Connect with us

Alimentação e Nutrição

Qual a importância de comer antes e após o treino?

Published

on

Muitos atletas e/ou pessoas fisicamente ativas não dão a devida importância às refeições pré e pós-treino. Existem muitos casos de indivíduos que se exercitam em jejum ou que na vontade de emagrecer tomam só um chazinho com uma torrada, por exemplo. E quando alguns saem da academia e vão fazer outras coisas que não seja comer? Esse comportamento é totalmente errado.

Se você tem um objetivo traçado – seja ele aumentar massa muscular, eliminar gordura ou melhorar performance esportiva – saiba que as refeições pré e pós-treino são cruciais para que seu objetivo seja atingido mais rápido. Então, perca o hábito de ficar em jejum antes e após. Acompanhe:

pretreino

1-      Pré-treino

MOTIVO: A refeição antes do exercício deve conter nutrientes para fornecer energia, aumentar força e resistência, evitar fome e hipoglicemia durante o treino, manter um bom estado de hidratação e evitar catabolismo muscular (quebra de aminoácidos no músculo). Quando bem nutrido, você poderá se sentir mais bem disposto, forte e resistente ao esporte.

O QUE COMER? Você pode fazer uma refeição completa de 3-4 horas antes (almoço ou jantar, café da manhã reforçado ou lanches intermediários reforçados). Consuma arroz+ feijão+ carne magra+ salada ou uma massa com proteínas, como macarrão com molho de atum ou frango) ou uma refeição mais leve de 1-2 horas antes (suplementação de whey protein com maltodextrina, lanche natural com pão integral, vitamina com fruta e cereal, granola com iogurte, banana com aveia e mel, batata doce com peito de frango, biscoitos integrais com requeijão e iogurte desnatado, shake de hipercalórico, etc.).

o-que-comer-antes-depois-malhar

2-     Pós-treino

MOTIVO: Agilizar recuperação muscular e do organismo como um todo, repor os estoques de glicogênio, reconstruir fibras musculares, repor os líquidos perdidos, alimentar as células do sistema imunológico e renovar o corpo para o próximo treino. Ao se alimentar logo após, seus músculos se tornam mais fortes e resistentes, afinal, não terão que se esforçar para buscar nutrientes de outros locais do corpo.

O QUE COMER? O ideal é uma refeição logo após o término do exercício, com uma tolerância de 30 minutos. Sugestões: whey protein com dextrose, lanche natural com pão branco, suco de frutas, vitamina de frutas, batata inglesa com carne ou frango, sopa de legumes com frango e macarrão, isotônicos, água de coco, bolo comum, etc.

Garanta que essas refeições sejam feitas corretamente e em breve você notará diferenças, não deixando é claro, de organizar o restante das refeições do dia e realizando seus treinos com disciplina.

Bons treinos.

REFERÊNCIAS:

KLEINER, Susan M.; GREENWOOD-ROBINSON, Maggie. Nutrição para o treinamento de força. São Paulo. Editora Manole, 2002.

BIESEK, Simone; GUERRA, Isabela, ALVES, Letícia Azen. Estratégias de nutrição e suplementação no esporte. Editora Manole, 2005.

MAUGHAN, Ronald J.; BURKE, Louise M. Nutrição esportiva. Editora Artmed, 2004.

Comments

comments

Alimentação e Nutrição

GLÚTEN Pão nosso de cada dia …será?

Published

on

By

O trigo atual não é o mesmo da época de Cristo, pode ter certeza!
Nosso trigo sofreu modificações genéticas (14 cromossomos na antiguidade ? 42 cromossomos a partir dos anos 50) e tem cerca de 400% mais glúten – nem se pode dizer que é o mesmo alimento
Não espanta que tantas pessoas sofrem de doença celíaca e de diversos graus de sensibilidade ao glúten
A maioria das pessoas com sensibilidade ao glúten (não celíacas) não tem sintomas gastrointestinais e a relação ingestão/sintoma fica perdida pois pode levar 3 dias entre comer e ter o sintoma = 99% destas pessoas não tem diagnóstico
Todos abaixo estão relacionados à sensibilidade ao glúten:


1. Enxaqueca
2. Distúrbios hormonais como ovários policísticos, TPM, endometriose, infertilidade (masculina tb – reduz número e função dos espermatozoides?evitaria muitos tratamentos de fertilização)
3. Fadiga crônica, fibromialgia
4. Doenças autoimunes como tireoidite de Hashimoto (leva ao hipotireoidismo), artrite reumatoide, retocolite ulcerativa, lúpus, psoríase, esclerodermia, esclerose múltipla
5. Inflamação, inchaço e dor nas articulações (dedos, joelho, quadris) sem causa aparente
6. Problemas de humor como ansiedade e depressão
7. TDHA (déficit de atenção e hiperatividade)
8. Queratose pilar – bolinhas avermelhadas/esbranquiçadas, ligeiramente endurecidas, nos braços e bumbum, mas podem afetar todo o corpo – deficiência vit A e ácidos graxos por má absorção intestinal
9. Distúrbios neurológicos e psiquiátricos (esquizofrenia, depressão, ataxia cerebelar, autismo), formigamento/dormência nas mãos e pés, confusão mental
10. Síndrome do Intestino Irritável (SII) – gases, distensão e dor abdominal, alteração do hábito intestinal (diarreia X constipação) na ausência de exames alterados (famoso: vc não tem nada, seu intestino que é preguiçoso e ruim).

Comments

comments

Clique para Ler

Academia

Àlcool x Emagrecimento, você sabe qual é?

Published

on

By

Com a palavra Dr. Igor Curvina nutricionista da Clinica Corpo Perfeito.
Não é uma novidade que o consumo de álcool atrapalha o processo de emagrecimento, muitas pessoas preferem ignorar esse fato compensando com extremos na dieta ou na atividade física, deixando de ingerir calorias de nutrientes importantes que promovem o anabolismo e utilizando de excessos esportivos, mas seria mais fácil reduzir o consumo de alcoólico, não é?!
Na nutrição nada engorda e nada emagrece, tudo depende!!! O álcool em questão é prejudicial em quase todos os sentidos, tem 7 kcal/g e nenhum valor nutricional (isso já o define), mas aprofundando é metabolizado primariamente pela enzima hepática álcool desidrogenasse(ADH) percorrendo um caminho bioquímico que por final pode ser utilizada para a síntese de gordura, e esse é o problema!

Para cada grama de etanol metabolizado, são formadas 7,1 kcal/g, uma fonte energética considerável, comparando-se aos carboidratos (4 kcal/g), proteínas (4 kcal/g) e lipídios (9 kcal/g). Porém, acredita-se que pessoas habituadas a ingerir doses altas de álcool não seriam capazes de aproveitar toda sua caloria, uma vez que a via de metabolização utilizada nesses casos seria a SMOE (sistema microssomal de oxidação do etanol), apontando que nem todas as pessoas aproveitam as calorias do álcool da mesma maneira: as mais magras, tendem a não aproveitar suas calorias de forma eficiente, ao contrário de indivíduos com IMC (Índice de Massa Corpórea) mais elevado, entrando mais uma vez na questão da individualidade biológica de cada um, bem como a quantidade de álcool consumida, como a de alimentos ingeridos. Tudo é importante e pode repercutir no ganho de gordura, aumentando a sua toxicidade no organismo.

Nesse sentido, conhecer o valor calórico do álcool e questionar a quantidade diária consumida devem fazer parte da avaliação nutricional, a fim de que esse importante dado seja considerado tanto no cálculo dietético para controle de peso, quanto para caracterizar a desnutrição.
Esclarecendo, não adianta ingerir destilados aterrorizando os fermentados, o álcool está presente da mesma maneira o que faz diferença é a quantidade ingerida e com que frequência.

Comments

comments

Clique para Ler

Alimentação e Nutrição

Aprenda os passos para alcançar resultados definitivos no seu corpo

Published

on

By

Quer conseguir resultados definitivos no seu corpo? Então, anote a dica: é preciso ter autocontrole e a certeza de que irá alcançar as metas. Diante disso, foque nos quesitos abaixo:

1. Planejamento e Organização. Essas duas ações são fundamentais para o sucesso. É necessário organizar o horário do treino e preparar as refeições para não acontecer furos. Planeje-se de verdade e cumpra. Busque ajuda de profissionais que te orientem na prescrição dos exercícios e no cardápio alimentar.

2. Treino. Leve a sério a sua atividade física. Não falte por nada! Dê o seu máximo, faça valer a pena cada instante. Treino bom é aquele feito com qualidade. Priorize as valências como: amplitude, cadência, intensidade e intervalo de recuperação. Pense nisso! Busque ajuda de um professor qualificado.

3. Plano alimentar. Se não houver mudança no cardápio, fica difícil atingir metas. Sejam elas de emagrecimento ou ganho de massa muscular. A alimentação deve ser adequada pelo nutricionista de acordo com o objetivo. Por isso, é fundamental um plano individualizado que se adeque ao estilo de vida de cada um. Se não, você vai desistir no primeiro dia.

4. Motivação. O resultado e a satisfação vão fazer todo o esforço valer a pena. E quando se sentir desmotivado, não pense nas razões, simplesmente continue na rotina. Mantenha o treino e a alimentação. Seja forte!

5. Paciência e perseverança. Os resultados são proporcionais ao empenho. Quanto mais se dedicar, mais resultados positivos terá. Mostre para você mesmo o quanto é capaz!

Não crie desculpas para justificar a sua falta de disciplina e vontade. Seja otimista consigo mesmo!

Comments

comments

Clique para Ler
Advertisement

Facebook

Mais Acessados