Connect with us

Destaque

Psicologia da Musculação Feminina

Published

on

Tema essencial para ser absorvido por aquelas que realmente pensam em mudar seus conceitos e pretendem começar a treinar pesado de verdade.

Engraçado como há anos, muito antes de começar a escrever esta série exclusiva para o site Treino Pesado, venho tendo dificuldade em escrever algo específico para o público feminino. Sempre me deparo com um ponto crucial, que me limita no que poderia vir a escrever:

NÃO ACREDITO QUE EXISTAM DIFERENÇAS NA FORMA COMO HOMENS E MULHERES DEVAM TREINAR!

Penso que homens e mulheres devam treinar de forma semelhante, e falo isso em relação à intensidade, volume, séries e métodos de treinamento.
Certamente, muita coisa do que escreverei aqui também se aplica ao treinamento masculino.
Os exercícios estimulam de forma semelhante os dois organismos do ponto de vista fisiológico e químico, os mecanismos de alavanca são os mesmos, a constituição das fibras musculares também, o estímulo que o exercício gera no organismo leva ao mesmo processo de hipertrofia, vascularização e ganho de densidade muscular, então, porque poderíamos pensar em treinamentos distintos?

Pensamos sim, em prioridades musculares diferentes, cada qual buscando aprimorar grupamentos que julga serem mais importantes.

Nós, mulheres, costumamos focar, é claro, em grupamentos que consideramos chaves como pernas, glúteos e abdomen.
Já os homens tendem a dar mais ênfase aos grupamentos de membros superiores.

Venho me deparando frequentemente com a mesma situação:
Amigas e conhecidas me pedindo dicas sobre como conduzir seus treinamentos, insatisfeitas com os resultados que vêm obtendo.
Mostram-me suas rotinas pedindo uma orientação, achando que o problema é a maldita série que o instrutor da academia passou.
E por incrível que pareça, na grande maioria das vezes, acho as séries até muito bem elaboradas e completas.
E aí chego a um ponto crucial: porque então os resultados não aparecem na velocidade desejada?

Por que então, são tão poucas as mulheres que estão realmente extraindo o máximo de seus treinamentos e apresentando ganhos expressivos?

É inegável a grande desvantagem hormonal que acompanha a mulher.
A presença do principal hormônio feminino (estrogênio – nosso maior vilão) e sua oscilação mensal é o grande responsável por tornar a mulher mais propensa a um percentual de gordura mais alto, maior retenção hídrica, além dos lindos culotes, estrias e celulites que insistem em nos atormentar.
O estrogênio leva o tecido adiposo a concentrar-se, na mulher, em áreas como os quadris e coxas, dando-lhes o arredondamento típico do sexo feminino.

Para completar a situação, não produzimos nem 20% da testosterona que os homens produzem e isto implica sem dúvida nenhuma em uma maior dificuldade de ganho de massa muscular e queima de gordura.

A testosterona é o mais importante hormônio masculino e possui um incrível efeito anabólico no tecido muscular , além de acelerar o metabolismo basal como um todo.

No sangue esta produção é constatada normal quando, no homem adulto, os níveis se encontram entre 300 e 1.000 ng/dL (nanogramas por decilitro).
Na mulher, esta taxa não ultrapassa os 80ng/dL.

 

Temos que nos dedicar duas vezes mais nos treinos para conseguirmos resultados significativos e semelhantes.
Uma beleza, certo?

Como podemos perceber, a natureza trabalha contra nós a todo momento.
Somos desfavorecidas duplamente: pela presença maciça de estrogênio e pela quase ausência de testosterona.

E para que estou falando tudo isso?
Certamente, não para te desanimar, mas sim, para mostrar que existem fatores que não podemos controlar, como é o caso da natureza hormonal feminina.
Por outro lado, existe um segundo fator, e o mais importante de todos, que temos como manipular e intervir para obtermos os melhores resultados possíveis.

A grande verdade, e demorei muito tempo para perceber isto, é que o grande fator que limita os ganhos femininos expressivos, é a forma como a mulher naturalmente se posiciona diante de um treinamento árduo; a forma como ela instintivamente tende a reagir diante do esforço e da dor física.

A postura mental necessária para um treino realmente intenso poucas vezes existe naturalmente na mulher.
A sensação de estarmos exaurindo o nosso organismo, castigando-o com um trabalho árduo, onde você percebe que todo o seu corpo implora para que pare, e mesmo assim você continua… isso definitivamente não é da natureza feminina.
A dor do esforço físico não nos é comum.
Somos educadas desde cedo para nos sentirmos delicadas e frágeis e isso nos acompanha inconscientemente durante toda a vida.
É um fator cultural, histórico, e a sociedade insere automaticamente esta mentalidade dentro de nós desde cedo.

Não me entenda mal, acho essencial a mulher ser doce, delicada e feminina, mas temos que esquecer de que somos mulheres da porta da academia para dentro.
Temos que treinar como homens para estarmos desafiando constantemente nossos próprios limites.
Poucas vezes me deparei com mulheres que entendessem o que significado de se realizar uma série ao ponto de se sentirem totalmente nauseadas.

Este processo de auto-superação é uma reeducação comportamental trabalhosa, que exige muita determinação e disciplina.

Aprender a superar os seus limites físicos, sentir a dor muscular e não sentir PENA de si mesma, continuar enquanto seu corpo inteiro implora para que pare… isso sim são posturas diante do treino que fazem toda a diferença.

Saiba que nosso corpo é muito preguiçoso e fará de tudo para nos fazer desistir. Um bom treino dói, dá muita vontade de chorar SIM ….mas NADA DE TER PENA DE VOCÊ MULHER !

Não nesta hora em que mais dói, onde aquelas últimas repetições farão toda a diferença, quando o teu corpo luta contra você, querendo parar.

É a sua mente que te domina, que te manda continuar quando o que você mais quer é parar.
O teu limite vai muito além do que você sequer pode imaginar.

Sempre dei muita importância ao equilíbrio psíquico que um treino intenso exige de seu praticante.
Mais do que o simples preparo físico, temos que ter um bom domínio psicológico para estarmos sempre rompendo barreiras e limites.

Lembre-se, da próxima vez que entrar numa academia, chegue com uma postura mental vencedora, com uma vontade de fazer hoje um pouquinho melhor do que fez ontem.

Execute as repetições até a falha, não simplesmente para se livrar do peso, mas concentrando-se no movimento, fazendo doer, sentindo a musculatura ser trabalhada.

Não se poupe, não tenha medo de fazer doer.
Com esta mentalidade assimilada e enraizada dentro de você, perceberá transformações não só físicas mas também internas, decorrentes da autoconfiança e melhora da auto-estima que acompanham todo o processo.

É um grande exercício de superação e autocontrole, que naturalmente, começarão a se transferir para outras esferas de sua vida.
Pode acreditar, você só tem a ganhar!

Fonte: michiritz.com

Comments

comments

2 Comments

2 Comments

  1. tamyres

    8 de dezembro de 2011 at 16:43

    adorei! isso foi um estílumo e tanto! toda vez que eu sentir preguiça de malhar, vou lembrar essas palavras de insentivo. obrigada!

  2. Nádia Soares

    20 de fevereiro de 2014 at 19:09

    Adorei, acredito que nós mulheres temos que ter disciplina e foco nós nossos treinos e não somente malhar por malhar.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Academia

Erros comuns quando se quer ter mais massa muscular

Published

on

By

Treinar é fundamental, mas é necessário ter peso e medida

Ter mais músculo não é apenas sinônimo de mais força, é também uma espécie de escudo protetor para a saúde em geral, beneficiando a saúde óssea, cardiovascular e ainda o sistema imunológico, que fica mais reforçado e capaz de combater a gordura indesejada.

O treino de força e a alimentação adequada – com uma especial atenção para a proteína – são dois dos aspectos que mais importância têm na hora de construir mais músculo de forma saudável, contudo, para que o aumento do músculo aconteça da forma mais correta é ainda importante apostar num processo gradual e também nos comportamentos mais certeiros.

Como explica o site Deporte y Vida do jornal espanhol As, existem alguns erros comuns na hora de ‘lutar’ por um aumento da massa muscular, erros esses que não só comprometem o sucesso, como podem mesmo colocar a saúde em risco. Veja quais são:

1 – Comer tudo e mais alguma coisa. Tem quem pense que o simples fato de treinar com regularidade permite comer tudo, mas não é bem assim, especialmente quando isso inclui mesmo tudo, até os alimentos menos saudáveis. Embora o corpo precise de combustível (proteína, carboidratos complexos e gordura saudável), é preciso ter atenção ao tipo de alimento,para que não se aumente a gordura e em vez da massa muscular.

2 – Não ter um objetivo definido. Treinar por treinar e comer por comer nunca dá bom resultado, especialmente quando o objetivo é ter um corpo mais tonificado e mais músculo. Para que isso seja possível, é necessário ter um plano de treino adequado (preferencialmente definido por um treinador) e também uma alimentação que vá ao encontro das necessidades e que assegure todos os nutrientes necessários;

3 – Treinar muito. Como já dissemos, o treino é fundamental, contudo, ter peso e medida é fundamental, pois o descanso é fundamental para a recuperação muscular e capacidade de ‘crescer’;

4 – Abusar nos pesos. O treino de força é aquele que mais trabalha os músculos, mas mais importante do que o peso usado é a técnica. Sabia que mais vale fazer mais repetições do que apostar tudo no peso máximo?;

5 – Não dormir o suficiente. O descanso é fundamental para os músculos recuperarem devidamente e parte desse descanso depende do sono.

Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

5 treinos intensos para secar no inverno

Published

on

By

Para queimar muitas calorias e não desistir da academia por causa do frio

estação mais fria do ano está chegando e as temperaturas mais baixas podem ser desafiadoras para encarar a rotina e se exercitar. Porém, vale lembrar que no inverno o gasto calórico aumenta e ajuda o praticante a melhorar a performance e os resultados. Para motivar ainda mais, a Bio Ritmo apresenta cinco sugestões de microgyms (academias avulsas) de alta intensidade, com treinos de até 60 minutos, que prometem espantar a monotonia e eliminar os quilinhos extras:

 Race Bootcamp

Dinâmica e com pegada militar, combina corrida na esteira e exercícios com halteres, rubber band e atividades calistênicas. Utiliza cores quentes, sonorização elevadas e comandos para simular um treinamento militar. Trabalha o corpo de forma global e intensamente, com treinos de 45 a 60 minutos.

• Burn Hiit Zone

Circuito em formato HIIT (High Intensity Intermittent Training ou Treinamento Intervalado de Alta Intensidade), atende aluno de diferentes níveis de condicionamento. São quatro estações intensas, revezando entre: air bike, remo, step deck e halteres. São cinco rounds de 45 segundos de execução, em cada estação, e 15 segundos de descanso. A prática mantém a frequência cardíaca elevada, garantindo a queima calórica ao longo do dia.

• Torq Cycle Experience

Diferente treino de bike com experiência sensorial que vai além dos próprios aparelhos ergométricos. Em um ambiente trabalhado e apoiado em tecnologia, os alunos são desafiados a partir de estímulos visuais e sonoros, competindo com colegas e contra si mesmos para superar limites. Utiliza gameficação para aumentar o desempenho do aluno. Com duração média de 45 minutos.

• Squad Functional Area

Mistura de desafio e diversão, associada a treinos funcionais completos que exploram movimentos que trabalham força, resistência, agilidade e potência de maneira integrada. Circuito tem duração de 45 minutos.

• Skillmill

Desenvolvido na Itália e inédito no Brasil, circuito desafiador possui três estações com esteiras mecânicas movidas com a força das pernas dos alunos, caixas de saltos e uma área de kettlebells que proporcionam diferentes atividades capazes de desenvolver desde força até a velocidade. Duração de 45 minutos. Disponível com exclusividade na unidade Morumbi Town.

Comments

comments

Clique para Ler

Academia

10 estratégias para perder gordura nas pernas

Published

on

By

Tonificar as pernas é uma das tarefas mais difíceis do mundo fitness

Sejamos honestos, os dias de treino de pernas são um dos piores. Além de ser um dos mais dolorosos, é aquele em que para ver os resultados é preciso esperar semanas ou meses. As coxas são uma das regiões do corpo onde a gordura se aloja mais facilmente, mas mais dificilmente sai. A combinação de exercício físico com uma alimentação saudável e equilibrada é o caminho a seguir, mas é preciso fazer mais.

O site Eat This, Not That! mostra que perder gordura nas pernas é uma tarefa árdua, mas não impossível. Quer provas? Confira dez estratégias que ajudam a perder gordura na região:

1 – Beber café antes do treino, um hábito que não só dá mais energia para a prática de exercício como favorece ainda a capacidade do metabolismo queimar gordura;

2 – Trabalhar as pernas fazendo alguns exercícios de tonificação, colocando o peso do corpo apenas na parte da frente do pé;

3 – Agachamentos… sempre;

4 – Correr… mas subindo. Aumentar a inclinação é uma forma de aliar o exercício cardiovascular (corrida) à tonificação dos músculos das pernas.

5 – Aderir à prensa, procurando ajuda de um instrutor para saber qual o peso mais indicado a colocar;

6 – Fazer vários tipos de lunges, sejam estáticos, em andamento, com ou sem peso;

7 – Dizer ‘adeus’ ao sofá e aproveitar as noites para caminhar depois do jantar;

8 – Aumentar o consumo de cálcio, mineral que não só favorece os ossos, como melhora a formação de músculo;

9 – Apostar nos cítricos, alimentos ricos em vitamina C que travam os marcadores inflamatórios e, por isso, melhoram a presença de gordura acumulada;

10 – Quando o tempo para treinar é pouco, comece a praticar sprints.

Comments

comments

Clique para Ler

Advertisement

Facebook




Mais Acessados