Connect with us

Alimentação e Nutrição

Quanta proteína podemos ingerir por refeição?

Published

on

Uma das mais antigas crenças nos círculos de fitness é a de que o corpo só pode utilizar uma determinada quantidade de proteína por refeição, e o excesso é excretado ou seja oxidado. A estimativa anda em torno do intervalo 20-30 gramas, com 30 gramas sendo talvez a figura mais comum.

Esta crença tem levado muitos atletas e pessoas relacionadas que seguem dietas, a sofrerem as dores de consumir doses múltiplas de proteína durante todo o dia, acreditando que assim irão maximizar o anabolismo muscular ou a retenção muscular.

Bem, verdade ou não, este conceito combina-se perfeitamente com outra antiga “regra” do mundo do culturismo, que dita que você tem que comer pelo menos seis vezes por dia para manter o metabolismo do corpo elevado. Uma vez que a frequência das refeições e o dogma metabolismo já foi totalmente desacreditado [1-5], está na hora de ir mais a fundo na questão de se há um limite para uma utilização eficaz da proteína, e se sim, qual poderia ser esse limite.

Primeiro vamos pensar de forma lógica

Vamos imaginar uma experiência que envolve dois indivíduos relativamente magros com 90 quilos. Para o propósito desta ilustração, vou atribuir uma quantidade diária de proteína que suporte de forma adequada, as necessidades da população atlética. Nós vamos dar a essa pessoa 150 gramas de proteína repartidas ao longo de cinco refeições com 30 gramas em cada. Nós vamos dar à pessoa B a mesma quantidade de proteína, mas numa única refeição. Digamos que esta refeição é composta de um bife de 16 onças, acompanhado por um batido contendo dois scoops de pó de proteína.

Se realmente acredita que o organismo apenas pode metabolizar 30 gramas de proteína numa única refeição, a pessoa B acabaria por sofrer sintomas de deficiência de proteína, pois ele supostamente apenas estaria a absorver um total de 30 g dos 150 g que lhe estamos a fornecer. Com 30 g/dia, ele está apenas a obter  0,33 g/kg de peso corporal, que não é nem a metade da RDA já por si baixa de 0,8 g/kg. Se o corpo funcionasse desta forma, a espécie humana teria-se extinguido muito rapidamente. O corpo humano é mais eficiente e eficaz do que as pessoas pensam.

O organismo terá todo o tempo que precisa para digerir e absorver de forma qualquer dose de você lhe der. Uma determinada pessoa vai ter períodos mais curtos de digestão por refeição, a fim de absorver e utilizar eficazmente a pequenas refeições. Pessoa B terá um longo período de digestão, a fim de absorver e utilizar eficazmente a grande refeição. Enquanto a verdade nesta lógica parece evidente, a questão importante é se é ou não é suportado pela pesquisa científica. Vamos olhar para as provas, começando com estudos de efeito imediato (agudo), para em seguida, avançar com os estudos a longo prazo.

Pesquisas que examinaram a velocidade de absorção

Uma revisão da literatura por Bilsborough e Mann levou á compilação de dados de estudos de vários pesquisadores que mediram as taxas de absorção de fontes proteicas diferentes [6]. Curiosamente, uma mistura de aminoácidos formulada para imitar a composição do lombinho de porco ficou em primeiro lugar, a 10 g/hora, enquanto o soro obteve um segundo lugar próximo a 80-10 g / hora. Outras proteínas ficaram colocadas nos seus respectivos lugares abaixo dos dois primeiros, com pouco espanto ou razão por trás dos resultados. Por uma questão de curiosidade, a proteína de ovo crua foi a mais lentamente absorvida de todos as proteína, em 1,3 g/hora.

É importante notar que estes dados apresentam algumas limitações sérias. Um dos principais é a variação dos métodos utilizados para determinar as taxas de absorção (ou seja, a infusão intravenosa, a ingestão oral, ingestão ileal). A maioria dos métodos são muito brutos ou muito forçados para os podermos considerar de forma séria. Outra limitação é que esses números podem estar errados, dependendo da sua concentração na solução, o que pode afectar sua taxa de esvaziamento gástrico. Outro factor a considerar é o momento da ingestão em relação ao exercício e como isso pode afectar diferentemente a velocidade de absorção. Finalmente, os dados de curto prazo deixa muito aberto a questão.

Investigação a curto prazo que apoia o “limite mágico”

Já ouvi muitas pessoas afirmarem que o efeito anabólico máximo de uma dose única proteína está limitado a 20 gramas, citando o recente trabalho de Moore e colaboradores. No período de 4 horas deste estudo pós-exercício de teste, 40 g de proteína não provocou uma maior resposta anabólica de 20 g. Eu interpretaria estes resultados com cautela. Fundamentalmente falando, a utilização da proteína pode variar de acordo com a massa muscular.

As necessidades de uma pessoa com 75 quilos vai variar muito da de um indivíduo com 90 e uma bf baixa. Além disso o volume de treino total utilizado foi baixo (12 séries no total). As sessões de treino típicas geralmente envolvem mais de um grupo muscular e supõem normalmente a utilização de pelo menos o dobro desse volume, o que pode potencialmente aumentar a necessidade de absorção de nutrientes. Finalmente, a conclusão dos autores é questionável. Eles afirmam explicitamente,

… Nós especulamos que não se poderia ingerir essa quantidade mais de 5-6 vezes ao dia (~ 20 g) de proteína e esperar desta forma que a síntese protéica muscular seja estimulada ao máximo.

Então, eles estão a afirmar que 100-120 gramas de proteína por dia é o máxima que se pode ingerir para promover o crescimento muscular. Espere um minuto, o quê? Baseado tanto no grande volume de evidências de pesquisas e numerosas observações da vida real, isto é simplesmente falso.

Em outro estudo recente, Symons e colegas compararam a resposta de 5 horas de uma moderada porção de carne magra contendo 30 g de proteína com uma grande porção de proteínas contendo 90 g [10]. A pequena porção de proteína aumentou a síntese de proteína em aproximadamente 50%, e a maior porção não causou um maior aumento da síntese de proteínas, apesar de representar o triplo da dose. Os pesquisadores concluíram que a ingestão de mais de 30 g de proteína em uma única refeição não aumenta ainda mais a síntese protéica muscular. Embora a sua conclusão de facto suporte os resultados do seu estudo a curto prazo, é muito fácil de prever os resultados de tamanho e força muscular se comparada a dose de proteína total diária de 90 g com 30 g durante um período de tempo mais longo, muito menos uma que envolva um protocolo de exercícios estruturados. Isso me leva ao ponto crucial que os resultados a curto prazo servem apenas para justificar a hipótese. Não é completamente sem sentido, mas está longe de ser conclusiva, sem examinar os efeitos a longo prazo.

Investigação a longo prazo que desafia o “limite mágico”

Se tivéssemos de acreditar na premissa de que uma dose de 20-30 g de proteína produz um efeito anabólico máximo, então qualquer excesso para além dessa dose seria desperdiçado. Pelo contrário, o organismo é mais inteligente do que isso. Numa experiência de 14 dias, Arnal e colegas não encontraram nenhuma diferença na massa isenta de gordura ou retenção de nitrogénio entre 79% do consumo da necessidade diária de proteína diária (aproximadamente 54 gramas) numa única refeição, contra a ingestão da mesma quantidade repartida em quatro refeições.

Notavelmente, esse estudo foi realizado com jovens adultos do sexo feminino, cuja massa livre de gordura em média éra de 40,8 kg (89,8 lb). Considerando que a maioria dos homens não sedentários possuem consideravelmente mais massa magra do que os indivíduos do sexo feminino utilizados no estudo acima, é plausível que uma quantidade de proteínas muito superior a 54 g numa única refeição, pode ser eficazmente metabolizada para efeitos anabólicos e / ou anti-catabólicos. Se extrapolarmos a dose de proteína utilizada neste estudo (79% de 1.67g/kg) para o homem adulto médio, seria cerca de 85-95 gramas ou mais, dependendo do tamanho muscular de cada indivíduo.

Quando Arnal e colegas aplicaram o mesmo protocolo para a população idosa, o tratamento com dose única realmente causou maior retenção de proteína muscular do que a dose múltipla de tratamento [12]. Isso levanta a possibilidade de que à medida que envelhecemos, podem ser necessárias maiores quantidades de proteína para atingir o mesmo efeito sobre a retenção de proteína como a obtida com quantidades menores na nossa juventude.

As pesquisas estão a colocar pregos num caixão já fechado?

Talvez o caso mais fortes contra a ideia da existência de um limite além do qual a dosagem ou retenção anabolismo muscular pode ocorrer é a recente investigação do jejum intermitente (IF), nomeadamente os ensaios com um grupo controle numa dieta convencional. Por exemplo, Soeters e colegas compararam duas semanas de IF envolvendo ciclos de 20 horas de jejum com uma dieta [13]. Apesar do grupo do IF ter consumido uma média de 101 g de proteína num período de 4 horas, não houve diferença na preservação da massa magra e de proteína muscular, entre os grupos.

Noutro exemplo, Stote e colegas relataram na verdade, uma melhora na composição corporal (incluindo um aumento na massa magra), após o grupo IF consumir uma refeição por dia durante 8 semanas, onde cerca de 86 gramas de proteína foram ingeridas numa janela de 4 horas [14 ]. Curiosamente, o grupo convencional que consumiu três refeições durante o dia, não apresentou melhoras significativas de composição corporal.

Tenha em mente que a impedância bioelétrica (BIA) foi o método utilizado para determinar a composição corporal, assim que estes resultados devem ser vistos com cautela. Eu fui muito crítico deste estudo, no passado, e eu ainda sou. No entanto, não pode ser completamente anulado e deve ser tido em conta no conjunto de evidências contra a ideia da existência de um limite mágico de ingestão de proteína.

Conclusão e aplicação prática

Com base nas evidências disponíveis, é falso supor que o corpo só pode utilizar uma determinada quantidade de proteína por refeição. Os estudos que examinam os efeitos de curto prazo apresentaram sugestões para o que poderia ser uma dose de proteína ideal para maximizar o anabolismo, mas estudos elaborados ao longo de períodos mais longos não têm apoiado esta ideia. Assim, há um limite para a quantidade de proteína por refeição que pode ser efectivamente utilizada? Sim, existe, mas esse limite máximo é provavelmente similar à quantidade se ingere num dia inteiro. Qual é a quantidade máxima que o organismo pode utilizar de forma eficiente durante um dia inteiro? A resposta curta é, muito mais do que 20-30 gramas. A resposta longa é, depende de vários factores. Na maioria dos casos não é muito longe de um grama por quilo de peso em atletas sem a influência de drogas, partindo do principio que ingerem uma quantidade total de calorias adequada.

Em termos de aplicação, tenho observado de forma consistente a eficácia de ingerir cerca de um quarto do seu peso-alvo, tanto na refeição pré como na pós-exercício e. Nota: O peso alvo é um sucedâneo do índice de massa magra, e eu uso isso para evitar fazer cálculos distorcidos nos casos em que os indivíduos são marcadamente obesos ou excessivamente magros. Esta dose excede as quantidades que causam uma resposta anabólica máxima, mas não perturba a ingestão de proteína do restante dia, que pode ser distribuída como desejado. Em dias de folga dos treinos, combine ou divida a sua ingestão de proteína total de acordo com suas preferências pessoais e tolerância digestiva. Eu percebo que a liberdade e a flexibilidade são termos pouco comuns no mundo da cultura física, mas talvez esteja na hora de uma mudança de paradigma.

Em suma, interprete todas as informações – em especial o folclore de ginástica e das investigações a curto prazo – com cautela. Não se torne mais um crente do mito de que a proteína não será usada de forma eficiente a menos que seja administrada com parcimónia ao longo do dia. Felizmente, pesquisas futuras responder definitivamente como os diferentes regimes de administração de vários tipos de proteínas afectam parâmetros relevantes, tais como tamanho e força. Entretanto, sinta-se livre para comer o bife inteiro e beber o batido todo!

Fonte: http://www.wannabebig.com/diet-and-nutrition/is-there-a-limit-to-how-much-protein-the-body-can-use-in-a-single-meal/

Comments

comments

Academia

Melhor remédio caseiro para tratar a celulite

Published

on

By

Saiba qual é o melhor melhor remédio caseiro para tratar a celulite, ele possui nutrientes para remover as células mortas e rejuvenescer a pele.

A celulite, ao contrário do que muitos podem pensar, está longe de ser uma doença.

Na verdade, costuma aparecer devido a uma inflamação nas células lipídicas – podendo causar desconforto a maioria das mulheres afetadas.

A celulite pode aparecer tanto em mulheres com um peso tímido quanto nas que possuem alguns “quilinhos” a mais.

Nessa matéria, falaremos sobre o melhor remédio caseiro para tratar a celulite, bem como algumas explicações sobre o que o quadro representa. Confira!

Causas mais comuns da celulite
Alguns estudos comprovam que os motivos mais comuns que causam a celulite são o sedentarismo, a qualidade das refeições, instabilidade hormonal e até mesmo a genética.

Contudo, para a alegria das mulheres, é possível produzir um incrível remédio caseiro para tratar a celulite, prático e num preço muito acessível. Falaremos mais no tópico abaixo.

Principal ingrediente do remédio caseiro para tratar a celulite
Um dos elementos mais importantes da receita é o vinagre de maçã.

Afinal, em sua fórmula possuem importantes nutrientes chamados de alfa-hidroxiácidos, que são excelentes para rejuvenescer a pele e eliminar as células mortas.

Um dos princípios que faz com que o ingrediente seja tão eficaz contra a celulite é que o vinagre é capaz de abrir os poros, permitindo que a pele respire com maior vigor.

Muitos produtos de tratamento de pele também contêm esses nutrientes, mas o especial do vinagre de maçã é que o nível dos alfa-hidroxiácidos nele contidos é muito maior do que os dos cosméticos.

Esse fator é o que faz com que seja um esplêndido remédio caseiro para tratar a celulite e evitar outras consequências, já que o vinagre produz algumas propriedades que previnem outros distúrbios da pele – como a acne, por exemplo.

Como preparar a receita
Os ingredientes para fabricar o remédio são:

– 1/4 de xícara (chá) de loção hidratante;

– 1 colher (sopa) de vinagre de maçã.

A loção hidratante servirá para que o vinagre infiltre com maior potência na pele.

Misture bem os dois itens e, antes da aplicação, pegue uma toalha umedecida com água fria coloque uma quantia do remédio para celulite. Por último, posicione na área afetada e aguarde 10 minutos.

Após o tempo passado, sem retirar o produto, pegue um pedaço de algodão e molhe com o vinagre e, em seguida, massageie a pele.

Envolva com uma toalha toda a região da celulite e espere mais uma 1h 15 min.

É importante saber que é adequado repetir o tratamento 3 a 4 vezes por semana, pois como a base do feito é um elemento totalmente natural, o processo nem sempre é tão veloz.

Mais uma forma para aproveitar dos benefícios
Para energizar os efeitos do remédio caseiro para tratar a celulite, você pode também procurar consumir o produto diariamente.

É recomendado que o ingrediente seja orgânico e de boa qualidade.

Basta acrescentar duas colheres (sopa) de vinagre em 200 ml de água.

Você pode optar por colocar uma colher de mel, caso prefira algo mais adocicado.

Beba somente antes do café da manhã, aproximadamente 20 minutos antes.

Lembre-se de dar um intervalo de uma semana a cada duas semanas.

Gostou da receita de remédio caseiro para tratar a celulite? Se for testá-la, não deixe de nos contar, nos comentários, sobre os resultados, ok?

Comments

comments

Clique para Ler

Academia

Descubra 4 maneiras de potencializar seu emagrecimento e sua performance nos treinos

Published

on

By

É comum, mesmo seguindo treinos e dietas a risca, o emagrecimento estagnar ou não alcançarmos os resultados esperados, nos desmotivando e criando um ciclo negativo em nosso corpo. Por isso, aqui vamos te contar estratégias e caminhos para você conseguir os resultados desejados!

Se você tem realizado seus treinos e considera sua alimentação saudável, o comum seria alcançar resultados positivos, certo? O problema disso? É que nem sempre acontece como planejamos.

Caso você esteja buscando potencializar não só o seu emagrecimento, mas seu bem-estar, energia e performance no treino, esse post pode te ajudar – muito.

Para isso, em parceria com o time de especialistas da CAFFEINE ARMY (desde nutricionistas à médicos), preparamos 4 estratégias simples e eficazes para você conseguir alcançar resultados únicos.

  1. Dieta Low Carb

A dieta low carb é uma dieta muito baixa em carboidratos, que transforma o corpo em uma máquina de queima de gordura. Ela apresenta diversos benefícios comprovados para perda de peso, saúde e desempenho, como milhões de pessoas já experimentaram.

Nela, ao invés de seu corpo utilizar glicose como combustível, ele passa a produzir corpos cetônicos no fígado como fonte de energia. O resultado disso? Inúmeros benefícios para o seu corpo, sendo os principais deles, emagrecimento e performance.

Além desses, podemos citar:

  • Foco e clareza mental
  • Grande perda de peso
  • Aumento de energia
  • Diminuição de acne
  • Redução do açúcar no sangue
  • Melhora no colesterol

Alimentos Low Carb Ideais

Para um emagrecimento efetivo, acredite, precisamos focar num alto consumo de gordura, proteína em moderação e baixíssima ingestão de carboidrato. Por isso, listaremos aqui alguns alimentos para você consumir e conseguir resultados incríveis.

  • Peixes (salmão, tilápia, robalo)
  • Folhas Verdes (couve, espinafre)
  • Gorduras Boas (manteiga ghee, óleo de côco, azeite)
  • Oleaginosas (macadâmia, amêndoa, amendoim)
  • Vegetais (brócolis, couve-flor, abóbora)

Para descobrir mais sobre essa super dieta, receitas e mais alimentos, basta clicar aqui!

 

  1. Super Coffee

É fundamental iniciar o dia com energia e disposição para desempenhar as melhores atividades possíveis, seja trabalhar, estudar ou treinar. Como isso é possível? Você está prestes a descobrir!

Como diz o próprio nome, o SUPER COFFEE não é o seu café com leite ou qualquer shake que vemos por aí.

 

O que é o Super Coffee?

O SUPER COFFEE une dois tipos de óleos super nutritivos: óleo de côco extra virgem (rico em tcm – triglicérides de cadeira média – e a manteiga ghee natural de boa qualidade. Emulsificados com um café orgânico e de boa procedência, esses óleos funcionam como carreadores, fazendo com que a cafeína seja liberada de forma eficiente e gradativa no organismo, o que permite seu efeito mais duradouro no cérebro. É uma excelente combinação para potencializar a capacidade de foco, produtividade e disposição.

O mais legal disso tudo é que, esse blend não só faz com que você se sinta incrível, como promove um emagrecimento absurdo, graças a sua composição low carb e aumento de performance nos treinos.

Pensa que acabou?

Mais Benefícios do Super Coffee

Além de tudo que já citamos, é possível dividir o efeito dessa bebida em 3 vertentes, sendo, basicamente, tudo que você precisa. Essas seriam:

  • Queima de gordura: Tome como a primeira bebida pela manhã, para que seu corpo prolongue por mais tempo o estado de cetose (utilização de gordura corporal como fonte de energia).
  • Performance física: Tome antes ou durante os treinos para diminuir a necessidade por oxigênio e aumentar a quantidade de calorias utilizada nos treinos, garante uma melhor performance e um aumento no consumo de calorias.
  • Performance mental: Os ácidos graxos presentes na bebida são facilmente convertidos em cetonas, um tipo de molécula que o seu cérebro usa de maneira mais eficiente do que carboidratos ou açúcares. A combinação dessas moléculas com as de cafeína irá fazer você literalmente sentir seu cérebro ser ligado como um motor de Ferrari.

 

Como Fazer o Super Coffee

Além dos benefícios e potencial de emagrecimento que já falamos sobre, podemos dizer também que essa é uma bebida prática, o que otimiza não seu corpo e sua mente, mas também, seu dia. Vamos à receita!

  1. O ingrediente principal é o café 100% Arábica. Coe 1 copo (250-330ml) de café utilizando água filtrada com 2 colheres de sopa do café fresco. Ele é produzido com o café 100% Arábica dos cafezais de Ibicoara-BA (a mesma região que exporta para o Papa e o Vaticano) e propício para ser feito no tradicional coador de papel ou pano.
  2. Adicione 1 colher de sopa deóleo de coco extravirgem . O óleo de coco extravirgem é um super alimento e possui ácidos graxos essenciais, além de ser uma fonte natural de TCM (triglicerídeos de cadeia média), moléculas de gordura que servem de alimento para o nosso corpo de forma rápida e aceleram a queima de gordura corporal como um todo.
  3. Adicione 1 colher cheia de chá de manteiga ghee grassfed.É rico em ácido butílico, que traz sensação de saciedade, é anti-inflamatório e estimula o sistema imunológico. O ghee também deixa a bebida super cremosa.
  4. Misture tudo em um blender ou liquidificador por 20-30 segundos para que os óleos emulsifiquem com o café.

Se você gostou do Super Coffee e quer receber seus benefícios de emagrecimento hoje mesmo, basta clicar aqui!

 

Lembre-se! Se for incorporá-lo à sua rotina – o que recomendamos – é preciso que seja de boa proveniência. Por isso, indicamos a CAFFEINE ARMY, marca que vende essa mistura com ingredientes orgânicos e desenvolvidos com muito cuidado.

  1. Ritual Matinal

Ingredientes Funcionais Para Calibrar a Hidratação

A primeira coisa que você ingere ao acordar percorre com agilidade e eficiência a corrente sanguínea, otimizando órgãos, tecidos e células. Suplementos como antioxidantes, vitaminas C e D, magnésio e muitos outros podem calibrar esse momento importante do seu ritual matinal, ajudando a diminuir os efeitos dos radicais livres produzidos pelo corpo durante o sono.

Mais potente ainda, é o que sugeriremos a seguir: uma hidratação funcional que lhe fornecerá diversos benefícios, sendo um deles, emagrecimento.

Então experimento assim que acordar:

  • 500ml de água
  • Meio limão com casca
  • Pitada de sal rosa
  • Bata no liquidificador e coe

Rico em vitamina C, potencializa o sistema imunológico, estimula a higienização do aparelho gastrointestinal e ajuda a equilibrar o PH do intestino, além de, claro, auxiliar no emagrecimento.

  1. Jejum Intermitente

O jejum não é um conceito novo. Durante séculos, as pessoas restringiram temporariamente a ingestão de alimentos por motivos religiosos. Nos últimos anos, o jejum intermitente – quando você não come de 16 a 48 horas (em qualquer lugar) – ganhou força por seus incríveis efeitos sobre doenças, envelhecimento e, principalmente, emagrecimento.

O que é o Jejum Intermitente?

O jejum intermitente é o processo de entrar e sair de períodos de comer e não comer. Existem vários métodos de jejum intermitentes diferentes. Uma dieta em jejum, chamada de 5: 2, permite que você coma normalmente cinco dias por semana. Os outros dois dias são chamados dias de jejum, onde você consome apenas 500-600 calorias. Outro estilo de jejum intermitente restringe todos os alimentos por 24 horas, uma ou duas vezes por semana. Depois, há aquela em que você ingere todas as suas calorias diárias dentro de um período reduzido – normalmente de 6 a 8 horas – e jejua nas 14 a 16 horas restantes.

Benefícios do Jejum Intermitente

Pesquisas mostram que mudar para uma dieta de jejum intermitente expande seus limites e aumenta seu desempenho de diversas maneiras. Aqui estão apenas alguns benefícios:

  • Aumenta a perda de peso
  • Aumenta a energia
  • Promove a reparação celular e a autofagia (quando o corpo consome tecido defeituoso para produzir novas partes)
  • Reduz a resistência à insulina e protege contra o diabetes tipo 2
  • Diminui o colesterol ruim
  • Promove a longevidade
  • Protege contra doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson
  • Melhora a memória e aumenta a função cerebral
  • Torna as células mais resistentes

Conclusão

Emagrecer pode parecer difícil as vezes, porém, seguindo essas dicas a risca você pode alcançar o resultado que jamais esperava, principalmente num período de tempo tão curto.

Lembre-se sempre de praticar seu ritual matinal, com a água com limão e tomando diariamente o SUPERCOFFEE. Além disso, busque manter uma alimentação low carb e realizar jejuns intermitentes de vez em quando.

É bem provável que, isso, aliado a treinos otimizados a partir do efeito do SUPERCOFFEE, você sinta uma disposição e resultados nunca experimentados.

 

Se quiser mais dicas de como emagrecer, ter energia e sobre o universo da alta performance e biohacking, conheça mais sobre a CAFFEINE ARMY. Eles compartilham conteúdos referência no insta e no blog:

https://instagram.com/caffeinearmy/

https://www.caffeinearmy.com.br/blog

Comments

comments

Clique para Ler

Alimentação e Nutrição

Proteína de ervilha, glutationa… conheça novos produtos fitness

Published

on

By

Estudos recentes indicam uma nova geração de ingredientes funcionais que podem ajudar a reduzir gordura e aumentar a massa muscular

Mesmo para quem já faz musculação e tem uma dieta regrada, os suplementos e alimentação funcional podem ajudar. Mas é hora de abrir a cabeça e ir além do whey protein. Segundo o pesquisador em Cosmetologia Lucas Portilho, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma, novos estudos têm identificado proteínas e antioxidantes que podem ajudar a reduzir gordura e promover aumento da massa muscular. “A proteína vegetal da ervilha, por exemplo, é uma alternativa eficaz ao whey protein, não conta com lactose e ainda tem outras vitaminas e minerais naturalmente”, explica o especialista. Ele destaca as novas substâncias que ajudam a emagrecer e turbinar os músculos:

Proteína da ervilha — Eficaz no aumento da espessura muscular, a proteína da ervilha foi avaliada em estudo comparativo com whey protein e placebo. “Após 12 semanas com programa de treinamento de resistência, os efeitos da proteína da ervilha, no que se refere ao aumento da espessura e força muscular, foram iguais aos do whey protein e muito maiores com relação ao grupo placebo”, conta Lucas. Os testes foram realizados nos músculos bíceps. A espessura muscular foi avaliada por ultrassonografia e a força foi medida em um dinamômetro isocinético. “Os pesquisadores concluíram que em adição a um treinamento apropriado, a suplementação com proteína de ervilha é eficaz no aumento da massa muscular, especialmente para pessoas que iniciam ou regressam a um fortalecimento. Uma vez que não se obteve qualquer diferença entre os dois grupos de proteínas, a proteína de ervilha vegetal pode ser utilizada como uma alternativa aos produtos dietéticos à base de soro de leite”, afirma.

Suplementta — Novo método que combina três poderosos ingredientes para ação anti-idade facial e antiqueda capilar também tem efeitos no aumento do tônus muscular. “A associação dos peptídeos bioativos Bodybalance e Verisol é benéfica para quem pratica exercícios físicos, pois enquanto o primeiro aumenta a massa magra e diminui a gordura fornecendo aminoácidos adequados, o segundo restaura o metabolismo celular e aumenta a elasticidade da pele, com resultado também contra a celulite”, explica. Ambos os colágenos que melhoram a pele e músculo podem ser ingeridos juntos diluídos em bebidas, uma vez ao dia.

Glutationa — De acordo com Lucas, essa molécula antioxidante é um importante coadjuvante para os treinos, pois aumenta o desempenho e reduz a fadiga muscular. De acordo com estudos recentes, a suplementação de glutationa por 2 semanas reduz a fadiga física induzida por exercícios físicos e diminui os níveis plasmáticos de lactato. “O lactato e a acidose metabólica contribuem para a fadiga muscular. Então, o nutracêutico com glutationa também estimula o metabolismo aeróbico e evita a acidificação do ambiente muscular”, explica.

Comments

comments

Clique para Ler

Advertisement

Facebook


Mais Acessados