas como dores de estômago – ou no local popularmente conhecido como ‘boca do estômago’ – recorrentes e persistentes, associadas à perda de apetite e anemia, procure um médico”, enfatiza.

De acordo com Jairo Alves, tirando os fatores genéticos que são responsáveis pelo tipo difuso da doença, as outras duas variedades são mais influenciadas pelo modo de vida. A alimentação é fator primordial. “O ideal é uma dieta com pouco sal, baixa ingestão de alimentos hidrogenados, processados e embutidos. Além disso, é sabido que carnes vermelhas devem ser evitadas. Outro fator de risco está associado à obesidade.” O vice-presidente da Sobed destaca ainda que a infecção pela bactéria H. Pilori, situação que acomete cerca de 60% da população, também pode contribuir para o desenvolvimento do câncer. (Marcelo Ernesto)

Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

Gracyanne Barbosa mostra seu ‘bumbum na nuca’

Published

on

By

‘As pessoas realmente me cobram fotos do bumbum, querem de todos os ângulos, até mesmo as meninas’, disse a musa fitness

Gracyanne Barbosa anda postando cada dia uma foto de sua bunda, a verdadeira “bumbum na nuca” E tem gente  reclamando que ela tem postado poucas fotos que mostrem seu bumbum. A musa fitness se divertiu ao saber que alguns leitores enviaram mensagens para a coluna dizendo estar com saudades dela.

“É verdade, tenho trabalhado muito e realmente acabo postando pouco pela correria. Agora, sobre ter postado poucas fotos do bumbum, não notei (risos). As pessoas realmente me cobram fotos do bumbum, até mesmo as meninas. Morro de rir. Ainda brinco: ‘Vocês não enjoam?'”, disse ela, que mandou um recado aos fãs: “Avisa aos leitores que eu vou fazer um ensaio especial pra eles”.

E para dar um aperitivo, a mulher do cantor Belo mandou essa foto exclusiva para o jornal mais amado do Rio. Que abundância! Brincadeiras à parte, ela destaca que os comentários dos fãs costumam ser bastante respeitosos: “A maioria respeita. Alguns reclamam da exposição, porque sou casada. Mas eu realmente acho o corpo normal, algo divino… Seja bunda ou outra parte, seja sarado ou não. Tudo é lindo para mim. No só o meu corpo, mas todos”. É isso aí, Gracy, tá de parabéns!

Comments

comments

Clique para Ler

Advertisement

Facebook




Mais Acessados