Connect with us

Destaque

Quanto tempo devem durar os seus treinos?

Published

on

É muito frequente ouvir dizer e ler em artigos de revistas e blogs, que não se deve treinar durante mais de 45 minutos.

Supostamente,  no caso disso acontecer os seus níveis de testosterona irão descer a pique, os níveis de cortisol irão subir e basicamente irá entrar numa espiral catabólica negativa que irá comprometer os seus ganhos de massa muscular que tanto custa a aumentar.

2221Na verdade, a ideia de que se deve parar de treinar depois de 45 minutos porque se atinge um qualquer tipo de “mudança hormonal” negativa é perfeitamente absurda. É uma afirmação que falha a vários níveis, mais notavelmente no facto de ser falsa.

Na verdade, foi comprovado que alguns treinos que tiveram uma duração superior a 90 minutos, aumentaram os níveis de testosterona acima dos níveis normais em descanso pelo menos durante duas horas depois do final do treino (1).

E mesmo que fosse verdade, a ideia de que a resposta hormonal de curta duração ao treino tem um grande impacto no crescimento muscular, é algo que tem vindo a ser seriamente questionado ao longo dos últimos anos (2).

Num dos estudos mais recentes acerca deste tema, os investigadores analisaram dados recolhidos de 56 jovens saudáveis do sexo masculino (mas sem experiência de treino) que fizeram parte de um programa de treino de musculação que durou 12 semanas (34).

Se a mudança dos níveis de testosterona no pós-treino fosse realmente importante no que diz respeito ao desenvolvimento muscular, os voluntários que tiveram a maior resposta de testosterona depois do treino iriam desenvolver mais massa muscular, e aqueles com a menor resposta iriam desenvolver a menor quantidade de músculo.

Mas quando analisaram os dados, os investigadores não foram capazes de encontrar uma ligação significativa entre o aumento dos níveis de testosterona induzido pelo exercício e os ganhos de força ou de massa muscular.

E em relação ao cortisol?

O cortisol é comummente considerada uma hormona “catabólica” que você deveria fazer todos os possíveis para evitar.

Se o aumento de cortisol que ocorre no pós-treino estivesse a impedir o crescimento muscular, seria de esperar que os jovens do estudo com os níveis mais elevados de cortisol no pós-treino, seriam também aqueles que ganharam a menor quantidade de massa muscular.

Mas na realidade, aconteceu precisamente o contrário. Houve uma associação fraca mais significativa entre o aumento do cortisol e os ganhos de massa corporal magra (que pode ver na figura abaixo), bem como com o crescimento das fibras musculares do tipo II.

156

Por outras palavras, os jovens que tiveram os maiores aumentos dos níveis de cortisol foram também aqueles que ganharam mais massa muscular.

Analisando os dados mais a fundo, os voluntários do estudo também foram separados em dois grupos, o grupo dos respondedores (os jovens que desenvolveram mais massa muscular) e não-respondedores (aqueles que ganharam menos massa muscular).

E as respostas hormonais daqueles que obtiveram os maiores ganhos de força e massa muscular não foram significativamente diferentes daqueles que obtiveram menos ganhos.

Ou colocando as coisas de outra forma, a resposta hormonal do top 16% em termos de ganhos musculares não foi diferente daqueles 16% que tiverem menos ganhos.

Então porque é que se afirma que os treinos não devem ter uma duração superior a 45-60 minutos?

Esta ideia parece ter sido originalmente difundida por Ivan Abadjiev, treinador da equipa de halterofilismo da Bulgária. Ao longo de um período de 20 anos, Abadjiev transformou uma equipa de halterofilismo que tinha dificuldades em ganhar qualquer coisa, numa equipa que venceu numerosos títulos europeus, mundiais e olímpicos.

4444

Em vez de treinarem uma vez por dia durante várias horas de cada vez, os Búlgaros treinavam várias vezes tanto de manhã como á tarde, com cada sessão a durar entre 30 a 45 minutos.

Este protocolo foi baseado nas afirmações de Abadjiev’s de que o aumento dos níveis de testosterona no sangue só podiam ser mantidos durante 30 a 60 minutos, sendo a média 45 minutos.

É difícil dizer se ele realmente acreditava nisso ou não. Tendo a alcunha de “O carniceiro” pelo nível de dedicação extrema que ele exigia aos seus atletas, os rumores afirmam que Abadjiev’s tinha uma grande necessidade de controlar.

Uma vez chegou a enviar um aluno rebelde para um campo militar para trabalhar de sol a sol numa pedreira (5).

Manter os atletas no ginásio durante todo o dia poderá ter tido mais a ver com a sua necessidade de impor disciplina e controlo nos seus atletas do que com os seus níveis de testosterona.

Muitos dos seus princípios aplicados pelos Búlgaros foram popularizados num livro publicado no início dos anos 90 com o título “The Bulgarian Power Burst System”. As últimas edições tinham títulos diferentes, tais como “Big Beyond Belief”.

O livro vendeu milhares de cópias e tornou-se um dos guias de musculação com mais sucesso de todos os tempos, chegando mesmo a influenciar um número de escritores, muitos dos quais simplesmente repetiram a ideia fictícia de que “os níveis de testosterona descem depois de 45 minutos de treino com pesos”, antes sequer de verificaram se esta ideia era ou não verdade.

Isto não quer dizer que se pode ou que se deve treinar durante muitas horas seguidas. A verdade é que muitas pessoas perdem muito do seu precioso tempo a realizar um número interminável de séries de um elevado número de exercícios.

Mas a ideia de que se deve restringir a duração dos treinos a apenas 45 minutos por sessão, também não faz absolutamente sentido nenhum.

musculacao.com

Comments

comments

4 Comments

4 Comments

  1. João

    25 de abril de 2013 at 19:12

    Aff… Toda hora muda a conversa, sites afirmam veementemente que o treino nao pode em hipótese nenhuma ultrapassar os 60 minutos, ai vem vocês agora falar que pode passar tranquilamente aff…

    Conselho pra todos. Parem de ficar procurando opiniões na internet se não vocês vão pirar, façam os exames pra saber se da pra fazer seus exercicios, cuidado com a postura e monte o seu treinamento, se tiver dando resultados continue, se não mude.

    • admin

      25 de abril de 2013 at 20:00

      Acredito que você não leu corretamente o artigo, este protocolo foi baseado nas afirmações de Abadjiev’s treinador na bulgaria,

  2. Natalia

    21 de dezembro de 2013 at 03:45

    Eu treino mas de 60 minutos, meu treino é ótimo, e tenho ótimos resultados, acho que em questao ao tempo nao tem nada ver, o treino dando os resultados que voce procura, nao importa se dure 45, 60 minutos ou mais, o que importa é os ganhos positivos em relaçao ao treino.

  3. Cassio

    1 de agosto de 2015 at 16:41

    Amigo vc tem as referências supra citadas??

    Obrigado

Leave a Reply

Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Destaque

Como Fazer Drenagem Linfática Em Casa?

Published

on

By

A maioria das mulheres vive buscando tratamentos de beleza. Cada novidade é sempre um convite à curiosidade.

Há alguns anos atrás surgiu a drenagem linfática. Uma técnica bastante eficiente, que desintoxica o organismo através da pressão sobre os gânglios linfáticos, que são estimulados durante a massagem, proporcionando uma melhora na circulação, eliminando o inchaço, modelando as formas, e podendo até diminuir medidas através da queima de gordura.

A drenagem linfática é aplicada em clínicas de estética, SPAs, salões de beleza e etc.

Durante as sessões, o profissional estimula o sistema linfático do corpo todo, ou em alguns casos, em partes específicas.

Esses locais oferecem “pacotes” de drenagem com um número inicial de sessões, porém, será preciso um bom tempo de tratamento para que os resultados estéticos sejam percebidos. No entanto, alguns benefícios poderão ser notados desde a primeira aplicação, como por exemplo, maior volume de urina e a redução de inchaço.

O que acontece é que, justamente por demorar a apresentar os tão sonhados efeitos estéticos, as pessoas acabam desistindo, pois a necessidade de cada vez mais sessões onera muito o tratamento.

Outro fator que faz com que as pessoas interrompam as sessões de drenagem é a falta de tempo. Por estes motivos, vamos desvendar como fazer drenagem linfática em casa.

Devo preparar a pele?

As mesmas recomendações que nos são dadas nos tratamentos profissionais devem ser seguidas quando se procura como fazer drenagem linfática em casa.

Uma das primeiras providências a tomar é a esfoliação semanal. Ela poderá ser realizada com cremes apropriados.

Evite o método caseiro de esfoliação com açúcar. Os cristais de açúcar são muito rústicos e acabam removendo camadas de pele sadias.

A esfoliação tem por princípio a remoção de células mortas. Alguns cremes e loções esfoliantes cumprirão esse papel, além de hidratar a pele. Há bons produtos, com preços bastante acessíveis.

A esfoliação promove a limpeza externa, enquanto a drenagem faz a limpeza interna, por esse motivo, deve-se adquirir o hábito desses dois tratamentos integrados, mesmo quando estamos fazendo drenagem linfática em casa.

Devo utilizar cremes?

Os cremes e óleos de massagem facilitam o deslizamento das mãos sobre a pele. Quando essa pele estiver devidamente depilada, a drenagem fica ainda mais facilitada, pois a remoção dos pelos permite a melhor absorção dos cremes pela derme e epiderme.

Esses cremes devem ser de boa qualidade, hipoalergênicos, com princípios ativos que estimulem a circulação.

É possível realizar os movimentos sem creme também. Isso vai depender de preferências pessoais.

Qual a intensidade da pressão sobre a pele?

Para quem já se submeteu a sessões de drenagem aplicadas por profissionais, fica mais fácil, uma vez que basta repetir a pressão conforme a utilizada durante o tratamento. Porém, as iniciantes encontrarão mais dificuldade.

A pressão não deve ser realizada com força. Drenagem linfática não é shiatsu. Os movimentos são leves e a pressão sobre os gânglios deve ser suave.

Quantas sessões semanais?

Por ser extremamente benéfica, poderia ser realizada diariamente, porém, aconselha-se no mínimo duas sessões semanais, dez vezes em cada membro, na região abdominal e do pescoço.

Para a aplicação facial, as recomendações são as mesmas.

Auto aplicação

Como fazer drenagem linfática em casa? É possível? Como vimos acima, é possível, mas há limitações. Com exceção da drenagem linfática facial, onde o procedimento é relativamente simples, a drenagem corporal envolve movimentos que vão exigir uma extensão e amplitude um tanto complicadas para se realizar sozinha.

Numa sessão de drenagem linfática corporal, os movimentos são realizados das extremidades até os gânglios.

Exemplificando: a terapeuta inicia o procedimento pelos pés, vai subindo pelas pernas até alcançar os gânglios da virilha, onde então será feito o bombeamento.

Nos braços, os movimentos iniciam-se nas mãos, percorrem os braços e chegam às axilas, e daí se realiza o bombeamento nos gânglios dessa região.

Na barriga é mais fácil, uma vez que os braços conseguem alcançar toda a extensão abdominal. Essas limitações não impedirão o procedimento, mas será preciso adaptar-se.

No vídeo a seguir, mostramos uma possibilidade de auto drenagem linfática nas pernas.

Uso de Acessórios

Costumamos encontrar em alguns espaços terapêuticos alguns acessórios para potencializar a drenagem. Em muitos deles, as terapeutas utilizam bambu, onde aplicam um rolamento sobre a pele, em movimentos ascendentes, nos membros inferiores e superiores, em direção aos gânglios.

Nada impede de fazer o mesmo em casa, respeitando a sequência e direção desses movimentos.

Algumas adaptações estão surgindo e funcionando, apresentando resultados bastante satisfatórios. Uma dessas possibilidades é fazer o bombeamento ou pressão na região dos gânglios utilizando um “desentupidor de pia”!

Você não leu errado!

É exatamente isso! O bom e velho desentupidor de pia pode promover uma pressão na região dos gânglios, trazendo benefícios.

No vídeo abaixo, há uma demonstração do bombeamento na região da virilha, axilas e abdome, com o auxílio dessa peça tão simples, fácil de encontrar e barata.

Benefícios da Drenagem Linfática

Independente do ambiente onde se está recebendo a drenagem, seus benefícios são incontestáveis.

  • A drenagem linfática pode aumentar o volume do fluxo da linfa em até 20 vezes, dessa forma, a remoção de toxinas será muito mais eficiente;
  • Tornozelos, pernas, olhos e outras áreas inchadas começarão a ter uma melhor circulação e esses efeitos indesejados tendem a desaparecer;
  • Ótima para cicatrização pós-operatória;
  • Alivia os edemas pós cirurgia plástica;
  • Coadjuvante no tratamento de sinusite, rinite;
  • Promove relaxamento profundo;
  • Melhora a qualidade do sono.

Dicas

Antes de se auto aplicar a drenagem linfática:

  • Tome um banho relaxante;
  • Relaxe, com as pernas elevadas sobre uma almofada ou travesseiro por alguns minutos;
  • Tome um suco detox.

Contraindicações

Qualquer pessoa pode receber drenagem linfática? A princípio sim, mas os seguintes casos deverão pedir orientações a seus respectivos médicos:

  • Pessoas que tiveram seus gânglios linfáticos removidos em procedimentos cirúrgicos, ou que estejam se submetendo a radioterapia;
  • Casos de linfedema;
  • Varizes grossas e saltadas;
  • Trombose.

Considerações Finais

As técnicas para saber como fazer drenagem linfática em casa são bastante simples de serem executadas.

Quem já recebeu drenagem terá maior exatidão sobre quais pontos fazer a pressão (bombeamento). Uma dica para quem nunca passou por uma sessão de drenagem é procurar se orientar com um profissional, para ter certeza que estará fazendo os movimentos nos locais adequados.

Inicialmente, poderá haver alguma dificuldade, mas com a prática constante, os resultados aparecerão.


Comments

comments

Clique para Ler

Alimentação e Nutrição

A Dieta do Ovo Cozido para Emagrecer

Published

on

By

Não são poucas as dietas que prometem uma perda de peso rápida e milagrosa. Tem aquela que restringe os carboidratos, outra que só permite proteínas, e até uma que só permite frutas. O que quase todas elas têm em comum é que são altamente restritivas e falham em promover a reeducação alimentar.

Ao eliminar um grupo alimentar inteiro (como é o caso das dietas sem gordura, ou então das dietas low carb, que praticamente proíbem o consumo de alimentos ricos em carboidratos), essas dietas podem causar deficiências nutricionais e inevitavelmente acabam levando ao indesejado efeito sanfona. Ou seja, muitas dessas dietas milagrosas até emagrecem, mas a probabilidade de voltar a engordar tudo de novo é bastante alta, já que não houve uma alteração nos hábitos alimentares, mas somente a exclusão de determinados alimentos.

Nesse cenário, a dieta do ovo cozido parece ser uma opção um pouco mais razoável, já que não exclui nenhum grupo alimentar ou sugere um consumo muito baixo de calorias. É importante entender como funciona a dieta do ovo cozido para emagrecer, o cardápio e dicas para não voltar a engordar novamente com o efeito sanfona.

O que é a Dieta do Ovo Cozido?

Esta dieta consiste em consumir um ovo poché ou cozido antes das três principais refeições diárias – café da manhã, almoço e jantar. O viés da dieta do ovo cozido para emagrecer é aumentar a saciedade com o ovo e reduzir o consumo de calorias durante a refeição seguinte.

Tudo isso, é claro, em conjunto com uma dieta levemente hipocalórica – ou seja, que contém menos calorias do que seu metabolismo necessita para realizar suas atividades diárias. Isso significa que a dieta do ovo cozido é um plano alimentar com restrição de calorias, que utiliza o maior poder de saciedade das proteínas para provocar uma perda de peso sem que você precise passar fome como em outras dietas altamente restritivas.

Como funciona a dieta do ovo cozido para emagrecer?

Por que incluir três ovos na dieta? O ovo emagrece? Existem, na verdade, várias razões pelas quais consumir ovos cozidos antes da refeição pode ser uma boa ideia para quem está tentando emagrecer. Veja por quê:

1. O ovo traz saciedade

O ovo é rico em proteínas e gorduras – são cerca de 6g de cada por unidade – dois nutrientes que possuem digestão mais lenta que os carboidratos e que portanto trazem mais saciedade. Para serem quebradas em aminoácidos, as proteínas do ovo exigem um grande gasto energético por parte do organismo, que se vê obrigado a retirar energia de suas reservas para auxiliar a digestão.

Ou seja, consumir um alimento rico em proteínas e sem carboidratos como o ovo acelera o metabolismo e causa uma mobilização dos estoques de gordura – sobretudo a abdominal, levando a um aumento da lipólise (queima de gordura) para auxiliar na digestão. Portanto, podemos dizer que o ovo cozido queima gorduras (na ausência de carboidratos).

Consumir um ovo inteiro antes de cada refeição fará com que você se sinta saciado com uma quantidade menor de alimentos na próxima refeição, facilitando a manutenção da dieta hipocalórica.

E essa afirmação tem comprovação científica. Em um estudo realizado pelo Rochester Center, nos Estados Unidos, pesquisadores constataram que o consumo de ovos no café-da-manhã pode diminuir o consumo de calorias ao longo do dia – podem ser até 400 calorias a menos em um período de 24 horas.

No estudo, 30 mulheres com sobrepeso ou obesas receberam um café da manhã que continha ou dois ovos ou um bagel (um tipo de pão em formato de anel) com um complemento, sendo que as duas opções tinham a mesma quantidade de calorias e proteínas.

Após acompanhar os hábitos alimentares das participantes do estudo ao longo do dia, os pesquisadores puderam notar que aquelas que haviam consumido os ovos no café da manhã sentiram menos fome antes do almoço, e como resultado acabaram consumindo menos calorias durante a refeição. E não foi só isso: durante as 36 horas seguintes, o grupo que comeu ovos consumiu, em média, 417 calorias a menos do que aquele que recebeu o bagel na primeira refeição do dia.

Vale lembrar que, para que você obtenha um resultado semelhante, sua dieta deverá ser hipocalórica.

2. O ovo é fonte de vitamina B12

A vitamina B12 ajuda a emagrecer de maneira indireta. Isso porque ela ajuda a metabolizar as proteínas e gorduras, produzindo energia que torna o organismo mais ativo durante o dia. Isso significa que a vitamina B12 estimula o metabolismo e pode auxiliar na redução das reservas de gordura do corpo.

Além disso, a vitamina B12 presente no ovo o deixará com mais energia e disposição para se exercitar, o que também poderá auxiliar no emagrecimento.

3. O ovo é fonte de triptofano

O ovo é uma das melhores fontes de triptofano, um aminoácido que estimula a produção de serotonina (um tipo de neurotransmissor) no cérebro. Entre outras funções, a serotonina pode controlar o apetite e diminuir a compulsão alimentar, além de também diminuir a ansiedade e o estresse.

Níveis adequados de triptofano no organismo podem diminuir a vontade de comer doces e facilitar o processo de emagrecimento através de uma diminuição da fome hedônica – ou seja, aquela fome que aparece mesmo quando o corpo não está com deficiência energética.

4. Comer ovos não causa picos de glicose

Essa é uma propriedade do ovo bastante interessante, sobretudo pela manhã. Ao acordarmos, nossa glicose está lá embaixo (afinal, ficamos pelo menos 8 horas em jejum) e tudo que nosso corpo precisa é de uma fonte de carboidratos para restabelecer suas taxas normais de açúcar no sangue.

Acontece que, se você consome um carboidrato logo ao acordar e sem uma fonte de proteína em conjunto, seus níveis de glicose vão lá para cima de maneira muito rápida, o que obriga o organismo a liberar uma grande quantidade de insulina para jogar essa glicose para dentro das células. E adivinha o que acontece quando toda a glicose vai para dentro das células? Isso mesmo, seus níveis de açúcar vão lá para baixo de novo, no que é conhecido como o famoso pico de glicose.

Quando isso acontece, seu cérebro envia um sinal para você se alimentar novamente, o que significa sentir fome logo após ter acabado de comer uma fatia de pão com geleia. E a má notícia é que isso ocorre ao longo do dia também, pois quando ficamos sem nos alimentar por muitas horas as taxas de glicose caem drasticamente.

Como possui digestão lenta e não contém carboidratos, o ovo não causa grandes oscilações na glicose sanguínea, o que o ajudará a controlar o apetite na primeira refeição do dia. Consumir um ovo antes da refeição principal poderá ajudá-lo a estabilizar a glicose sanguínea sem precisar sofrer com alterações bruscas de apetite logo em seguida.

5. Ovos favorecem a síntese de adiponectina

O consumo de ovos pode aumentar a produção de adiponectina, um hormônio que acelera o metabolismo, aumenta a queima de gordura, melhora a sensibilidade à insulina e diminui o apetite.

Ovo Emagrece

Para quem ainda não está convencido dos benefícios do ovo para a perda de peso, o vídeo abaixo pode ajudar a esclarecer um pouco mais o assunto:

Mas o ovo não aumenta o colesterol?

O ovo é sem sombra de dúvidas o alimento mais controverso em nossa alimentação; em um dia é o melhor alimento do mundo, no outro não se deve nem olhar para ele. Felizmente, no entanto, grande parte das pesquisas realizadas nos últimos anos tem não somente absolvido o ovo como até recomendado o seu consumo. Por isso, parece uma boa ideia adotar a dieta do ovo cozido para emagrecer.

Para uma boa parcela dos profissionais da área médica, o consumo de até 3 ovos durante a semana não aumenta o colesterol e ainda pode ser benéfico para a saúde. Isso porque, como já vimos, o ovo é fonte de uma série de nutrientes importantes para a saúde, sendo considerado inclusive um dos alimentos mais completos do mundo.

Além disso, os cientistas têm comprovado que o consumo de colesterol na dieta não necessariamente aumenta os níveis de colesterol na circulação sanguínea. A justificativa seria que o fígado já produz, todos os dias, uma grande quantidade de colesterol. Assim, quando consumimos ovos na dieta, o fígado tende a produzir menos colesterol, mantendo estáveis as taxas de colesterol total na circulação.

Pesquisas sugerem que, para 70% dos indivíduos, o ovo não tem efeito sobre o colesterol, enquanto para as demais 30% o consumo de ovos pode elevar levemente as taxas de LDL (o colesterol ruim).

Algumas pessoas, no entanto, apresentam hipercolesterolemia familiar, uma condição hereditária que se caracteriza por taxas elevadas de LDL no sangue, independentemente do consumo de colesterol na dieta. Para quem apresenta a condição, o consumo de ovos (as claras costumam ser permitidas) deve ser evitado, sob o risco de elevar ainda mais as taxas de colesterol total.

Cardápio da dieta do ovo cozido para emagrecer

Não existe um cardápio especifico para fazer a dieta do ovo cozido para emagrecer, uma vez que o objetivo é combinar o ovo com uma dieta hipocalórica, e não com determinados alimentos pré-selecionados.

Assim, o que temos abaixo é uma sugestão de um cardápio com poucas calorias e que inclui um ovo cozido (ou poché) antes de cada refeição principal. E sim, você deverá comer o ovo antes de fazer a refeição principal.

Café da manhã:

1 ovo cozido +

  • Opção 1: 1 xícara de café com leite desnatado + 2 torradas integrais + ½ mamão papaia;
  • Opção 2: 2 torradas integrais + 1 pote de iogurte desnatado + ½ manga;
  • Opção 3: 1 banana + 2 colheres de granola light + 1 xícara de café com leite desnatado.

Lanche da Manhã:

Escolha somente uma das alternativas:

  • Opção 1: 1 pote de iogurte desnatado;
  • Opção 2: 1 maçã;
  • Opção 3: 4 morangos.

Almoço:

1 ovo cozido +

  • Opção 1: 1 filé de frango grelhado + ½ xícara de repolho cozido + salada verde;
  • Opção 2: 1 bife médio grelhado + ½ concha de feijão + salada com alface, pepino e couve;
  • Opção 3: Salada com alface + 1 fatia de queijo branco em cubos + 4 tomates cerejas picados + 2 fatias de peito de peru;
  • Opção 4: Sanduíche com duas fatias de pão integral + 2 folhas de alface + 2 colheres de atum em água + 1 rodela de tomate + 1 colher de creme de ricota light.

Lanche da Tarde:

  • Opção 1: 1 pera + 1 copo com água;
  • Opção 2: 1 maçã + 1 copo com água;
  • Opção 3: 2 castanhas + 1 goiaba.

Jantar:

1 ovo cozido +

  • Opção 1: Salada de rúcula, tomate cereja e alface + 1 fatia de queijo branco;
  • Opção 2: 1 filé de peixe (magro) grelhado + 1 batata pequena cozida + 4 tomates cerejas;
  • Opção 3: 1 filé frango + 2 colheres de arroz integral + salada verde.

Dicas

Confira algumas dicas para obter sucesso com a dieta do ovo cozido para emagrecer:

  1. Prefira ovos caipiras e orgânicos;
  2. Tente comer o ovo sem sal, já que o sódio aumenta a retenção de líquidos e irá deixar você inchado;
  3. Não frite ou acrescente gordura aos ovos. Para aumentar a saciedade, o ovo deverá estar cozido e, no máximo, acompanhado de um tempero natural, como orégano ou salsinha;
  4. Um ovo contém, aproximadamente, 70 calorias, o que dará um total de 180 calorias (para três ovos) para serem inclusas na sua soma diária;
  5. Não faça a dieta por mais de uma semana, já que a quantidade de ovos é muito grande e pode causar problemas aos rins;
  6. Continuar com sua alimentação normal e simplesmente acrescentar um ovo não irá fazer você perder peso; pelo contrário, você poderá até engordar caso opte por simplesmente adicionar três ovos à dieta sem fazer alterações nos hábitos alimentares;
  7. Beba muita água, tanto para facilitar a eliminação de toxinas e diminuir o inchaço como para proteger os rins, que poderão ficar sobrecarregados ao processar a grande quantidade de proteínas dos ovos;
  8. Não faça essa dieta se você tiver histórico de problemas renais ou níveis elevados de LDL (colesterol ruim);
  9. Resista à tentação e não faça omelete, ovo mexido ou ovo frito. Limite-se ao ovo cozido, para prolongar a digestão e aumentar a saciedade sem exagerar nas calorias;
  10. O cardápio acima é somente uma sugestão, já que a recomendação é que você procure um nutricionista para que ele o oriente com uma dieta que atenda suas necessidades específicas.

E, por último, lembre-se de que não existe dieta milagrosa, e somente a reeducação alimentar e a prática diária de atividade física podem fazer alterações significativas e permanentes no seu peso.

Vídeo:

E ai, gostou das dicas?


Comments

comments

Clique para Ler

Destaque

Sem vergonha nenhuma Gracyanne Barbosa passa creme no bumbum gigante na web

Published

on

By

Gracyanne Barbosa é dona de um bumbum que chama atenção por onde passa. Nesta terça-feira (12), a musa fitness compartilhou registros mostrando seus cuidados com o glúteo. Nas imagens, Gracy aparece aparece hidratando ele com creme.

Em recente conversa com QUEM, Gracyanne aproveitou para esclarecer o assunto polêmico de que ela foi a responsável da separação de Belo Viviane Araújo. A morena negou ter sido pivô.

“Acho que, pelo que ela declarou, acho que não é isso que ela pensa, não fui pivô de nada. Ela deu declaração como se eu tivesse culpa e ela sabe muito bem que não. Mas isso não vai deixar que eu torça pra vida dela de rainha e de atriz”, começou Gracyanne.

“A gente dá o que tem e eu tenho isso dentro de mim: amor, coisas boas, principalmente no Carnaval. Acho que não tem tempo pra rixa, pra competição. Assisti ao Salgueiro ontem, aplaudi e vou continuar torcendo”, completou.

Comments

comments

Clique para Ler
Advertisement

Facebook




Mais Acessados